Lançamento do Novo Cd do Bonsucesso

Por Hugo Montarroyos em 22 de outubro de 2005

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show
LANAMENTO DO NOVO CD DO BONSUCESSO
data: 21/10/2005 (Sexta) – local: Mercado Eufrásio Barbosa
com Bonsucesso Samba Clube e os convidados Erasto Vasconcelos, Fábio Trummer (Eddie) e Jr Black (Negroove)
Resenha por Hugo Montarroyos – Fotos por Guilherme Moura

Bonsucesso Samba Clube expõe qualidades e fragilidades em lançamento de CD…
em 21/10/2005 por Hugo Montarroyos

Pode parecer besteira, mas existem dois “Bonsucessos” distintos e que de alguma forma se encontram em algum lugar. Um deles é uma banda talentosa, liderada por um frontman carismático, bom compositor e letrista. Grupo este que é capaz de hipnotizar com “Pensei se Há”, música exibida com nítida evolução a cada apresentação, climática, cheia de texturas.

Ainda no primeiro exemplo, tal banda é capaz de reunir cerca de 400 pessoas no Eufrásio Barbosa para o lançamento de seu segundo disco, “Tem Arte na Barbearia”.

Seguindo a tônica da ambivalência, o outro Bonsucesso, que se encontra na mesma banda, apresenta um grupo confuso, com um vocalista que parece se orgulhar de fazer da E.P.D. (Escola Pernambucana de Desafinados, fundada por Zeroquatro e que abriga “mestres” do porte de China), que busca propositadamente ser minimalista, quando na verdade se mostra melhor resolvido quando aposta na modernidade, quando resolve encher seu som de elementos tecnológicos, recurso que acaba por ocultar toda a fragilidade de sua sonoridade despida e mais crua, que, definitivamente, parece não funcionar no caso deles.

Enfim, o Bonsucesso Samba Clube é uma banda que traz na mesma medida defeitos e qualidades, que erra e acerta na mesma proporção, mas que deve, sobretudo, ser elogiado pela sua coragem, pelo fato de conquistar um bom público na base da independência, por buscar na gafieira a trilha sonora de suas principais composições em pleno final de 2005. Ainda que muitas vezes não funcione, é um mérito inegável uma banda formada por jovens ousar apostar em músicas regadas aos ritmos tradicionalmente de raiz, como carimbó e etc.

Bem, antes que me acusem de morder e assoprar, vamos aos fatos. Um público bastante razoável compareceu ao Eufrásio Barbosa para conferir o show de lançamento de “Tem Arte na Barbearia”. A apresentação foi dividia em duas partes. Na primeira, privilegiou-se o repertório da primeira fase da banda e teve a participação especial do excelente Publius, do grupo Azabumba, fazendo bonito com seu bandolim. Foi nessa primeira parte também que ficou evidente toda a fragilidade vocal de Rogerman. Ok, o cara é carismático, boa gente, batalhador, desbravador e etc, mas precisa melhorar um bocado como cantor. Se sua presença de palco é notavelmente segura, sua tendência à desafinação é igualmente gritante. Nada que o tempo não resolva, vide o caso de Felipe S., do Mombojó, outro que até pouco tempo era membro ilustre do clube dos desafinados de Pernambuco.

A Segunda parte, repleta de participações especiais, foi mais interessante. A começar pela ótima e subversiva versão para “Volta por Cima”, clássico samba de Paulo Vanzolini. “Sinto te Falar”, extraída do novo disco, mostrou-se ser mais uma ode à desafinação. Em compensação, “O Samba Chegou”, com participação de Júnior Black , do Negroove, foi perfeita, assim como a magistral “Pensei se Há”, que ganhou contornos jamais imaginados antes, talvez por ser a primeira vez que ouvi a canção com um sistema de som decente. Erasto Vasconcelos contribuiu para o clima de desafinação geral, mas seu carisma é tão envolvente, sua figura é tão forte e pura que simplesmente perdoamos o fato do ‘Professor’ e a banda não entrarem em sintonia em momento algum da participação dele no show. “Seu Nome Era Eu” também foi recheada de arranjos e vocais desproporcionais, mas o público não estava nem aí. Curtiu toda a apresentação da banda como se fora carnaval, e as participações de Trummer , Urêa (percussionista do Eddie), Júnior Black, Publius e Erasto Vasconcelos no final com “O Samba Chegou” foi um bonito encontro de gerações e de várias escolas olindenses.

Torço para que o Bonsucesso encontre seu caminho. Em termos de produção, distribuição, atitude e independência, tal caminho está sendo trilhado com maestria. Falta se encontrar agora na área musical. Tomara que consigam…

Clique na foto abaixo para abrir a PopUp com as fotos do Lançamento do novo cd da Bonsucesso Samba Clube:

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show

Links:
» Bonsucesso Samba Clube no RecifeRock

——–

%d blogueiros gostam disto: