Porto Musical – Conferências

Porto Musical alavanca negócios e capacita cadeia produtiva da música
em 15/03/2006 por Hugo Montarroyos

Porto Musical alavanca negócios e capacita cadeia produtiva da música

A Segunda edição do Porto Musical serviu para consolidar o evento como um dos principais acontecimentos do calendário de festivais do país. Durante quatro dias, em um mesmo quarteirão, era possível encontrar bandas, produtores de festivais, produtores de bandas, jornalistas especializados, sociólogos, especialistas em informática e interessados em música em geral. Até o Ministro da Cultura, Gilberto Gil , aproveitou o evento para lançar o projeto “Copa da Cultura ”, que visa levar atrações nacionais à Alemanha em Setembro.

Impossível ter a dimensão exata do volume de negócios fechados e, menos ainda, da quantidade de informação que o Porto Musical forneceu em suas palestras.

Só na base da informalidade, a reportagem do RecifeRock! presenciou programações inteiras de festivais como o Do Sol, em Natal, e o Bananada, em Goiânia, sendo fechadas. A banda cearense Fóssil fechou uma pequena temporada de shows na França. O Parafusa garantiu vaga no Do Sol e no Festival Independente do Pará , que será realizado em abril, em Belém. Tudo isso nos intervalos, na hora da cervejinha e durante os showscases.

Toda a imprensa especializada do Brasil cobriu o evento. A “Bizz”, referência nacional para qualquer cidadão que se interessa por música, mandou ninguém menos que Alex Antunes para cobrir o Porto Musical.

Óbvio que é impossível para qualquer veículo dar conta de tudo que se passa em um evento de tamanho porte. Mas tentaremos registrar aqui o que de melhor aconteceu no período em que Recife foi a capital mundial da música.

Brad Powell

Primeiro dia – E o Ministro veio…

A equipe do Ministério da Cultura , representada por Michel Nicolau e Sérgio Sá Leitão , deu uma palestra sobre a viabilidade de exportar a música brasileira. Ressaltaram a importância da música brasileira no contexto mundial, e de sua valorização no mercado externo. Mas a surpresa ficou para mais tarde. O Ministro Gilberto Gil aproveitou o evento para lançar o projeto “Copa da Cultura ”, que visa levar artistas brasileiros para shows na Alemanha. Após a assinatura do convênio, o ministro criticou a prática do jabá no Brasil e comentou a atual polêmica envolvendo a Ordem dos Músicos do Brasil , instituição que classificou como “obsoleta” e “ultrapassada”.

A presença do Ministro acabou ofuscando uma boa palestra realizada pela manhã. Ney Messias , responsável pela programação da Rádio Cultura do Pará , falou sobre a atual cena paraense, do número de bandas que estão sendo exportadas e do apoio que o atual governo dá à música local. Pelo que falou, músicos, produtores, mídia e governo caminham juntos na mesma direção, dialogam entre si é possuem um objetivo comum, que é o de levar a cena paraense ao conhecimento de todo o país. Trabalho belíssimo, mas perigoso, uma vez que as bandas ficarão dependentes do governo. Mas, por enquanto, parece que o negócio está dando certo.

Bem, não se pode cobrar mais nada de um evento que em sua abertura conta com a presença de Gilberto Gil frevando atrás de um bloco antes de entrar no Teatro Apolo. Fez lembrar a frase do Alex Antunes, em entrevista concedida a Alexandre Matias e Fred Leal: “Eu prefiro o Gil político ao Gil músico”. É, o primeiro dia foi animado.

Hermano Vianna e o Overmundo

Hermano Viana fala sobre Overmundo no segundo dia do Porto Musical

O segundo dia do Porto Musical acabou sendo o mais interessante para quem acompanhou as palestras. Logo pela manhã, o jornalista e pesquisador Hermano Vianna detalhou o que vem a ser e qual a função do site Overmundo , recém-lançado por ele e com apoio da Petrobrás . A intenção, segundo Vianna, é democratizar a informação e a produção de conteúdo cultural em todo o país. Para isso, o site conta com um correspondente em cada Estado brasileiro e, no futuro, a idéia é possuir colaboradores para postar notícias sobre os eventos culturais de suas cidades, ou seja, dar espaço a tudo que está à margem da mídia. O Overmundo, de acordo com Vianna, ainda está em fase de experimentação, e será formatado de acordo com a resposta que o site obterá. A intenção é fazer com que o usuário passe a ser também produtor de conteúdo.

Este foi também o tema da palestra dos jornalistas Alexandre Matias e Fred Leal , que falaram sobre o fenômeno do consumidor como produtor de cultura. O maior exemplo disso seria a produção de conteúdo em cima de conteúdos já existentes, ou seja, o “reprocessamento” de dados. Como exemplo, eles exibiram diversos vídeos, com destaques para a paródia feita do filme “O Segredo de BrokeBack Montain ” em cima de cenas da trilogia de “De Volta para o Futuro ”.

Silvio Meira , professor de engenharia de softwere do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco, palestrou sobre convergência digital e a importância do software hoje no mundo.

Segundo dia mais cabeça, mas nem por isso menos divertido.

Alexandre Matias e Fred Leal

——–

Posted quarta-feira, março 15th, 2006 under Notícias.

Comments are closed.