Carfax – “Demo Ep”

Carfax - Demo EP (2003) - Independente

Acho que isso diz tudo…
em 16/05/2004 por Hugo Montarroyos

Resenha: Carfax – Demo EP (2003) – Independente

Descrever a sonoridade do Carfax é como tentar explicar um roteiro de Pedro Álmodovar. Por mais que se tente, é o tipo de experiência que só pode ser descrita “a posteriori”, como diriam os filósofos. Ou seja, rotular o Carfax (e fazer com que o leitor entenda a proposta da banda) é das tarefas mais inglórias que alguém pode se submeter. Especialmente eu, que sequer sabia da sua existência. Formado por ótimos músicos, este disco de estréia do grupo consegue reunir vários estilos ao longo de suas oito canções. “Os Segundos”, música de abertura, engana, ao remeter ao ouvinte a sensação de se deparar com um álbum retrô, focado especialmente nos anos 80, com pitadas de The Cure e doses cavalares de violão. Aí vem “Lado a Lado”, com introdução que lembra a antológica “Creep”, do Radiohead, para depois flertar com o rock industrial e, finalmente, se transformar em… pop! “Retalhos” vem acompanhada da ótima voz de Ianacy Reckman, e nos resgata novamente ao pop básico, porém extremamente bem tocado e com arranjos precisos. A produção é redonda, com rara qualidade sonora para os padrões do independente local. Outro ponto positivo são as letras que, se não contém apelo literário, também estão bem longe da banalidade que tanto permeiam os textos das bandas que tocam nas FMs.

Mas o grande acerto do disco é justamente sua canção mais simples, “Até a Chuva Cair”, uma balada levada ao violão que contém uma letra tão cheia de clichês quanto bonita. Sei que parece difícil de acredita, mas por mais paradoxal que seja, é verdade. Chega a ser comovente de tão sincera, desavergonhada e descomplicada. Se tocasse nas rádios, certamente viraria hit (sem ofensas, por favor, a canção é simplesmente perfeita). Até o momento mais fraco do disco, o ska “A Muralha”, parece fazer sentido depois de ouvir o álbum todo.

Fiquei tão confuso com o fato de ter que pronunciar alguma opinião que tive que ouvir este disco várias vezes para compreendê-lo. Mas, afinal, não dizem que as grandes obras de arte são justamente àquelas de difícil assimilação ? Pompi e Ianacy, vocalistas e compositores, são sinceros quando cantam, e, num mundo cada vez mais preocupado com rótulos e imagens, prefiro me permitir a não dizer mais nada sobre o disco, a não ser que ainda o ouvirei por um bom tempo, e desta vez sem qualquer compromisso profissional. Acho que isso diz tudo.

Onde Comprar:

com a banda pelo e-mail: carfaxbanda@yahoo.com.br

Preço médio: R$ 8,00

Carfax no Pimenta Rock

——–

Posted domingo, maio 16th, 2004 under Discos.

Comments are closed.