Ludov faz shows no Nordeste

Ludov (foto de divulgação por Caroline Bittencourt)

Foi necessário aparecer inúmeras vezes na MTV para uma banda de rock alternativo de São Paulo e com boa experiência de palco ultrapassar a fronteira de seu estado e se tornar conhecida em outras capitais do Brasil. De fato, ao ganhar um prêmio no Video Music Brasil e botar dois clipes na parada do Disk MTV, o Ludov deu um salto à sua carreira musical, iniciada há quatro anos atrás.

Formado em SP em 2003 por Vanessa Krongold (vocais e violão), Mauro Motoki (vocais e guitarra), Paulo “Chapolin” Rocha (bateria) e Habacuque Lima (baixo), o grupo já gravou o EP Dois a Rodar, em 2003, o CD O Exercício das Pequenas Coisas, em 2005 e em junho deste ano lançou o Disco Paralelo, cujo trabalho vem sendo bastante elogiado pela crítica musical nacional. Tome como exemplo os elogios que o grupo recebeu do Correio Braziliense e da Folha de S. Paulo. Também, não é por menos: Disco Paralelo é um álbum completamente Maybees (só ouvindo para entender o termo), ou seja, nos primeiros momentos do CD você já sabe o que está por vir, músicas proeminentes do underground paulista, só que bem pops daquelas que lhe fazem cantar junto.

Como todo novo trabalho é sinônimo de turnê, a intenção do Ludov é se apresentar por todo o país e, logo logo, a banda poderá fazer um show aí pertinho da sua casa. Verdade verdadeira. No dia 13 de julho, por exemplo, o Ludov chega ao Nordeste para dois shows. Depois que se apresentar em Fortaleza, no dia 13, no Órbita Bar, próximo ao Dragão do Mar, O grupo toca dia 14 em Natal, na prévia oficial do Festival DoSol, no DoSol Rock Bar. Enquanto os paulistanos não chegam por aqui, você pode conferir a conversa que eu tive com o baterista Paulo “Chapolin” Rocha.

Trilha sonora: Ludov – Rubi

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Como a banda se conheceu?
O Habacuque e o Mauro se conhecem desde pequenos. Os dois nasceram em Brasília e estudaram juntos lá. Eles vieram a SP fazer faculdade, e o Habacuque estudou na mesma faculdade que eu e a Vanessa. Nos conhecemos lá na faculdade mesmo.

Qual seria a maior influência do Ludov?
O Ludov é uma banda bem plural. Cada um tem uma influência diferente, e na maioria das vezes as influência não vem de outras músicas, ou compositores, e sim do cotidiano, do que estamos vivendo, do que estamos assistindo no cinema, ou do livro que estamos lendo.

Vocês ficaram conhecidos no início da carreira por que a banda começou a ganhar espaço na MTV Brasil e já colocou dois clipes na parada do Disk MTV. Além disso, ganharam um prêmio no Video Music Brasil em 2004 com o clipe “Princesa”. Vocês teriam a mesma repercussão sem a MTV?
Eu gostaria de responder “SIM” com convicção, mas acho que nunca saberemos, não é? A MTV foi muito importante para o Ludov, mas acredito também na nossa competência. Sempre fizemos tudo muito bem feito. Gostamos de dar palpite em tudo, de aprovar tudo que sai relacionado com o Ludov, e acho que esse padrão de qualidade que temos, e que não é pequeno, pode ter sido o grande responsável pelo nosso sucesso na MTV. Talvez, se fôssemos mais desencanados em relação a isso não teríamos conquistado tanto.

Que banda atual vocês gostariam de dividir o palco?
Hmmm. Difícil, né? Tem tanta gente boa… Não temos nenhum sonho grandioso de dividir o palco com alguém, mas as bandas mais próximas e legais que conhecemos sempre são convidadas pra abrir algum show nosso. Em São Paulo mesmo temos um projeto semestral que se chama “Ludov Convida”, onde chamamos uma banda de fora para tocar com a gente.

Por que as pessoas deveriam ouvir Ludov?
Primeiro de tudo somos uma banda muito esforçada. Muito sincera. Não estamos com o rabo preso com ninguém, tocamos as músicas que gostamos do jeito que gostamos, e prezamos acima de tudo a integridade criativa. Acho que só isso já é um bom motivo pra se ouvir o Ludov. Se você vai gostar ou não, aí já é outra história…

Dia 13 em Fortaleza. 14 em Natal. O que o público pode esperar desses dois shows do Ludov no Nordeste?
Com certeza um show com muitas músicas novas, e uma banda que está sedenta de shows, já que ficamos parados 6 meses só pra preparar esse disco novo.

Como tem sido a turnê pelo Nordeste? Dá para conhecer as cidades ou é só viagem, passagem de som e show?
Já fomos algumas vezes tocar no Nordeste, e quase sempre é aquela correria. Chega no mesmo dia do show e vai embora na manhã seguinte. Isso acontece para viabilizar os shows. Procuramos sempre fazer mais de um show, já que estamos por essas bandas. Uma vez fomos tocar em Salvador e não vimos nem o mar. Fomos do aeroporto pro show, depois pro hotel e depois de volta pro aeroporto. Mas sempre que possível ficamos um dia a mais nas cidades pra conhecê-las.

Recife?
Recife é especial pro Ludov, pois foi lá (estou falando de São Paulo) que tivemos nosso maior público até hoje, no Rec-Beat. Naquela ocasião ficamos mais uma semana na cidade pra conhecer o carnaval, ver o Frevo em Olinda, ir à Porto de Galinhas, Ilha de Itamaracá, tivemos a oportunidade de ir ao museu do Brenan, e conhecemos o pessoal da Rádio de Outono que se tornaram grandes amigos.

O Disco Paralelo é um álbum que está sendo lançado pelo selo da Mondo 77. Qual a grande vantagem de fazer parte de selos?
A grande vantagem de fazer parte de um selo pequeno como a Mondo 77, é poder viabilizar estrategicamente o lançamento de um CD. Note que eu não coloquei viablizar financeiramente, pois a grana é curta pro selo também. A idéia aqui é pensarmos juntos na melhor estratégia pra investir nosso curto dinheirinho! Vemos a Mondo e o Gustavo (dono do selo) como um parceiro que acredita na Banda e está disposto a fazer o possível para que esse CD chegue ao maior número de pessoas. Conheço alguns selos por aí que só pensam no retorno financeiro a curto prazo, e se um disco não vende como eles haviam planejado já é considerado um fracasso. No caso da Mondo, ela vê o sucesso de forma diferente. Veio no momento certo e está a favor da maré. O MP3 para o selo, assim como para a gente, é um impulsionador. Hoje as pessoas ouvem, gostam e depois disso se acharem que vale a pena elas compram o CD. E é por isso que o Mondo está fazendo questão de colocar os CDs nas lojas a R$ 15,00 (aproximadamente). Portanto se você quer comprar o CD do ludov e está mais caro que isso, pesquise, pois já tem lojas virtuais vendendo a R$ 15,90, e entregando em todo Brasil. Além disso a Mondo trabalha também com a Inker Squat, uma empresa que faz toda nossa assessoria de imprensa, e produção de shows. As meninas da Inker Squat já eram velhas conhecidas nossas, e são acima de tudo muito competentes. Elas foram um ponto importantíssimo pra fecharmos com a Mondo 77. Hoje são a Inker junto com a Mondo que viabilizam todas as nossa loucuras.

O que significa esse CD para suas vidas e para a sua carreira?
O EP Dois a Rodar (2003) e o CD O Exercício das Pequenas Coisas (2005) eram um apanhado de músicas de vários anos e momentos diferentes. Já esse trabalho foi composto todo junto. E isso foi animal! O Disco tem uma coerência absurda apesar da diversidade rítmica contida nele. Você, ao ouví-lo vai notar uma mudança radical nas composições e nos temas abordados. E isso reflete o momento que estamos. Pra nossa carreira é um trabalho mais coeso, menos detalhista, mas ao mesmo tempo mais “maduro” (todo mundo evita essa palavra, mas no momento não tenho outra). Para as nossas vidas é um objetivo a mais conquistado, uma experiência que somou-se na nossa existência. Foram meses de trabalho duro, alegrias, discussões, convencimentos, aceitações, cobranças, abraços e acima de tudo sorrisos.

Qual foi a parada mais bacana que aconteceu com o Ludov recentemente?
O disco foi gravado no Rio de Janeiro. Com o produtor Chico Neves, que até então era uma utopia para nós. Ele já havia trabalhado com bandas grandes que admiramos muito e o bacana foi conhecer a pessoa incrível que ele é. Com sua mineirice, ele fez com que ficássemos muito tranqüilos no estúdio. Pilotou as gravações de maneira muito produtiva e pouco estressante. Saíamos todos os dias pra tomar um chopinho e só por considerá-lo hoje um amigo já é uma das coisas mais bacanas que aconteceu com a gente nesse ano.

Links:
www.ludov.com.br
www.mondo77.fm

Por Cleyton Brito

Posted quarta-feira, julho 4th, 2007 under Notícias.

Tags:

12 comments

  1. Ludov vem pra Recife, please.
    Amo muito vocês,caras. O Brasil precisa de mais bandas alternativas como vocês.

  2. que bosta, li rapido, pensei que era ludovic

  3. a vocalista é uma gata e tem uma voz massa!!!

  4. ha… tinha que vir pra recife.
    vale a pena.

    ..
    *

  5. cara o jeito é passa na mtv mas si é assim que mais bandas passem na mtv.

    http://www.carbucorock.zip.net

  6. Guilherme Carvalho says:

    Muito caro trazer eles, não sei se vale a pena.
    É quase certo levar um prejuizo daqueles.

  7. Quem ta sabendo da vinda do Scorpions pro Recife?
    Vai ser muito foda. Pelo menos um clássico de vez em quando. Acho que pelo menos da pra abrir caminhos para outras grandes bandas no Recife no futuro.

  8. Guilherme Carvalho says:

    Quem eh que ta trazendo Scorpions?!
    Onde será o show??

  9. Oi Guilherme Carvalho, o show de Scorpions vai ser no Classichall, o show já está confirmado e vai ser no dia 11 de agosto. Os ingressos estarão a venda a partir de segunda feira (09/07).

    Vamos divulgar isso aew Reciferock!

  10. Mas quem está produzindo o show?!

  11. o produtor!

    ;)

  12. Guilherme Moura says:

    É a Astronave (que produz o Abril Pro Rock) que tá trazendo o Scorpions.
    rock!