Carfax e Nós no Pátio

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show
CARFAX E NS NO PTIO
data: 30/10/2004 (Sábado) – local: Pátio de São Pedro
com Carfax e Nós!
Resenha por Hugo Montarroyos – Fotos por Bruno Negaum

Carfax dialoga pop com peso, ska e demais elementos
em 30/10/2004 por Hugo Montarroyos

Carfax dialoga pop com peso, ska e demais elementos

Banda faz show de pré-lançamento de “O Gosto Antigo da Novidade”

Duas bandas absolutamente distintas foram escaladas para dividir a mesma noite no projeto “Sábado Mangue”, no Pátio de São Pedro. O pop raivoso do Carfax e o oitentista Nós! levaram um público até expressivo para prestigiar os dois grupos, numa noite meio cheia/meio vazia, conforme a preferência do freguês.

A “irrotulável” Carfax foi a primeira a subir no palco. Quebraram o gelo inicial mandando o peso substancial de “Lado a Lado”, que montra apenas uma das vertentes da banda. Ali já deu para sentir a raça e o entusiasmo do grupo, que teve que tirar leite de pedra para superar os obstáculos provocados pelo pífio som local.

A seguir veio o hit “Ainda Queima” , canção que emociona pela sinceridade dos versos e pelo apelo desavergonhadamente pop. Aí começamos a ser apresentados ao grande trunfo da banda; a voz de Pompi, que, em alguns momentos, chega a lembrar o bom e velho Bruce Springsteen. Pouco depois mandaram a ótima “Retalhos” , e ficou a sensação no ar de que a banda já havia disparado prematuramente o melhor de sua munição, começando então a se perder na gama de estilos que pretendem abraçar de uma só vez

A confusa “Samba do Gatilho Doido” , por exemplo, tem uma introdução muito parecida com a de “Nêga do Cabelo Duro”, e ficamos sem saber se é samba, samba rock, funk ou sei lá o quê.

Mas algumas boas surpresas ainda estavam por vir. Uma delas foi “Retrato Coletivo” , algo como se o Led Zeppelin resolvesse subir algum morro carioca. E “Pega Ladrão” ganhou um peso irresistível ao vivo. Aliás, a performance da banda é algo que merece um capítulo à parte. Da abertura, com “Lado a Lado”, até o encerramento, com “Aqui, Ali e em Qualquer Lugar”, o que se viu foi um Carfax visceral e ao mesmo tempo extremamente radiofônico. A presença de palco deles impressiona, muito por culpa de Marcelo Pompi, que joga (toca) com o mesmo empenho de um zagueiro de time de várzea. E, no rock, vontade conta muito. Outra boa sacada é o casamento de vozes de Pompi e Ianancy Reckman, casamento este que resulta em momentos comoventes, como em “Ainda Queima”.

O Carfax trilha um caminho pantanoso. Sua proposta é dialogar com vários estilos, tentando (às vezes com sucesso, outras nem tanto) incorporar todos os elementos que abrangem o pop ao seu som. É uma banda difícil de definir, e talvez seu charme resida justamente nisso. E, acima de tudo, é um grupo muito competente ao vivo, que mostra uma consistência e uma força extremamente salutares, independente de qual estilo siga.

Depois foi a vez daquela que talvez seja a banda mais ingênua de Recife. O Nós! faz um pop-oitentista-hardcore-com-voz-de-veludo totalmente influenciados por Uns e Outros! A voz de Manoel Oliveira consegue a façanha de lembrar ao mesmo tempo Otto, Renato Russo e Francisco Alves.

Parece mais uma precoce banda do túnel do tempo, bem ensaiada, com bons músicos e tal, mas com um aspecto excessivamente retrô para os padrões vigentes. Chega a ser comovente ver um grupo se utilizar de referências tão obscuras como o legado do time relegado à segunda divisão do rock nacional dos anos 80. Os melhores momentos ficaram por conta de “Coisas do Ar” e “A Mira Jovem”, ambas ingênuas, datadas e cantadas com uma seriedade juvenil discursiva absolutamente descarada de tão simplória e bacana que consegue ser. Mas é a letra de “A Fortaleza” que de fato resume o que é o Nós!; “…você se mete no seu quarto para não se confundir com tanta confusão”. E assim ficamos nós, completamente confusos com a confusão do som do Nós! .

Não é uma grande banda, mas está longe de ser irrelevante. E só o fato de saber que tem gente que ainda acredita no que canta (por mais pueril que seja o discurso) já é um tremendo de um alívio para quem anda meio descrente com os rumos que a indústria cultural anda seguindo.

Clique na foto abaixo para abrir a PopUp com as fotos do The Carfax e Nós no Pátio:

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show

Links:
» Carfax no RecifeRock
» Nós! no RecifeRock

——–

Posted domingo, outubro 31st, 2004 under Coberturas.

Comments are closed.