Tapa na Orelha – Murro no coração

Ontem perdi uma das pessoas que mais admirava e respeitava na vida. Mas, por incrível que pareça, com toda a dor que eu esteja sentindo por isso, não foi o pior. O pior foi ver a pessoa que mais amo na vida, a mulher de coração mais puro e verdadeiro que o destino já colocou em meu caminho, sofrer pela perda da pessoa que ela mais amava. E eu estava de mãos atadas. Via meu bichinho chorando (ela parece um bichinho desamparado às vezes, e este é parte do seu charme) sofrer avassaladoramente por dentro e eu não podia fazer nada, não tinha poderes para ressuscitar a pessoa que ela mais amava na vida (e tinha motivos de sobra para amá-lo).

E descobri que tal dor, a de ver a pessoa que ama perder quem mais ama, é tão brutal quanto a morte.
Guilherme Moura costuma dizer que me exponho muito aqui no RecifeRock! Diz que não tem nada contra, mas acha que eu deveria ser mais reservado.
Infelizmente, sinto a necessidade de compartilhar e de gritar a minha dor para o maior número de pessoas possível. Para gente que não me conhece e que gosta de mim. E para os que não me conhecem e que não gostam de mim.

O fato é que depois de 49 dias de UTI, com esperanças comemoradas, derrotas sofridas e o triste final, minha leitura das coisas passou a ser outra. Passei a enxergar todo o resto – fora a morte e a dor que ela nos traz – contornável, menor.
Esta coluna é para servir de desabafo e falar de tolerância. Logo eu, que uso muito de intolerância aqui no RecifeRock!

Queria pedir sinceras desculpas a todos que de certa forma ofendi e magoei aqui com minhas críticas. Queria que soubessem que não foi/é pessoal. Queria que soubessem que sei que passei dos limites muitas vezes, e que escrachei muita banda/artista pelo mero prazer sarcástico e pessoal de fazê-lo, embora pensasse tudo aquilo que escrevi mesmo. Mas entre pensar e publicar para o mundo todo ter acesso vai uma grande diferença.

Espero não ter prejudicado ninguém, não ter estragado a carreira de nenhum artista, embora me sinta muito insignificante para ter tal poder, mesmo tendo consciência de que tenho o poder de falar para muitos e de influenciar alguns poucos. No fim das contas, por incrível que pareça, gostaria de ser mais tolerante. E, pior, de ver uma crítica (estou falando de toda a crítica do planeta) mais humana e menos perversa, mais construtiva e menos sacana. Enfim, mais respeitosa.

Sei que é estranho logo eu pedir tal coisa, mas hoje acho toda forma de desmoralização desnecessária, e sei que desmoralizei o trabalho (nunca as pessoas) de muita gente. Minhas sinceras desculpas.

Tenho 32 anos, e aprendi em 49 dias o que uma vida inteira não foi capaz de me ensinar, ou que eu simplismente não tive humildade e capacidade para aprender com ela. E aprendi da forma mais dolorosa, pois sou daqueles sujeitos que precisam visitar o inferno para enxergar o óbvio. E o óbvio é que a morte é maior e mais importante do que todas as ninharias que costumamos nos apegar, e que nos definimos como pessoas através das pessoas que ganhamos e perdemos na vida. E, no meu caso particular aqui no site, que ninguém tem o direito de humilhar e desmoralizar ninguém. E acabei desmoralizando indiretamente muita gente através das minhas críticas aos seus trabalhos.

No fim das contas, tive de acompanhar lentamente a morte de um ser tão especial de perto e de ver o meu bichinho sangrar por dentro para enxergar o óbvio. Precisei levar um murro no coração para que ele se tornasse um pouco mais humano. Humano como o mais humano dos humanos que já conheci. Talvez um dia eu chegue lá.

Esta coluna é dedicada a Cleto Holanda, de quem não enxerguei outro sentimento em seu olhar durante dois anos de convivência que não fosse amor, para tudo e para todos.

Posted quarta-feira, agosto 29th, 2007 under Tapa na Orelha.

11 comments

  1. Poxa hugo.queria te dar um abraço agora…
    fica bem!

  2. Manuca(Relles) says:

    Olá Hugo, meus sinceros sentimentos a sua familía…realmente a vida é muito curta e a gente deixa certas ninharias ocuparem bastante tempo…Falo isso pq perdi alguém muito importante em Agosto do ano pasado…e ainda dói muito!!! De certa forma aprendi e amadureci muito durante esse curto tempo, entre essas coisas que “A vida não alisa pra ensinar”tudo que posso te dizer é fé em Deus e trabalho e toda vibe positiva pra vc…Um enorme abraço!!!!Seu trabalho é muito importante nós músicos e adoradores da música!!!Fica c Deus!!!

  3. Hugo,
    ficam aqui meus sentimentos e desejo muita força nesse momento para superar essa imensa dor que muda tanto nossas vidas.

    Achei sua atitude muito corajosa de se abrir dessa forma escrevendo algo tão sincero, e ainda pedindo desculpas por tantas críticas intolerantes (segundo voce mesmo mencionou).

    Infelizmente as vezes precisamos que a vida nos sacuda para acordar um pouco…mas, segue em frente que com certeza ísso vai te enriquecer como ser humano e tambem como profissional!!!

    Fica bem e abraços,

  4. Andre Intruso says:

    Hugo

    “Nao pense que a cabeça aguenta se voce parar”

    Força !!!!!

  5. ★ Rockstar says:

    Na nobreza da tua atitude se renovam esperanças de um mundo melhor… Obrigado pelo valoroso EXEMPLO amigo, que dele se faça o norte de nossa longa jornada.

    Abração…

  6. Meus pêsames, meu velho

    E que você fique bem e dê força a pessoa que ama, que deve tá precisando e muito do seu amparo.

    Levanta a cabeça e siga em frente!

    Um abraço Hugo!

  7. Você resumiu o que realmente vale a pena ser dito, de verdade, meus sentimentos e respeito.

  8. Sérgio Souto Maior says:

    Tô contigo meu velho.Mesmo distante e nas distância, sei q nutrimos um respeito e um carinho mútuos.
    Não esperava ler aqui o q nem eu como seu amigo tive oportunidade de descobrir mas confesso q é um exemplo.Por razões distintas ou nem tanto,estamos começando a viver o q é preciso viver.Conta comigo pro q precisar.Um beijo pra vcs.

  9. Felipe (The Keith) says:

    Minhas condolências. Abração velho

  10. fica com Deus cara!so ele nos ampara!e nos conforta, não fique triste………….

  11. Lara comentou ontem sobre esta homenagem que vc fez a tio Cletinho. De fato ele foi ou é (pq é dificil acreditar que ele não está mais aqui) uma das pessoas mais doces, atenciosas e transbordantes de amor que já conhecí.
    A ausência dele é dificil de aceitar e acreditar mas agradeço a Deus tê-lo tido em minha vida…
    Valeu pela homenagem… ;)
    Beijo!