Lançamento do Cd da Carfax

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show
LANAMENTO DO CD DA CARFAX
data: 18/06/2005 (Sábado) – local: Teatro Maurício de Nassau
com Carfax e os convidados Bárbara Jones (Rádio de Outono), Bruno Souto (Volver), Fred Andrande e PG
Resenha por Hugo Montarroyos – Fotos por Guilherme Moura

Carfax mescla pop maduro com levada rock
em 18/06/2005 por Hugo Montarroyos

Carfax mescla pop maduro com levada rock

A chuva resolveu dar uma trégua após um dia quase inteiro de toró, e o resultado não poderia ser melhor: Teatro Maurício de Nassau lotado para ver o show de lançamento de “O Gosto Antigo da Novidade” , disco de estréia da Carfax , que já vendeu mil cópias, exatamente a metade da primeira tiragem. É um feito e tanto para uma banda que não toca nas rádios, não tem clipe gravado e não conta com grande esquema de divulgação vender tal quantidade…

Outra boa constatação foi perceber o perfil do público. Parte formado de músicos de outras bandas e o resto… bem, o resto era o público da Carfax mesmo, ou seja, estamos falando de uma banda que já conquistou um bom espaço. Que outro grupo você conhece que lotou o Maurício de Nassau ?

Enfim, ao show…A banda sobe ao palco e, em formato acústico, resolve abrir a apresentação com a linda “Até a Chuva Cair” , balada que lembra os melhores momentos de um certo Edgard Scandurra. O público cantou junto, provando que boa parte dos que estavam ali tinha comprado o disco. Na seqüência, fazendo contrapeso com o clima quase minimalista de “Até a Chuva Cair”, veio o peso pop de “Lado a Lado” , e pela primeira vez na noite fez-se presente um dos trunfos da Carfax: o casamento feroz das vozes de Iana e Marcelo Pompi. Em seguida, o hit “Ainda Queima” , cantado por todo o Teatro. O jogo já estava na mão com apenas três músicas tocadas. Três canções que mostram três facetas da Carfax;

a) Capricho na hora de demonstrar simplicidade, como em “Até a Chuva Cair” ;

b) Ousadia para soar pop e pesado ao mesmo tempo, como no riff de “Lado a Lado” ;

c) Coragem para ser deliciosamente pop, e nada mais do que isso, em “Ainda Queima” .

Depois foi a vez da primeira participação especial da noite; a vocalista do Rádio de Outono , Bárbara Jones , emprestou sua voz para um dueto com Iana em “Retalhos” . A voz de Bárbara, acostumada a timbres mais leves, acabou sumindo diante da potência vocal de Iana. Mas nada que chegasse a comprometer a festa. Aliás, Iana era o retrato da felicidade estampado a olhos nus. Chega dava gosto de ver. Fazia contraste com a seriedade do ótimo Marcelo Pompi, e com um certo clima de tensão que parecia pairar sobre o resto da banda, que mesmo assim fez uma apresentação que beirou o impecável.

Bruno Souto , vocalista da Volver , entrou de violão em punho para tocar a eletrizante “Os Segundos” , numa participação que foi responsável por um dos melhores momentos da noite. Seu “duelo vocal” com Pompi e Iana deu um charme especial à música, e sua presença de palco e carisma são de fato incontestáveis.

Fechando o time de convidados, Fred Andrade , aniversariante da noite, empunhou sua guitarra a serviço do samba/pop/rock “Samba do Gatilho Solto” .

Surpreendentemente, “Pega Ladrão “, talvez a única música do disco que peque pela obviedade da letra e dos arranjos, foi o sucesso da noite, levantando o público que estava na frente do palco.

Fecharam com “Aqui, Ali ou Em qualquer Lugar” , canção que emociona sobretudo pela força instrumental e pela voz inconfundivelmente rouca de Marcelo Pompi. Saíram do palco e voltaram aclamados para o bis. Sapecaram então “Marlim” , “Nitroglicerina” e, novamente, “Aqui, Ali ou Em qualquer Lugar” . Só dois senões:

1. A banda abusa das bases programadas, o que acaba tornando a introdução de algumas músicas um pouco artificial.

2. Iana, que tem se mostrado melhor a cada apresentação, insiste por vezes em vícios vocais à la Cranberries, como em “Aqui, Ali ou em Qualquer Lugar”.

Fora isso, tudo perfeito. O show terminou com a mãe de Iana subindo ao palco para entregar uma rosa para a filha, culminando no momento mais bonito da noite. Aliás, durante a apresentação, Iana disse que “Banda que tem amigo, tem Deus”. Banda que tem talento também, Iana.

Set List:

1. Até A Chuva Cair

2. Lado A Lado

3. Ainda Queima

4. Alegoria

5. Retalhos

6. Os Segundos

7. Os Olhos Sempre Dizem

8. Corpo Fechado

9. Samba do Gatilho Solto

10. Pega Ladrão

11. Pedra E Asfalto

12. Retrato Coletivo

13. Aqui, Ali Em Qualquer Lugar

Bis:

14. Marlim

15. Nitroglicerina

16. Aqui, Ali Em Qualquer Lugar

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show

Links:
» Carfax no RecifeRock

——–

Posted terça-feira, junho 21st, 2005 under Coberturas.

Comments are closed.