Aprecie com Moderação a Banda A-Ok (PR)

em 17/10/2005 por Abner Felipe

A-OK- Divulgação

A mais nova favorita da casa é uma das maiores representantes de Curitiba no cenário brasileiro de hardcore. Apresentamos a banda A-OK!

A curitibana A-OK foi formada em 1997 e é bastante reconhecida pelo seu enérgico desempenho no palco, com músicas pesadas e melodias fortes. Tudo isso regada à boa pegada hardcore.

Nesses oito anos de estrada, eles contam com três cds; “Aprecie com Moderação” (lançada pelo Terceiro Mundo Produções Fonográficas, antigo selo do Dead Fish), “Absurdo” e o “A-OK – Ao Vivo” (lançado pelo seu atual selo, Nitroala Records) e estão em estúdio preparando o quarto. O grupo já passou por alguns dos mais importantes palcos do underground brasileiro quando fizeram turnê com o grupo alemão Spanking The Monkey e fez uma turnê pela Europa, passando por países como Alemanha, Holanda, Áustria e República Tcheca.

A banda é formada por Daniel Herbert Kruger no vocal, Thiago Straioto na guitarra, Ricardo Oliveira na outra guitarra, Raphael Adam Guarneri no baixo e Rodrigo Alves Hayden na bateria.

A-OK- Divulgação

Trilha sonora: Baixe as musicas da banda no Trama Virtual.

Tive a oportunidade de entrevistar por e-mail o vocalista Daniel e consegui arrancar umas verdades. Confiram a entrevista abaixo:

Explica pra quem não conhece o A-OK como é o som da banda. Que som vocês curtem e quais são suas influências?

Fala, Abner! Cara, o som da banda é uma mistura de tudo o que a gente curte, um reflexo do momento que passamos. Tudo o que ouvimos influencia a gente de um jeito ou de outro, não temos como escapar disso, mas a partir do “Absurdo” e principalmente agora tentamos fazer/criar músicas de uma maneira própria, sem nos prender a estilos ou gêneros musicais. Queremos que o cara escute vinte segundos da música e reconheça a banda! no final, o trabalho fica com uma boa pegada (que não pode faltar no nosso ponto de vista, pois essa é a marca da banda, é isso que nos empolga ao vivo!) somada ao feeling de quem compôs o som.

O que o A-OK tenta passar ao público em suas músicas?

Tentamos fazer a galera pensar, ou melhor, sempre tentei. Sempre me preocupei em assegurar que quem estivesse lendo iria conseguir interpretar o que eu queria passar. Escrevo letras subjetivas, às vezes letras que fazem cada um interpretar à sua maneira, que se enquadram em diversos temas e situações. Acho que amadureci um pouco mais, hoje estou escrevendo pra mim o que acho sobre temas muito comuns na vida de todos nós e que às vezes passam desapercebidos.

A-OK- Divulgação

Recentemente vocês lançaram “A-OK – Ao vivo”. Rolou alguma participação especial? Tem alguma musica inédita? Fala um pouco sobre o cd…

Tivemos a participação do Thiago, ex-Numtemcaô. O ao vivo foi lançado atendendo ao pedido de uma galera que curte o A-OK. Não pensamos que ficaria tão legal como ficou! O show foi uma loucura e antes do show começar conversamos que deveríamos atentar para não errar porque seria tudo registrado e tal. Conforme o show foi rolando todo mundo cagou pro lance, fizemos como sempre fizemos e por isso nos espantamos com o resultado final! Realmente a galera que trampou lá deu o sangue na parada e fez a diferença. O cd foi prensado exatamente como foi para a mixagem, não gravamos nada em estúdio… Acho que inovamos neste sentido.

Vocês têm oito anos de banda. Tanto na cena independente como na banda, rolaram muitas mudanças de lá pra cá?

A cena punk independente mudou muito mesmo, há uns cinco anos atrás só existia o punk rock clássico e o hardcore melódico californiano e hoje temos pelo menos uma dúzia de estilos. Com certeza hoje temos mais gente indo aos shows, mais bandas/músicos e com isso mais pessoas que se importam com o que você escreve e com a qualidade da sua execução em cima do palco, isso é bem positivo. Estamos no caminho dos países onde o “underground é independente”. A banda mudou muito também nestes oito anos, algumas mudanças de integrantes, uma evolução natural das coisas, mas o espírito continua o mesmo!

Como são os shows de vocês? O que não pode faltar neles?

Nos divertimos muito mesmo. Os shows são sempre muito espontâneos, às vezes até demais! São raras às vezes em que montamos um setlist no show, há seis meses atrás nunca montávamos, ia tudo de momento mesmo. Respeitamos muito quem curte o nosso som, por isso sempre damos o sangue, fazemos o mesmo show para uma ou mil pessoas. O que não pode faltar? Vontade e uma cervejinha gelada.

Vocês também fizeram uma turnê por quatro países da Europa. Conta como foi a experiência…

Foi uma experiência única mesmo, nunca achamos que a banda iria nos levar tão longe! Conhecemos outras culturas, fizemos muitos amigos, demonstramos que no Brasil também existem bandas de qualidade e não só samba e putaria. Recebemos muitos convites para voltar e para gravar slipts e outros projetos… A nossa volta já está agendada para 2006.

A-OK- Divulgação

Vocês nunca tocaram no Recife. É difícil vir tocar no nordeste?

Difícil não é, cara. O único problema é o tempo. Como todos da banda estão empenhados com trabalho e faculdade só temos tempo nos feriados e finais de semana. Recebemos muitos convites para visitarmos o nordeste; além dos e-mails e recados da galera, todo mês, é sagrado… Isso é muito frustrante! no ano passado tava tudo certo para passarmos 15 dias tocando por estas terras, mas daí surgiu o lance da Europa. Ano que vem, novamente vamos ocupar nossas férias em terras estrangeiras, mas estamos tentando conciliar um feriado grande para tentarmos dar as caras por aí, nem que tenhamos que dar o calote por aqui. Isso vai ter que rolar!

Soube que estão em estúdio, gravando o mais novo cd, e que está um pouco “oriental”. Como assim?

O novo cd se chamará “A-OK – Samurai”! O que posso adiantar é que não vai ter nenhuma música oriental e nenhuma letra vai falar sobre o Japão e nem tão pouco sobre ninjas ou samurais. O porquê do nome todo mundo só vai entender quando o cd sair mesmo…

Vocês conhecem bandas de Pernambuco? Se sim, quais são?

Putz, cara! Das independentes conheço o Porão GB e os Astronautas, que até tem um amigo meu que tá tocando baixo agora.

A-OK- Divulgação

O que tá rolando de Rock em Curitiba?

Curitiba é a cidade rock, cara. Toda semana tem rock pra todo gosto aqui! Faz tempo que eu não tenho comparecido muito nos shows porque estamos empenhados pra finalizar o cd, e todo mundo sai estragado do ensaio, mas sempre tem rolado eventos de médio e grande porte por aqui.

É isso! Se quiser acrescentar algo, o espaço é seu!

Gostaria de mandar um abraço pra galera de Recife que já conhece o A-OK e que sempre está acompanhando a banda e mandando e-mail e recados. Nosso último cd ao vivo foi lançado em parceria com a Empire Records, de Fortaleza, e acho que agora vai ter mais material nosso aí pra todo mundo no Nordeste. Estamos fazendo de tudo para que o mais cedo possível consigamos dar um chego por aí para recompensar toda essa galera! Um dos meus sonhos é tocar no Abril Pro Rock, tomara que um dia role! Beijão para todos!

Links:
» A-OK – Site Oficial
» A-OK noTramavirtual
» A-OK – Fotolog Oficial

——–

Posted segunda-feira, outubro 17th, 2005 under Notícias.

Comments are closed.