Gomão Relembra sua Participação em Concursos


em 25/11/2004 por Hugo Montarroyos

Devotos, Dona Margarida Pereira e os Fulanos, Severinos Atômicos, Supersoniques, Yunkee Jump, Frank Jr O que essas bandas têm em comum ?

Todas foram, num passado remoto ou recente, vencedoras de concursos. Aliás, tal tema tem sido alvo de polêmicas ultimamente. Peguemos o exemplo do Microfonia: 388 bandas se inscrevem. Doze são selecionadas. Ou seja, sobram 376 bandas para reclamar. Das 12 selecionadas, quatro vão à final. Resumindo; as oito restantes se juntam ao grupo das 376 bandas para chiar e contestar o resultado. Claro que isso não é regra. Algumas bandas levam na esportiva e consideram que o importante é o fato de participar e de ter seu nome na mídia no período do concurso, tendo assim a possibilidade de ampliar seu público.

Polêmicas à parte, resolvemos pegar o gancho do Microfonia para correr atrás das bandas que já se sagraram vencedoras de algum concurso para saber o que de fato muda na carreira de um grupo após ele sair vitorioso em um festival.

Para abrir a série, conversamos com Marcelo Gomão, guitarrista da Vamoz! , que, em 1996, empunhando a guitarra do Dona Margarida Pereira e os Fulanos no concurso “Viva a Música”. A banda venceu o festival e ganhou o direito de gravar um disco com produção de Apollo 9 e Alex Antunes, além de um clipe produzido por DJ Dolores. Abaixo Gomão conta um pouco de suas experiências em concursos e dá a sua opinião sobre a importância de participar desse tipo de evento.

Qual a sua experiência em concursos de bandas ? De quais você já participou ?

Não me lembro exatamente quantos, mas foram muitos! Um deles, em especial, foi importante; o festival na “Nota”, promovido pelo Governo do Estado, onde a DMP “Dona Margarida Pereira e os Fulanos”, banda que eu tocava na época, ganhou. Ganhamos um disco produzido pelo Apollo 9 e pelo Alex Antunes gravado em Recife e mixado em São Paulo, além de um vídeo-clipe produzido pelo DJ Dolores, na época mais conhecido como Elder Aragão.

Vale a pena participar desses concursos ? O que muda na vida de uma banda após tocar nesses festivais ?

Ao meu ver vale a pena, dependendo da forma com que é encarada pela banda. Se ela quer ter a oportunidade de mostrar suas músicas para pessoas que teria um acesso menos provável, vale sim! Mas se ela vai com a expectativa de ganhar e ganhar, é igual a banda que é formada procurando fórmula de sucesso; está fadada à perda de identidade e muito provável à frustração.

Qual foi a maior injustiça que você já testemunhou num concurso ?

Os critérios de avaliação e as pessoas que estão nessas bancas julgadoras têm características diferentes, por isso nunca me preocupei tanto em analisar isso. O que é válido numa carreira de uma banda ou no concurso, para uma banca julgadora, pode não ser para a outra. E isso ainda se confunde com os objetivos da banda, que não são exatamente levados em consideração. Então, não tenho opinião sobre isso.

Você se arrepende de ter participado de algum concurso ?

Não, só queria tocar para mais e diferentes pessoas.

Alguns alegam que concursos são nocivos porque estimulam a competição entre as bandas, fragmentando a cena e promovendo a desunião entre as bandas. Você concorda com isso ?

Não, porque minha forma de ver a música não tem nada a ver com isso, mas depende do ponto de vista de cada banda. Se ela encarar música como competição, ELA é o elemento nocivo, para a música como um todo e para ela mesma.

Se lembra de alguma história estranha que tenha acontecido em algum concurso ?

Não me vem nada na memória ‘seqüelada’.

Que conselhos você dá para as bandas que estão dispostas a participar de algum concurso ?

Toquem suas músicas com honestidade, instigação e estejam felizes com isso, o resto é conseqüência!

Quem será o grande vencedor da final do Microfonia ?

A resposta vocês saberão aqui no RecifeRock!

Links:
» Vamoz! no RecifeRock

——–

Posted quinta-feira, novembro 25th, 2004 under Notícias.

Comments are closed.