RESENHA: Mellotrons – Mellotrons

Mellotrons - Mellotrons - 2006

MellotronsMellotrons (2006/Independente)

O disco de estréia do Mellotrons sofre de um problema curioso: é “apenas” o registro da primeira fase da carreira da banda. O Mellotrons de hoje já não tem mais nada a ver com o grupo que toca no álbum. Eles mudaram o estilo e trocaram as referências. Agora, a banda canta em português e bebe na fonte do mineiro clube da esquina. Qual o problema? A princípio, nenhum. Mas a verdade é que o disco já nasce com sabor de águas passadas. Será difícil ouvir ao vivo o mesmo Mellotrons do primeiro disco. Aí fica a dúvida se tal atitude é corajosa ou equivocada. Porque o disco beira a perfeição. Bem tocado, gravado e arranjado, o CD traz o grupo apostando nas microfonias e distorções como instrumentos a mais em sua formação. E as influências de outrora estão todas ali: My Bloody Valentine, Radiohead, Smiths e Nada Surf. Tem pinta de disco gringo, e talvez por isso eles tenham deixado essa fase para trás. Recife (o Brasil) ainda é cruel com esse tipo de som e com quem canta em inglês. E é engraçado, pois temos aqui o melhor disco de estréia de uma banda pernambucana desde o primeiro álbum do Vamoz! A vantagem de levar quase uma década para entrar em estúdio é que quando você o faz já está com repertório amadurecido e sabendo exatamente o que quer. Embora aqui seja o caso de dizer que o álbum passou do seu tempo, já que a banda adotou outra linha estética. Apesar do problema temporal, o que já era muito bom ao vivo ficou ainda melhor em disco. Evening ganhou o auxílio de palmas e ficou mais pesada. You and I e Slow Motion cresceram assustadoramente em estúdio. E a opção de jogar camadas noise em partes mais melódicas reforça a saudade que não sabemos ainda ao certo se devemos sentir.

Enfim, um disco perfeito de uma banda que não existe mais. Ou existe? O que ainda irrita um pouco no Mellotrons é uma certa atitude indie/blasé. A capa é ininteligível. Não dá nem para ler direito o nome da banda. O encarte também não ajuda. Quem não conhece o grupo será obrigado a adivinhar o nome das músicas. Apenas um “mellotrons” minúsculo enfeita a lateral do disco. Ok, é bonitinho, é diferente e tal, mas é também de uma inutilidade gritante. Se a intenção era não vender nenhuma cópía, acertaram em cheio. Uma pena, pois a música deles deveria ser compartilhada com todos.

Cotação: Bom (4/5)

Escute: Mellotrons – Evening

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


Escute: Mellotrons – Tongue

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Melltrons (foto de divulgação)

Posted sexta-feira, maio 11th, 2007 under Discos.

28 comments

  1. taí! fiquei curioso, pra caralho… só conheco mellotros por aki – reciferock- e achei que evening é uma das melhores musicas (não só de PE) do brasil dos ultimos anos. Finalmente vou atras pra comprar um cd original de uma banda nossa, o ultimo que comprei foi astronautas.

  2. hum… parei pra pensar. onde vou achar esse disco? oficina? alguem sabe de outro lugar?

    e já que não falei antes: valeu Hugo, bela resenha!

  3. Israel, já vi pra vender lá na Livraria Cultura. Tem uma seção lá só de bandas de Pernambuco.

  4. Guilherme Moura says:

    Tem o cd completo para download no Tramavirtual:

    http://www.tramavirtual.com.br/mellotrons

  5. caro hugo,

    obrigado pela crítica.

    com relação à capa, acho que você está sendo muito estreito na sua visão. o primeiro disco do joy division não tinha o nome da banda na capa. a maioria dos discos do new order não tinha o nome da banda na capa. e eles não deixam de funcionar bem por causa disso.

    a história prova também que alguns dos discos mais vendidos da história não tinham o nome dos artistas na capa ou contra-capa. alguns exemplos:

    – pink floyd – dark side of the moon (15 milhões de cópias)
    – metallica – metallica (14 milhões)
    – led zeppelin – led zeppelin 4 (23 milhões)

    acho que estes números, por si, provam que não é a capa do disco que vai impedí-lo de ser um sucesso de vendas. e, mesmo que fosse, somos uma banda independente e fizemos uma tiragem de apenas mil cópias.

    e, com relação à questão da música ser compartilhada por todos, tudo que eu tenho para dizer é que o disco está disponível para download gratuitamente no trama virtual e no nosso site. além de ser vendido a um preço que, na prática, nos impede de ter qualquer lucro.

    abraço,

    haymone.

  6. Andre Intruso says:

    Eu posso falar???????

  7. Haymone,

    talvez eu tenha sido realmente estreito com relação à capa. Mas os exemplos que vc citou são de bandas que estavam mais do que estabelecidas quando ousaram em suas “não-capas”.
    Massa que vcs tenham disponibilizado o álbum todo!
    Na verdade foi mais um desabafo. Fiquei com a capa entalada desde que vc me entregou o disco no Festival de Jazz. Mas dane-se tudo isso. Que bom que estamos debatendo sobre a capa, e não sobre o conteúdo dele.

    Abraço e sucesso!

    p.s. André, vai chupar limão :)

  8. Onde tem “debatendo”. leia-se “discordando”.

  9. “O Mellotrons de hoje já não tem mais nada a ver com o grupo que toca no álbum. Eles mudaram o estilo e trocaram as referências. Agora, a banda canta em português e bebe na fonte do mineiro clube da esquina.”

    :(

  10. Andre Intruso says:

    Hugo

    Eu continuo bebendo na fonte do boteco da esquina……………com limão!!egheheheheh

  11. Andre Intruso says:

    Esqueci !

    Hugo, vou mandar a capa do primeir cd dos Intrusos pra voce comentar!

  12. Acho o cd da mellotrons, ótimo, a capa é só um detalhe, sucesso pra banda!

  13. Hugo,
    não gosto do Melotrons, mas o cara botou no teu cu.

  14. a capa do cd chama a atenção justamente pela clareza,apenas o nome em braile.

    gostei pacas.

  15. Adoro a Mellotrons e torço pra que continue maravilhosa como é, mas o EP (c/ Automatics)está bem melhor, mais cru, duro, clean.
    Sucesso à banda.
    Valeu o comentário, Haymonne.
    Abs.

  16. que nada Gil. Ninguém aqui tá pra fuder ninguem, é so uma conversa (admito que as vezes um pouco aspera) de pessoas que amam PE e sua musica.

    Porra, quanto a capa gostaria de me manifestar! acho que ela chama atenção justamente pela simplicidade.

    imagine-se numa loja enorme, de frente pra uma pilha enorme de cds, vc olha pra capas e vê o seguinte:
    * uns 30 com alguma mulher gostosa
    * outros com carrões e uns caras fazendo cara de mal
    * alguns que juram que tão fazendo arte
    * alguem fazendo alguma palhaçada
    * e 1 (somente um ) todo branco, sem quase nada

    é claro que vc vai olhar pro cd sem nada, pegar tentar ler a musica atras. Mas tou com hugo, se o cara não conseguir identificar a banda -o que parece ser o caso, desculpas por ainda não ter visto- não vai servir de muito pegar na mão e olhar com carinho.
    A capa é boa, chama atencão de um modo especial. mas… vou deixar pra comentar mais quando olhar de perto. flw

  17. André Soares says:

    Bom,
    não curti muito ficar trinta minutos procurando o cd do mellotrons na livraria cultura.

  18. O Pink Floyd, o Led e o Metallica já eram bandas pra lá de estabelecidas quando lançaram os discos citados pelo rapaz com nome de moça e as três estamparam seus nomes em seus primeiros discos. Só sobrou o Joy Division e o New Order pra comparar, que são bandas diferentes com praticamente os mesmos integrantes.
    To achando que quem levou no rabo aí não foi o Hugo.

  19. Andre Intruso says:

    Vamos parar com essas comparaçoes…
    Voces estao falando de Pink Floyd, Led Zepellin, Metallica dentre outros, parecendo que estao falando de qualquer bandinha sem identidade e copiosa…
    Perae…

  20. pelo menos respeitem a atitude e a opção de liberdade artística de cada banda. parabéns pra eles! falow!

  21. Johnny Hooker says:

    Hugo, muito superficial a tua resenha viu?!
    E tenho dito.

  22. Rafael Nogueira says:

    Superficial, johnny?

    Eu acho que ele devia dizer que o mellotrons de hoje é, infelizmente, uma evolução psicodélica do roupa nova, com “tchururu” e tudo mais, e com a mesma bossalidade de sempre.

    Bossalidade à parte, o disco é sensacional. Boa sorte na nova fase. E a capa é estranha, mas tem lá o seu charme.

    e esse ar blase, as vezes shoegazzer só fode a imagem da banda. dica de amigo =)

  23. Johnny,

    vc é fã, não vale :)
    Mas concordo com vc. Já fiz melhores. Nem sempre a gente acerta.

    Abração!

  24. até hoje eu sou extremamente curioso pra entender essa coisa de que o mellotrons é bossal e blasé. pq, essas de longe são as duas coisas que eu mais odeio nas pessoas.

  25. Johnny Hooker says:

    Ah eu sou fã mesmo. Hehehe
    Albúm fantástico!

  26. cada um faz o som que quer si o som mudou foi por que os caras mudaram.

    http://www.carbucorock.zip.net

  27. opa… como disse la em cima ia comentar depois ki comprasse o cd e escutasse na moral!

    n.º1 – foi foda pra achar.. xeguei na cultura. procurei, procurei e nada de achar. tava na letra certa secçao certa! mas num tava lá. chamei o vendendo, que tb procurou pra carai e desistiu ai foi perguntar pra outro vendendor. o cara disse ki tava no alto(nakela parte que ficam os destaques), mesmo nessa hora o vendedor que estava comigo não reconheceu o cd, mas eu ja tinha visto aki no reciferock reconheci…
    fato : a capa complicou

    n.º2 tirando o fato de ser foda de reconhecer a bando o cd ta do carai, a arte eh boa, inusitada, diferente, massa!

    n.º3 faltou as letras… sei ki da pra achar pela net e tal… mas eh sempre bom ter no encarte

    n.º4 O SOM tá do caralho, limpo, bonito e aprovado.