Wander Wildner na Original Olinda Night

WANDER WILDNER NA ORIGINAL OLINDA NIGHT
data: 26/01/2006 (Quinta) – local: Clube Atlântico
com Wander Wildner (RS), The Playboys e Bonsucesso Samba Clube
Resenha por Carlos Souza – Fotos por Guilherme Moura

Wander Wildner subiu no palco, ovacionado…
em 26/01/2006 por Carlos Souza

E finalmente eu me abraço com o Olinda “estaile”. Finzinho de tarde, e eu sou solicitado pra dar um chega no show que tava pra acontecer no Clube Atlântico, em Olinda. Era show do Wander Wildner, The Playboys e Bonsucesso Samba Clube. Depois das formalidades de sempre, pra entrada do show, eu que nunca tinha ido no Clube Atlântico, chapei com o lugar. É uma casa sem muros, com um espaço pra shows na frente e outro espaço na parte de trás, onde ficava rolando um sonzinho com djs, enquanto o próximo show não começava. Eu tenho que confessar uma coisa: eu tava totalmente de cara, o que pode afetar minhas observações.

Quando a gente entrou, ‘a gente’ porque eu tava com o chefão da máfia RecifeRock!, o Bonsucesso já tava tocando. Resolvi ir pro meio da galera pra ver qual é. Não levou muito tempo pra eu me sentir completamente tomado pelo peso do baixo, que fazia as entranhas balançar, dada a potência do som, e as guitarras bem postas pra aliviar a tensão que o baixo criava, o que me fez fazer um paralelo com o que eu vejo nas músicas do reggae. Sim, eu sou fã de reggae. É bom salientar que todo mundo que tava lá conhecia as letras de cor, e a mulherada em peso que tava assistindo a apresentação dançava até se acabar. Eles tocaram todas as músicas mais conhecidas, como O Samba Chegou e Pensei se Há, do seu primeiro e já bem conhecido disco. Lindo. E enquanto o show ia passando e as outras músicas iam brotando eu me sentia muito mais no clima, quase voltei em casa pra pegar uma camisa regata, uma bermuda e uma sandália de dedo. Caralho, olinda é “ixtaile”!

Na parte de trás, figuras carimbadas no cenário cultural de Recife e umas figurinhas de cenário nacional curtindo um som mais eletrônico e tomando uma cerva. O som tava bem agradável, mas o show tem que continuar. De volta ao inferno, afinal de contas a temperatura do lado de dentro era de no mínimo uns 200 graus, pra ver os The Playboys, que tinha mais a ver com a atração que fecha a noite. Atitude punk, com umas letras escrachadas, no pior sentido, e uma musicalidade tão escondida atras de “conceituações” que não dava definir o que viria pela frente. A galera compareceu e agitou o show inteiro, embora só algumas pessoas na frente do palco cantassem algumas musicas, a maioria estava de ‘boca aberta’ ou apenas rindo (muito). É impossível não citar a música Paulo André não me Ouve, uma alfinetada hilariante, num dos produtores mais afamados daqui. Foi tosco pra caralho… Eu já tinha entrado no clima, e só fiz o que se tem que fazer numa hora dessas. Olhar e rir muito.

Aí depois do show completamente “bagaceira ensaiada”, veio “grand finale”. Wander Wildner subiu no palco, ovacionado. Nunca vi aquilo. Começou a tocar sozinho… Tocou cinco musicas, apenas voz e guitarra pra acertar as coisas do som, e aproveitou pra afinar a galera também. Apareceu gente de tudo quanto é tempo, fãs da época que ele tocava no Replicantes, até a galera que gosta da parte mais “balada sangrenta” do sujeito, e todo mundo cantava todas, e eu não estou exagerando, TODAS as musicas. Diversão pura!

Depois de cinco músicas, parte do The Playboys voltou ao palco pra dar uma ajuda como banda de apoio, ninguém ligou que a banda mal tinha ensaiado as musicas. Afinal de contas, clássico não precisa ser ensaiado. E o negócio fluiu como tinha que fluir, como uma tosqueira majestosa. O humor ácido das letras fazia pensar em como as coisas são simples de se ver. O cara é tão clássico que não que falar das músicas separadas. Todo mundo conhece, e todo mundo gosta. Mantra das Possibilidade, Bebendo o Vinho, Não Consigo Ser Alegre o Tempo Inteiro. Quase um Alcoólatra, Empregada, Lonely Boy, Bervely Hills, Minha Vizinha, Rato de Porão, Mavericão, Hippie-Punk-Rajneesh, Camiseta Escrita Eu Te Amo, On the Road… E se tu não conhece pelo menos cinco dessas aí, vai procurar!

Clique na imagem abaixo para abrir a PopUp com as fotos do show Wander Wildner na Original Olinda Night:

Links:
» The Playboys no RecifeRock
» Bonsucesso Samba Clube no RecifeRock

——–

Posted quarta-feira, março 15th, 2006 under Coberturas.

Comments are closed.