Júlia Says e A Ponte tocam juntas no Sábado Mangue

Por Hugo Montarroyos em 31 de maio de 2008

Júlia Says

Como surgiu a idéia de fazer um show conjunto do Júlia Says com A Ponte?

Pauliño: Sempre achei interessante a idéia de juntar “duas coisas” pra se obter uma terceira com aspectos naturalmente “diferentes”, recentemente China e Mombojó fizeram isso e pelo visto deu muito certo, mas o interessante é que no nosso caso essa idéia surgiu de um problema com nosso ex-baterista (Carlos “Belota” Brito). A principio o show seria somente d’A Ponte, mas para viabilizar o show tivemos que fazer essa junção e os ensaios tão fluindo, ta rolando um entrosamento bacana entre Diego e os meninos. Muita gente vem perguntar sobre A Ponte, se “ainda toco”, “como ta a banda”, “quando sai o ep”, esse show vai ser uma bela oportunidade pra matarem a “saudade” ou a “curiosidade” sobre a banda e ainda verem julinha (a irmã mais nova) em ação.

Como será o show no Pátio de São Pedro?
Pauliño: 04 músicos no palco: Tonlin Cheng (Baixo, Vocoder e Sintetizador e Backing), Sérgio “Napo” (Computador, Sintetizador, Samplers, Caxixi e Backing), Anthony Diego (Bateria e Programações), Pauliño Nunes (Voz e Guitarra); 10 músicas (sendo metade d’A Ponte e metade do Júlia Says, não necessariamente nessa ordem) entre elas “Mohamed Saksak”, “Ensaio da Dilatação do Tempo (Psicodelia Avançada)”, “Ondas e Barcos (Indicando a Direção)” e “O Chão e O Céu” , o resto só indo lá pra saber.

Você pretende retomar as atividades com A Ponte?
Pauliño: Esse show já é de certa forma uma “retomada” e vai ser crucial pra definirmos os próximos passos da banda, quando estávamos finalizando o EP em janeiro, veio o Rec-Beat e uma “série” de compromissos com o Júlia Says que acabaram inviabilizando a conclusão do “Hareijunumo” com A Ponte. Então os próximos passos são: fazer esse show no dia 31 e concluir e lançar o “Hareijunumo”, o que vem depois ta nas mãos do futuro …

Em menos de um ano de carreira, o Júlia Says já conquistou uma série de vitórias: tocou no Pátio do Rock, Rec-Beat e já teve seu trabalho citado na Rolling Stone. A ficha já caiu?
Pauliño: Lá em São Paulo (no fim da turnêzinha), teve certo dia que eu e Diego começamos a “rever” tudo que tinha ocorrido nesse “curto” espaço de tempo e de fato é bem inacreditável isso que conseguimos, se for parar pra pensar “nem parece que foi ontem” que estávamos no centro de convenções da ufpe entregando eps artesanais pra jornalistas (inclusive você!) e produtores no festival do coquetel molotov. O grande lance é que acreditamos muito no que fazemos e vemos todas essas coisas como etapas necessárias para podermos “viver de música”, vemos como um sinal de que estamos no caminho certo, não gostamos de perder tempo nos vislumbrando.

Tem viajado muito com o Júlia Says? Como vocês conseguem viabilizar essas viagens? Que dica você dá para as bandas alcançarem o estágio que vocês alcançaram em tão pouco tempo?
Pauliño: Desde que começamos a fazer shows já viajamos um bocadinho, tocamos no interior de Pernambuco (Angelim e Floresta), em Belo Horizonte (MG), São Paulo e interior de São Paulo (São Carlos), o restante dos shows foram todos em Recife. Cada situação é bem específica, no caso dessa temporada em São Paulo nos planejamos quase 02 meses antes da viagem, encontramos passagens promocionais, um bom lugar pra ficar e interesse de festas e casas em realizarem shows conosco, nosso objetivo era: aproveitar a boa repercussão do Rec-Beat 2008 e tocar para um público diferente. Cabou que conseguimos bem mais do que isso, nos rendeu uma matéria no trama virtual, outra na revista rolling stone que sai agora em junho, uma boa entrevista para o programa alto-falante da rede minas e essa entrevista que você ta lendo aqui no recife rock (risos), além de uma música chamada “onde as fronteiras são asas”.

A dica são essas quatro coisinhas:
1ª Saiba o que você quer;
2ª Corra atrás disso;
3ª Corra mesmo! (Porque Recife ta cheio de gente querendo “brincar” de música e de ser músico, mas tem pouquíssimas pessoas dispostas a levarem isso a sério.);
4ª Menos é mais.

Se quiser acrescentar algo o espaço é seu.

Pauliño: Cheguem cedo! E levem grana pois estaremos vendendo EPs, camisas e adesivos! Para a pílula vermelha acesse: www.myspace.com/juliadisse ,para a psicodelia avançada: www.myspace.com/musicapoesiatecnologia . Beijos de música! E até sábado!

Serviço:
Sábado Mangue
Pátio de São Pedro (Centro)
A partir das 21h
Eta Carinae, A Ponte + Júlia Says

9 Comments

  1. Nelson Ribeiro
    Posted 1 de junho de 2008 at 16h37 | Permalink

    Poxa estou aqui querendo entender ????

  2. Nelson Ribeiro
    Posted 1 de junho de 2008 at 16h49 | Permalink

    Meu comentário nem vai direcionado a banda, que por sinal gosto e escuto em casa, e sim pro meu “chegado” Hugo Montarroyos, cara todo dia é de lei eu “zuretar” o reciferock! existem notas, noticias,+num entendi essa, dia pós o show do pátio de são pedro, apareçe em noticia uma entrevista da banda e data do show ????

    era melhor publicar como entrevista feita no show, blá blá como foi o sabado mangue e outras coisas, tudo bem foi o que achei, até+logo e desculpe quaisquer coisa….

    “Ele não tem nome!
    ….
    Ele matou a se mesmo!”

  3. Guilherme Moura
    Posted 1 de junho de 2008 at 19h14 | Permalink

    Oi Nelson,

    Por uma falha minha o texto só entrou hoje. Eu coloquei a data como 31/06, ao invés de 31/05… aih o sistema não publicou. De todo fica o registro da entrevista.

    Alguém foi pro show ? conta aí como foi…

  4. fernando
    Posted 1 de junho de 2008 at 22h11 | Permalink

    foi bom. julia says + a ponte se garantem.
    pena que o mesmo não pode ser dito do eta carina

  5. Nelson Ribeiro
    Posted 1 de junho de 2008 at 23h20 | Permalink

    foi bom 2x
    com participação de Júlio Ferraz da Novanguarda, nos vocais de Mohamed Saksak .
    sem +oq dizer….

  6. Posted 2 de junho de 2008 at 15h42 | Permalink

    Porra…perdi!!!

  7. Antonio Monteiro
    Posted 3 de junho de 2008 at 0h53 | Permalink

    Muito bom o show, Ja acompanhei shows da “A Ponte” e presenciei o show do “Julia Says”, no burburinho e no recbeat e no pátio do Rock, cara o vazio que senti em alguns desses show do júlia não presenciei neste sabado com a interação dos meninos da Ponte nas músicas, bem como percebi um forte amadurecimento sonoro dos meninos da ponte, onde agora percebo o eletrônico de forma mais presente e bem mais trabalhado do que antes se via nas músicas da banda, muito bom o som, Parabéns.

    Eta Carinae deixou a desejar, porem foi bem legal o show.

    Sugestão: sei que são duas coisas, duas propostas e duas vertentes, mas minha sugestão aos garotos é: “Vocês poderiam fazer isso mais vezes, e quem sabe juntar logo as trouxas de roupas pois ficou muito bom a interação, diria ate que houve um equilibrio entre as duas bandas, uma completou a outra, realmente o objetivo de se conseguir uma terceira coisa de aspecto naturalmente “diferente”, como foi dito na entrevista, foi atingido, e garanto que realmente ficou muito bom”.

    Parabéns a todos.

  8. Posted 3 de junho de 2008 at 20h33 | Permalink

    Pow!Muita massa!!!Eta Carinae Representou legal.
    Mas Julia Says e a Ponte estão de parabéns.
    O show foi repleto de vibrações positivas,
    e mostrou mais uma vez que, o trabalho em grupo inova e abrange novos rumos,interação merecedora de aplausos que enriquece o cenário musical de Pernambuco.

    Mas assim! Essa é P/ toda produção do Sábado mangue!
    Satisfação sou Ary, Guitarra da Banda Revolução Aleatória, eu gostaria de receber uma informação de interesse musical…
    Estou tentando inscrever minha banda p/tocar no palco do Sábado mangue, e não consigo…
    Queria saber qual o procedimento a ser tomado por nossa produção?Coordenada Por JOSÉ ARIMATÉA (Produtor Cultural e Maestro do CEMO).
    Fico no aguardo p/quaisquer esclarecimentos sobre o assunto.

  9. Posted 3 de junho de 2008 at 20h36 | Permalink

    Correção:
    JOSÉ ARIMATÉA,maestro e EX-Profº do CEMO (Centro Muiscal de Olinda)