Carbona E Emo. Na Casa Do Rock!

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show
CARBONA E EMO. NA CASA DO ROCK!
data: 28/10/2005 (Sexta) – local: Casa do Rock! (Antiga Casa do Frevo)
com Carbona (RJ), Emo. (RJ), Democratas, Start, Unlucky Seconds, Levant (CE) e FunPark
Resenha por Carlos Souza – Fotos por Bruno Negaum

Noite de batidas aceleradas, guitarras distorcidas, som estourado e melodias pegajosas.
em 28/10/2005 por Carlos Souza

Noite de batidas aceleradas, guitarras distorcidas, som estourado e melodias pegajosas. Foi com esse pensamento na cabeça que eu me encaminhei ao show do Carbona (RJ) e Emo. (RJ) embora tenha mudado de idéia no decorrer da festa.

O que eu vi desde o começo, foi muita gente na frente da Casa do Rock! (antiga Casa do Frevo, agora rebatizada), para ouvir o som, e quase ninguém dentro, o que me fez pensar que se você acha a cena fraca aqui em Pernambuco queridinho, é porque você mesmo não dá valor. Mas vamos aos shows…

Primeiro veio o FunPark, banda que se propunha a fazer ‘Emo’ na sua mais pura forma. no que diz respeito às letras, ingênuas, mas bem pegajosas, eles conseguiram, mas pecaram numa coisa, que também me incomodou durante quase todas as apresentações das bandas da casa: falta total de entrosamento.

Logo depois veio a Unlucky Seconds, que seguia o mesmo estilo, e me pareceu não ensaiar há um bom tempo. O som ficava meio perdido, as paradas no meio das musicas eram atravessadas e parecia que o baterista não estava ouvindo em momento algum o que os outros integrantes faziam.

E então entra a Levant (CE) em cena. Logo que começou o trabalho, eu notei uma certa semelhança no que o vocalista fazia, em palco, com um já conhecido “vocalista” nacional, o Chorão. Mas minhas impressões não ficaram só por aí, conforme o tempo passava, eu ficava mais convencido que essa banda tentava sofrivelmente ser o Charlie Brown Jr. As mesmas melodias sem graça, os mesmos vocais sem melodia, e a mesma levada popezinha.

Start

O Palco agora fica todo para os Democratas . Banda segura, começou a desfilar os riffs punks pelo salão, e animou metade das pessoas que estavam sentadas, com suas letras sociais. Foi um show certeiro, o que mostra que se você é profissional no que faz (leia-se ensaia e cria, ao invés de copiar), não deixa ficar devendo a ninguém.

Não deu tempo nem de tomar um ar direito, e a Start puxa a galera pra dentro do lugar, com uns acordes nervosos, e um som tão alto que deixava tonto quem ficasse perto demais das caixas. Tocaram musicas próprias com arranjos explosivos, e reclamaram o tempo todo do público que permanecia sentado o show todo.

Carbona (RJ)

E chegamos aos principais shows da noite, começando por Carbona (RJ) que já tem uns bons sete anos de estrada e sabe muito bem como empolgar uma platéia que embora não muito grande, – e olha que depois dos shows das bandas locais, houve um aumento de público significativo – cantava todas as musicas e até ensaiava umas rodinhas de pogo. Com uma sonoridade baseada nos punks old school, muitos riffs batidos, melodias bonitinhas e letras engraçadas do cotidiano, encorpados por uma distorção bem característica embalaram uma platéia que vinha um pouco entediada com os shows que abriram a noite. Foi um set não muito variado, mas bem nervoso, para felicidade geral da gurizada.

Emo. (RJ)

Logo depois entra a Emo. (RJ) em cena, banda que já está na estrada há seis anos, e lança seu primeiro disco “Melhores Dias ”, cheio de influências de bandas como Dashboard Confessional, e com a cara típica do “Emo” (Emotional Hardcore), falando sobre dores e amores. Eles pegaram a molecada já bem chacoalhada, mas ainda cheia de energia, e entraram com gás e muitas músicas açucaradas, para uma platéia de formigas. Não foi um show muito diferente do anterior. de novo o que mais se via, eram moleques se esgoelando pra cantar todas as musicas com a banda, e agora sim, toda a platéia cantava junto. Tocaram todas as musicas do disco, interagiram com a platéia, e ainda mandaram uma cover do Blink 182. Foi um show surpreendente pra mim, até porque já conhecia um pouco do som da banda, e achava que ia ser um show bem mais “tranquilo” e meloso. Bom, foi meloso, mas me deixou com um barulho no ouvido que ainda está incomodando.

Saldo da noite: Os shows foram sinceros, e realmente vieram para agradar a platéia. Well done. E pra vocês que ficaram fora, perderam.

Clique na foto abaixo para abrir a PopUp com as fotos do Carbona e Emo. no Recife:

CLIQUE AQUI para abrir a janela pop-up com as fotos do show

Links:
» Start no RecifeRock!
» Democratas no RecifeRock!
» Unlucky Seconds no RecifeRock!

——–

Posted segunda-feira, outubro 31st, 2005 under Coberturas.

Comments are closed.