Cobertura: André Matos no Clube Português

André Matos lança “Time to be free” na volta ao Recife

por Mirrelle Cordeiro

Centenas de pessoas se reuniram no último sábado (30/08) no Clube Português para assistir à apresentação do maior ícone do heavy metal brasileiro, André Matos. Acompanhado dos amigos de bandas de outrora – os Mariutti, Luís (baixo) e Hugo (guitarra), e Fábio Ribeiro (teclados) -, e dos novos integrantes André Zazá Hernandes (guitarra) e Eloy Casagrande (bateria), trouxe canções que foram sucesso ao longo de toda sua carreira.

A abertura do evento ficou por conta da banda paulistana Suprema e dos pernambucanos da Terra Prima, que, com toda a mistura de metal aos “ritmos da terra”, aqueceu o público que esperava pela atração principal.

Pouco mais de 0h e os fãs puderam ouvir “Menuett” seguida de “Letting go”, as primeiras faixas do álbum novo “Time to be free”, abrindo o maior espetáculo da noite. O show veio recheado de clássicos do Viper (“Living for the night” agitou a galera que cantou em coro), Angra, Virgo (projeto solo do músico com o guitarrista Sacha Paëth) e Shaman.

Após mais de dois anos e meio sem tocar na cidade – o último show do artista aqui em Pernambuco foi em 2005 com a antiga banda Shaman -, André se apresentou em alto estilo e com figurino digno de noite de lançamento de um disco novo. Seis canções do cd novo fizeram parte do repertório, assim como “Make believe”, do Angra, que levou o público, que há muito não apreciava a canção ao vivo, ao delírio.

Os problemas enfrentados pela banda na noite anterior, no CearaInRock, que acabaram reduzindo o show à metade por conta da intervenção da guarda ambiental na casa onde se realizava o show, não foram suficientes para quebrar o ritmo e a performance do grupo no palco.

A banda se apresentou em clima de harmonia e amizade que, enfim, perdura entre os músicos, e mostrou ao Recife a que veio. André Matos e banda deixaram os fãs de alma lavada ao “dizerem” em alto e bom som como é que se toca “Nothing to say” e “Carry on” e se despediram da cidade não com a sensação, mas com a certeza do dever cumprido.

Posted terça-feira, setembro 2nd, 2008 under Coberturas.

6 comments

  1. João do Ibura says:

    Boa materia Mirelle, vc devia escrever outras para o reciferock. Agora ouvi dizer que o público desse show foi muito pequeno, será que os metaleiros não estão mais suportando a postura “posser” do André Matos, se for por isso, pelo visto perderam um grande espetaculo.

  2. Douglas Santos roque says:

    gostei muito do show de andre matos,na verdade nunca tinha visto ele em palco.sempre gostei do angra e fui para os shows do angra da nova formação.olha..eu vi uma coisa lá , a amizade e a satisfação de se esta tocando com amigos,teve pouca gente. sim teve..mas eu garanto q todos q sairam apois o show viram a verdadeira voz do angra e a verdadeira voz do metal,é realmente a benção é para poucos kkkk.

  3. metal tem q ter gutural poha!!!
    isso eh musica de minininha!!!blah!!!
    andré matos eh ridiculo!!!!
    fuck off!!!!

  4. E devido a comentários e posturas como o acima que o Metal e o Rock em Recife não vai frente. O Cara que curte black critica quem escura melódico, que mete o pau em quem curte Death , que detesta quem curte Hard, que diz que Nu-metal é uma merda e todos odeiam os Emos. Crianças, bons músicos, bons riff´s, pegada pesada estão em todos os estilos(por mais que eu adore Slayer/Pantera não dá pra ficar 24 h escutando a mesma coisa. Recife tem público pra trazer grandes bandas? sim, desde de que todo pessoal prestigiassem e fosse pros shows, Senão, meus amigos e esperar a Boa vontade dos produtores que só vão trazer show de 3 em 3 meses, aí fudeu. né meninos…The cult(so em fortaleza)dá pra vocês.

  5. Ricardo Gouveia says:

    A ma divulgação novamente, ofuscada pela atração internacional Scorpions fez com que os fãns do André em recife não comparececem, fui ao 1º show do angra aqui em Recife e não fiquei sabendo deste show. Propaganda ainda é a alma da p… do negócio.

  6. precisamos ver mas nightwish!!!!!!!!!!