Entrevista – Project 666

Por Hugo Montarroyos em 8 de abril de 2008

Project 666 (divulgação)

Eles têm entre 25 e 27 anos, mas já transitam no universo metal de Pernambuco desde que tinham 15 ou 17 anos, em bandas como Sick, Pecapta e Nor-k. É da junção de integrantes dessas bandas e de experiência acumuladas em anos no cenário metaleiro local que surgiu há dois anos o ótimo Project 666, que toca no Abril pro Rock na sexta-feira, dia 11. Conversei por e-mail com Eduardo, baterista da banda, mas o grupo fez questão de enfatizar que todos os integrantes participaram das respostas. E avisam: “vamos colocar o Chevrolet Hall no chão”. Este repórter, que acompanhou de perto todas as bandas que deram origem ao Project 666, não duvida nem um pouco. Abaixo, a entrevista.

O Project 666 é uma banda bem nova, mas seus integrantes já passaram por diversas formações, e, apesar de jovens já têm uma história construída no cenário pesado de Recife. Como surgiu a idéia de montar a banda?
A média de idade dos integrantes do Project 666 é de 25 a 27 anos. Tocamos metal há pelo menos 10 anos e, neste período de tempo, aproveitamos muitas coisas e reciclamos outras no imenso universo de gêneros que existem dentro do metal.
O Project 666 é basicamente um resultado deste amadurecimento. A idéia de montar este projeto surgiu com base na proposta de se construir uma banda de metal instrumental. Após quatro meses de formação, a gente viu que precisava ampliar as possibilidades de fazer música, foi assim que entraram Colaço, como vocalista, e Renato, na segunda guitarra.

Quais são as principais influências da banda?
Internet. Quando começamos a escutar metal, pra comprar um cd de determinado artista/banda, o cara tinha que gastar uma nota preta numa versão importada ou fazia uma cópia, com capinha e encarte impressos, numa daquelas lojas de discos no centro da cidade do Recife. Atualmente, temos discografias completas baixadas na rede de “n” bandas. Hoje, a gente conhece e absorve o som de bandas novas no myspace, orkut, e blogs da vida. Cada um de nós sempre passa um som novo para o outro membro do Project 666. Foi assim que conhecemos bandas como Tony Danza Tapdance Extravaganza, Carnifex, Dillinger Escape Plan. E logicamente não podemos deixar de lado as pedras do metal que também são fortes influências em nossa sonoridade (ai a lista seria imensa).
A parte social e humana também conta muito. Fatos corriqueiros da cidade, como um stress no transito ou um assalto violento (no programa “Ronda Geral” sai cada coisa muito trash!) também influenciam pra caralho na composição. Tem vezes que chegamos num ensaio e algum integrante está puto da vida, com raiva de um “dia ruim”, e o rumo da parada acaba saindo mais trancado, raivoso. E essa “agonia” a gente solta nos instrumentos.
Como será o show do Abril pro Rock?
Beleza, vamos lá: Dezesseis anos do festival Abril pro Rock. Eu lembro do APR quando ainda era no Circo Maluco Beleza. Engraçado estar do outro lado agora. É aquele sonho que todo músico recifense tem, ou melhor, do país inteiro, que trabalha e rala como independente. Mas também temos uma meta a cumprir, depois disso vai depender da gente divulgar ainda mais a banda, só assim vamos alcançar níveis mais altos de profissionalização.
Ensaiamos duas vezes por semana já faz mais de um ano. O repertório está dividido em dois blocos: um com as músicas do primeiro EP, “Demolition Project”, e o outro com o single “DownGod” e mais algumas músicas novas. Se der tempo ainda vamos arriscar um cover…

Acha que, de certa forma, que a apresentação de vocês no Pátio do Rock de 2007 os credenciou para o Abril pro Rock?
Sim. De certa forma. Teve um público legal na hora em que estávamos tocando. O show foi muito bem estruturado e nosso técnico de som também ajudou muito tirando “leite de pedra”.
Acho que outro fator que contribuiu pra gente tocar no APR 2008 foi o nosso trabalho de merch e divulgação da banda. Temos um material bem extenso com vários itens: adesivos, camisas, revista e jornal. Fizemos alguns kits e distribuímos entre jornalistas locais, produtores e amigos, e a recepção sempre foi muito positiva. Uma banda independente e com apenas dois anos, nessa nova era da música, tem que agradar seu público-alvo através de brindes e músicas novas para download free em seus sites em todo momento.
Se quiser acrescentar algo o espaço é seu!
Agradecemos o apoio de todas as bandas e amigos que têm deixado mensagens em nossos sites. A partir dessa semana, vamos colocar notícias e fotos diárias no www.fotolog.com/project666 de como estão os preparativos para o show de sexta-feira.
Aviso a todos os metaleiros: vamos colocar o Chevrolet Hall no chão.

Serviço:
Confira a programação completa do Segundo dia do Abril Pro Rock 2008

3 Comments

  1. Posted 8 de abril de 2008 at 13h24 | Permalink

    com certeza… eu vou ajudar a derrubar o chevrolet hall!!

    HAIL METAL!!

    estarei lah para ver a destruição..!!!

    iauheiuhaiuehiuhaeihhaiehiuhuaihei

    flwz

  2. André Insurrection Down
    Posted 8 de abril de 2008 at 14h13 | Permalink

    Galera muito competente e gente boa.
    Tocamos algumas poucas vezes juntos e o Project é um exemplo a ser seguido, de profissionalismo e humildade.
    Boa sorte a todos da Project e representem o metal pernambucano botando o Chevrolet Hall abaixo!

  3. Posted 8 de abril de 2008 at 18h25 | Permalink

    CONTATOS

    MYSPACE:
    http://www.myspace.com/project666metal

    FOTOLOG:
    http://www.fotolog.com/projec666

    COMUNIDADE NO ORKUT:
    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=25373051

    E-MAIL:
    pro666ject@gmail.com