Wonkavision (RS): ‘Ser Pop Não É Nenhum Crime’

Wonkavision (Divulgação)

em 09/03/2005 por Bruno Negaum

A segunda favorita da casa também vem do sul do país. Conheçam agora a Wonkavision!

A Wonkavision é de Porto Alegre (Rio Grande do Sul) e nesses quatro anos de estrada já lançou duas demos e ganhou o Coca-Cola Music Mixer, concurso que deu a eles a chance de gravar o primeiro cd, intitulado “Wonkavision”, que foi produzido por nada mais nada menos que John Ulhoa, guitarrista do Pato Fu!

A banda, que teve seu nome tirado do filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, é formada por quatro pessoas, dois homens e duas mulheres. Manu toca moog (sintetizador), Will toca guitarra, Grazi toca baixo, Kiko toca bateria e todos assumem os vocais. As letras falam sobre as mudanças de comportamento das pessoas e suas melodias grudam que nem chiclete!

Quer uma sugestão de trilha sonora para ler a matéria? Então, baixe agora três músicas que estão no primeiro cd da Wonkavision:

Nanana (4.96 mb), Quando 16 (4.24 mb) e Brinquedos (4.87 mb)

Fiz uma entrevista por e-mail com a banda e falamos sobre a história da banda, bandas pernambucanas e pop. Confira abaixo:

Explica pra quem não conhece a Wonkavision como é o som da banda. Que som vocês curtem e quais são suas influências?

Nós costumamos dizer que fazemos um power pop, isto é, músicas acessíveis, melodiosas com guitarras distorcidas (por isso é power) !

Cada um da banda tem suas preferências, mas gostamos de algumas coisas em comum, como Cardigans, Cake, Stevie Wonder, Teenage Fanclub, Weezer, Squirrel Nut Zippers, Queens of Stone Age… Das coisas mais recentes, temos escutado The Killers, The Thrills, Jet, The Notwist, Maroon 5. Uma banda legal que o Will descobriu recentemente é o The Cautions.

Vocês aceitam o rótulo de banda pop? O que é ser pop pra vocês?

Ser pop não é nenhum crime. Queremos ser pop, queremos que as pessoas escutem Wonkavision.

Agora, o que é pop? É um estilo musical ou é um status alcançado? CPM22 é pop, e é hardcore melódico.

Vocês ganharam o concurso Coca-Cola Music Mixer. Como foi este concurso? Vocês acreditavam que iam ganhar?

No concurso houveram três etapas. Na primeira delas um júri escolhia seis músicas entre as (por volta de 600) bandas inscritas. Essas músicas ficavam tocando em três rádios de Porto Alegre durante um tempo e no site da Coca-Cola existia a votação do público. Nessa etapa nós vencemos sendo a banda mais votada pela internet. Fomos para a final juntamente com um outro artista (Luciano Albo) que estava entre os seis primeiros classificados e que foi escolhido pelo mesmo júri. A etapa final era: durante um dia as pessoas tinham que ligar para a rádio votando na Wonkavision. Foi aí que finalmente vencemos.

Quando uma banda se inscreve num concurso é porque ela acha que tem chances de ganhar!

Começamos a acreditar que poderíamos ganhar quando vimos o grande apoio que os fãs nos deram. Isso foi muito importante tiveram até ligações interestaduais votando na Wonkavision, isso foi demais!

Vocês acabaram de lançar o primeiro cd da banda, o “Wonkavision”. Fala um pouco sobre a gravação e de como está sendo a aceitação…

A gravação aconteceu no estúdio 128 Japs, em Belo Horizonte. Esse estúdio é do guitarrista e compositor do Pato Fu, o John. Foi divertidíssimo gravar o CD com ele. O John entendeu muito bem o espírito e o clima da banda. Em geral, a imprensa fala muito bem do disco, recebemos muitos elogios e segundo alguns veículos o disco Wonkavision foi um dos melhores lançamentos de 2004. Só que infelizmente isso não é suficiente para se alcançar o grande público no Brasil, o buraco do sucesso é mais embaixo ($). Mas estamos trabalhando pra isso e acreditamos que com determinação vamos chegar lá.

Como são os shows de vocês? O que não pode faltar neles?

Vão bem, fizemos dois shows muito legais no mês de fevereiro em São Paulo com nossos amigos do Ludov, que está fazendo enorme sucesso por lá. Estamos dando um gás na nossa própria cidade agora, no Rio Grande do Sul. O que não pode faltar? O fãs, é claro! Estamos até bolando planos miraculosos de recrutamento de fãs… Huahuahuahua!

Vocês nunca tocaram no Recife. É difícil vir tocar no nordeste?

Temos muita vontade de tocar no Recife, sabemos que aí no nordeste esta cidade se tornou um pólo cultural em termos de música independente. Recebemos e-mails de fãs de todos os lugares (Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, Recife e muito mais…). Só que pra nós acaba sendo muito caro ir para Recife. Se não fosse por isso você já teria visto um show da Wonkavision por aí…

Como é pra vocês viajar pelo Brasil tocando o seu som pra uma galera

desconhecida?


É sensacional, adoramos viajar! Em geral as pessoas gostam do som e nos recebem muito bem. Além disso, temos a oportunidade de conhecer muita gente nova e bacana.

Vocês conhecem bandas de Pernambuco? Se sim, quais são?

Sim, as bandas da geração manguebeat: Nação Zumbi, Otto e o Mundo Livre. Tem o Textículos de Mary, os Astronautas, que já tocaram aqui no ano passado. Das coisas novas gostamos do Mombojó, que vimos ao vivo no CPF 2004, e do Cordel do Fogo encantado, que é fantástico.

E dá sempre pra entrar no Recife Rock pra conhecer coisa nova, né? Hehehehe

O que é que tá rolando de rock em Porto Alegre?

Muita coisa! Estão sempre surgindo novas bandas em Porto Alegre. Dá para destacar entre elas a Superguidis, que está gravando CD agora e ouvimos falar que está ficando ótimo, e a Pata de Elefante, que acabou de lançar o CD. E o hardcore da Fresno e da Alt-F4.

É isso! Se quiser acrescentar algo, o espaço é seu !

Fiquem ligados! O site da banda está cheio de novidades e deve entrar no ar no final de março. Apareçam lá!

Até a próxima!

Kiko, Manu, Grazi e Will do Wonkavision

Links:
» Wonkavision – Site Oficial

——–

Posted quarta-feira, março 9th, 2005 under Notícias.

Comments are closed.