Sociedade Armada: Hardcore Politizado

Socidade Armada (foto divulgação)

em 01/09/2004 por Hugo Montarroyos

“Tudo que é imposto gera desconforto”. A frase foi dita (ou melhor, escrita) por Fernando, da banda de hardcore santista Sociedade Armada, para explicar sua visão diante da cultura massificada. Em entrevista por e-mail, Fernando falou sobre o show do PANOROCK 2004, da expectativa de tocar no Recife e, claro, sobre política e as ações do governo Bush.

Quais as expectativas da Sociedade Armada para o show no Recife?

Bom, o Sociedade Armada está ensaiando bastante, o novo trabalho sai ainda este mês e queremos muito tocar aí em Recife. Estamos com as melhores expectativas. Não tenho contatos aí em cima (nordeste), mas o César (da insano produções) me disse que a galera gosta de Sociedade Armada. Então, o show é da galera! Seremos apenas coadjuvantes em uma festa inesquecível.

Como será o show no PANOROCK 2004?

Não temos ainda o tempo de duração do show para saber ao certo, mas estaremos mesclando músicas dos dois discos antigos e mostraremos nosso novo trabalho.

Esperamos mostrar pelo menos de 30 a 38 músicas.

Vocês se destacam pelas letras de teor político/social. Qual exatamente a linha ideológica da banda? São comunistas, anarquistas ou apenas inconformados com o atual monopólio econômico cultural imposto pelos norte-americanos?

Ao contrário de muitos, nós não carregamos nenhuma bandeira. Por experiência de vida sabemos que todos os tipos de ações, individuais ou coletivas, que todas as religiões ou formas de governo têm seu lado positivo e negativo. Muito se mescla, principalmente em um país como o nosso, que tem uma mistura de etnia muito grande e às vezes informações

e ações são passadas e realizadas de forma errônea. Por isso tentamos absorver e passar o que achamos de positivo no mundo, não carregando rótulos de “istas” de forma alguma. Somos pessoas normais de carne e osso, como todos os que nos escutam e temos a sorte de conseguir passar o que pensamos para os outros, através do hardcore. Existem pessoas que

gostam e tem os que criticam, não podemos agradar a todos, tentamos fazer o que achamos certo.

Não gostamos de atitudes autoritárias como as impostas pelos americanos, mas eles já começaram a cair, o aumento do euro, a perda da força política de Bush nessas eleições e o questionamento de líderes de outras nações sobre a forma da política externa americana abrirá os olhos de muitos. Com os atentados ocorridos em 11 de setembro, infelizmente com muitas perdas irreparáveis de pessoas inocentes os EUA já se mostram mais vulneráveis.

O que você conhece da cena hardcore pernambucana?

Não tenho muitos contatos aí, mas já ouvi algumas músicas E já li resenhas ou comentários de shows de bandas como: Democratas, Subversivos, Devotos, Rabujos, Hanagorik, Grito Suburbano, Nação Zumbi e outras que não sei a procedência.

Você acredita no poder de transformação social da música?

Acredito, pois está cada vez mais evidente que a juventude busca ações, mesmo sendo uma minoria. Através da atitude individual de cada pessoa que busca através de suas letras e músicas mostrar a realidade que acontece nas ruas e lares de menos favorecidos (mais de 80% da população brasileira). Infelizmente o que aparece em veículos de divulgação em massa são as músicas que pregam o sarcasmo, o erotismo e despertam outras formas de sentidos e sentimentos em pessoas que ainda não estão preparadas para absorver estas informações. sei que a cada dia que passa a raça humana está “evoluindo”, mas da mesma forma que devemos aprender a caminhar, falar, aprender, formar caráter e etc… Seguindo uma sequência de acordo com os níveis naturais de assimilação de informação da mente e do corpo para ter uma vida digna, deveríamos ouvir músicas apelativas, com conteúdos eróticos e emotivos a partir do momento que soubéssemos o que isso significa. é ridículo

passar na rua ou em festas e ver crianças de 6 anos dançando na boquinha da garrafa ou com roupas que não condizem com a idade. Tudo o que é imposto gera desconforto.

É isso. Se quiser acrescentar algo, o espaço é seu.

Gostaria de agradecer a força do pessoal que está se mobilizando para que tudo corra bem ai no nordeste, ao César e a todos da Insano Produções , a você, Hugo, e a todos que buscam uma vida digna. Nos vemos daqui há alguns dias para fazer uma grande festa.

——–

Posted quarta-feira, setembro 1st, 2004 under Notícias.

Comments are closed.