Cobertura: Quintal do Lumo com Camarones Orquestra Guitarrística e Nuda

Camarones Orquiesta Guitarrística
Camarones Orquestra Guitarrística no Quintal do Lumo

Apesar de ser a terra das reclamações e dos dependentes dos cofres públicos, surge no Recife uma brecha de luz e de esperança jogada na cena independente da cidade. Formado por gente que está disposta a pegar no pesado e a fazer ao invés de se lamentar, o Lumo Coletivo realizou ontem, no Quintal do Lima, o seu primeiro evento: o Quintal do Lumo. E algumas evoluções já puderam ser comprovadas: o som do local, que costuma ser bem mais ou menos, ontem estava ótimo. Os dois shows, da potiguar Camarones Orquestra Guitarrística, e da local Nuda, foram tecnicamente e esteticamente impecáveis. E, o mais importante, o público compareceu.

A Camarones Orquestra Guitarrística abriu os trabalhos da noite e mostrou uma sonoridade interessantíssima. Com formação que reúne três guitarras, baixo e bateria, o grupo injeta peso em versões surf music para clássicos do rock em temas instrumentais, mas mostra ainda mais talento e vigor  nas composições de próprio punho, caso da excelente “Para Inglês Ver”. Liderados pela carismática baixista Ana Morena, eles não tiveram vergonha na cara ao juntar Metallica (“Enter Sandman”) e Roberto Carlos (“Emoções”) em uma mesma versão. O resultado de tamanho sincretismo soa divertido, desencanado e altamente roqueiro, com guitarras potentes e afiadas que parecem bradar ao público: “mexam-se, porra! Isso aqui é Rock!”.

Nuda no Quintal do Lumo
Nuda no Quintal do Lumo

Tarefa ingrata é escrever sobre o Nuda. Eles deixam todos os clichês do universo musical de lado para criar uma sonoridade única. Seu EP, “Menos Cor, Mais Quem”, ganha ainda mais brilho ao vivo, e seu show soa intenso o tempo inteiro. Fazem rock? Também. MPB? Também. Reggae? Também. Jazz? Idem. Tudo junto, numa combinação implausível que acaba funcionado maravilhosamente bem. E conseguem um feito e tanto: são instrumentistas excepcionais, mas nunca caem na armadilha do virtuosimo chato, feito de músico para músico. Ao contrário, o destaque ali é a banda, e não apenas um ou outro músico. O conjunto prevalece sobre qualquer individualismo. Quer saber? Me rendo…sou incapaz de traduzir o Nuda. Só vendo/ouvindo para saber como é. Me perdoem…

p.s. Vida longa ao Lumo Coletivo. Que outros surjam. E que a máxima seja seguida: a realidade é dura? Então vamos nos unir para mudá-la. Eis o espírito da coisa.

Camarones Orquestra Guitarrística no Quintal do Lumo
Camarones Orquestra Guitarrística e a dançarina no Quintal do Lumo
Nuda: Rapha (Guitarra e Voz) e Henrique (Baixo)
Nuda: Rapha (Guitarra e Voz) e Henrique (Baixo)

 Depois eu vou tentar conseguir mais fotos com as meninas de fotografia da Aeso. Essas minhas ficam só pra dar o gostinho do que rolou. (Guilherme)

Posted sábado, setembro 13th, 2008 under Coberturas.

32 comments

  1. Aê Hugo!!!

    Valeu demais a resenha! Fiquei feliz de ver uma inciativa tão bacana como o Lumo Coletivo, aí em Recife. Pra gente foi tudo totalmente excelente!

    Esperamos voltar muito em breve.

  2. concordo com Hugo:pior que banda que toca para musico só mermo banda que toca para agradar o gosto dos amigos jornalistas!Vi essas bandas no you tube e achei as duas bem fraquinhas mermo,verdes e inseguras,clichê total ai!

  3. Engraçado disso tudo é que tudo parece soar sincero e extemamente imparical, mas não é segredo para ninguém que todo mundo que faz parte do Lumo Coletivo é muito próximo do Tio Hugo… Não tô desmerecendo da iniciativa que pode vir a ser muito legal se não for excludente, é claro. Se for algo que não segregue mais ainda a cena, mas o que me deixa mais fudido é que a “intelectualidade” da múscia local, formada por arrogantes jornalistas e por iniciantes, como aqueles que podem pagar o curso de produção fonográfica na AESO,detém o conhecimento necessário para ter visibilidade.

    É foda, outras coisas que rolam na periferia, que talvez não tenha tanta qualidade técnica por falta de estrutura finaceira e conhecimento, são postas de lado e tratada por esse site como se fosse manifestações de vermes. Duvido que tivesse uma página inteira dedicada a alguma iniciativa. Como, de fato, nunca teve.

    Acho foda pautar o que é legal a partir de valores próprios. É umas das piores características que um jornalista pode ter.

    p.s: Realmente deu muita gente no evento. Amigos, namoradas e parentes das bandas que tocaram.

  4. legal, hugo virou teto de vidro. quando elogia tá comprado, quando reclama tá errado.

    É uma onda a democracia dos comentários. Os shows foram excelentes e a festa foi nota 10. :)

    e tenho dito..

  5. “Acho foda pautar o que é legal a partir de valores próprios. É umas das piores características que um jornalista pode ter.”

    Gente, isso é sério?

  6. o Lumo está de portas abertas pra todos que queiram trabalhar e viver através de todas as vertentes da cultura. Sobre o comentário [i]”Se for algo que não segregue mais ainda a cena, mas o que me deixa mais fudido é que a “intelectualidade” da múscia local, formada por arrogantes jornalistas e por iniciantes, como aqueles que podem pagar o curso de produção fonográfica na AESO,detém o conhecimento necessário para ter visibilidade”[/i]; – Victor, você poderia vir fazer uma visita aqui ao Lumo e trocar uma idéia conosco. Quer viabilizar projetos? Então faremos isso juntos, não é de nosso interesse excluir idéias e/ou esconder informações. Se você acha que pode ajudar a periferia a não “ficar de lado”, venha aqui propor suas sugestões, ou mande um e-mail. >> lumocoletivo@gmail.com
    valeu, abraço.

  7. Vale salientar que não manifestei nada contra o lumo, como havia mencionado acho a iniciativa massa, só fico indignado com a falta de acesso que bandas locais têm a esse tipo de iniciativa. Muita gente nem ficou sabendo desse primeiro evento. Espero que não seja sempre assim. Não acredito numa união de forças entre o lumo e a cultura periférica, talvez essa possibilidade seja algo esteticamente e tecnicamente impensável. A final bandas de rock cujo componentes não cantem em inglês (sequer falem), não tenham guitarras semi-arcústicas ou que não possuam sequer um CD gravado no Mr Mouse jamais se encaichariam na análise criteriosa dos eventos produzidos pelo Lumo…
    Mesmo assim Boa Sorte para toda galera que está viabilizando o projeto…

  8. Fui lah no evento e fiquei bastante surpreso. Frequento o quintal do lima a tempos e nunca vi daquele jeito, o pessoal da organizaçao deixou tudo muito massa e bonito foi fuderoso mesmo… e o show do nuda no fim então foi fodão, muito original…

    Se nao tem gente o pessoal reclama, se tem sao amigos, ahhh velho qué isso? o local tava cheio, abafado e a turma ainda acha um jeito de reclamar…queria eu ter uma familia de 200 pessoas pra ir nos meus shows.

  9. Victor, você tá reclamando antes mesmo de tentar se aproximar do pessoal. Presta atenção nas besteiras que você escreveu ai… O pior tipo de músico é aquele que acha que outras pessoas vão trabalhar por ele.

  10. Pô fui pra festa e acompanhei de perto o corre corre da galera do LUMO pra tornar isso real e lindo!Tudo que estava ali, cenário, luz, som ,bazar,cds das bandas na banquinha, montagem , desmontagem e o que foi conquistado foi com ajuda de quem acredita que pode fazer as coisas sem depender de de uma força externa.
    parabéns a todos e principalmente ao público que foi lá “de cum força” prestigiando uma ação corajosa e de doação ao coletivo.

    Avante Lumo,e pra quem perdeu não vacile em ir na próxima.

  11. OK Bruno nao faço mais nenhum tipo de comentário. Não escreverei mais “besteiras” que soem inconvinientes a mais nova “ousada” iniciativa dos músicos da cidade. Também não acho que ninguém tem que fazer o trabalho do outro, só que existem outras coisas que merecem visibibilidade e que também são feitas com esforço.
    Acompanharei em silêncio a mais esse novo velho capítulo do cenário musical local.
    Fica aqui apenas as considerações de um cara, que apesar de não ser músico, torce muito pelas bandas do estado.

    Valeu.

  12. Melhor do que essa posição agressiva de acusação que vc faz, seria vc ter comentado algo do tipo “Olha pessoal, também tá rolando isso aqui, com essas bandas, nesse lugar, vamos juntar os esforços”.

    Percebeu que em momento nenhum você procurou agregar? Sua postura foi só de taxar uma iniciativa com ruim porque não envolvia as bandas que você queria que estivessem no meio.

    Irônicamente, você acabou praticando da mesma coisa que acusou Hugo. Vc foi excludente e quis segregar o que acontece a um grupo específico.

    Tenta agregar. Diz nomes, coloca o MySpace das bandas aqui. TODO mundo comenta no site falando que bons são outras bandas, mas NUNCA dizem quais. Ninguém tá procurando a salvação do universo não, só um rock legal para curtir no fim de semana.

    Você já comentou três vezes aqui e até agora não ajudou nenhuma das bandas que vc gosta mais, percebeu isso? Diz quais são, divide a informação com a gente. Tenho certeza que quanto mais dessas coisas soubermos, melhor.

  13. pelo que lembre, a galera do LUMO avisou e mandou email sobre a festa e convidando gente de outras bandas a deixarem material por lá. prova de que esse victor só tá a fim de reclamar sem saber das coisas.

  14. Avante Lumo.

  15. Galera,

    é assim mesmo, da pra ver pelos argumentos da oposição que não conseguem mesmo se organizar e colocar algo pra funcionar, não visualizam absolutamente nada.
    Então Lumo, nem esquentem com críticas tão infundamentadas assim, nós de Cuiabá, vivemos isso há 5 anos(leiam nossos blogs).

    Meu apostamos demais nisso tudo, vamos juntos que tem muito a fazer.
    Vida longa ao Lumo!

  16. O QUE ESTÁ ACONTECENDO NESSA CIDADE? TODOS VIRARAM UM BANDO DE VELHAS RECLAMONAS? SE TEM SHOW RECLAMA, SE NÃO TEM RECLAMA! QUE BOSTA! CONTINUEM GALERA, SENDO INTELECTUAIS OU NAO, ESTUDANTES DA AESO OU NÃO, AMIGOS DE HUGO OU NAO. FAÇAM O SOM ROLAR E DEIXEM OS COMENTÁRIOS DOS INIMIGOS DE LADO. SUCESSO!!!!

  17. O conhecimento pra fazer um evento como o de sexta, Victor, está EM TODO LUGAR.
    Quem quer, corre atrás. Quem não quer, vem reclamar no blog alheio.

  18. Inveja é uma parada foda viu… vamo trabalhar pessoal e mudar nossa imagem de caranguejos…

    Até quando vamos nos puxar pra baixo do balde? Até em iniciativas em prol da própria sociedade a turma reclama… vcs acham que assim teremos uma cena mais forte? assim nossas bandas, sejam elas de punk, hardcore, metal etc.. vão melhorar? esculhambando as pessoas e fazendo análises antes mesmo dos resultados…

    Putz, tem até reclamações de que lumo e periferia não combinam, porra? tão loucos? a parada nem começou direito… espera um pouco pra ver como vai ser…

  19. Essa galera do contra podia cria um coletivo né ,só pra eles ,ja pensei até num nome:

    COLETIVO ZECA PIMENTEIRA

    Galera jesus no coração! Nunca pensei em falar isso mas a situação pede.

  20. Putz. O Victor descobriu a super fórmula para o sucesso na cena musical recifense: a banda faz um intensivo de inglês no CCAA, compra uma semi-acústica em qualquer loja conveniada da Rua da Concórdia e grava um cd no Mr. Mouse. Aí realmente não tem como não ganhar um elogio de Hugo Montarroyos. Ra ra ra. Teremos que bolar um novo esquema, porque esse já morgou!

  21. Agora me revoltei. Vou vender minha semi-acustica, desaprender o que eu sei e me aprofundar na ignorância. Victor, vamos formar uma banda? Descobri uma ótima forma de ganharmos notoriedade com esse vindouro trabalho: nos especializaremos na cabrestice. Sei que não possuo (ainda) visão tão limitada quanto a sua, mas juntos, poderemos regredir muito!

  22. Para quem quer saber o sentido exato e como funciona um GUETO, só precisa olhar os posts publicados nesse tópico. Uma verdadeira aula de GUETO INDIE NORDESTINO, com muitas bandas de quarta categoria.

  23. pronto cézar…essa é a saida…forma logo essa banda cara..

    e pára de encher o saco aqui…

    VAMO PRODUZIR GALERA!!!!

  24. Vai cortar cana, porra.
    Vai trabalhar. Arranja algo de verdade pra fazer, ninguém engole esse papinho furado mais não. Esse lenga-lenga não cola mais.

    O papo é o seguinte: produza alguma coisa, se movimente, ou você vai ser engolido pelo mundo, chame isso do que quiser, de ceninha, de panelinha. Ninguém liga mesmo pra isso.

  25. Jonas, o nome do que você chama de encheção de saco é “ironia”. Parece que você não entendeu. Calma antes de escrever, senao vai parecer que quem tá andando com o Victor é você.

  26. foi mal cézar!!!

  27. Vida longa ao lumo coletivo. Bora juntar essa variedade musical que temos por aqui e fazer algo foda.
    A galera tem que parar de reclamar e começar a trabalhar.Quero saber quando são os próximos shows do Lumo Coletivo e gostaria também de saber dos shows de qualquer banda daqui. Bora juntar tudo numa coisa só. E, Victor, fala com a galera do lumo mesmo, pode ter certeza que o pessoal vai te atender bem e cuidado com as acusações.
    Você fez acusações graves aqui, e não conhece bem o lumo coletivo pra estar falando que as bandas da periferias não teriam fácil acesso a esta iniciativa.Você não tinha feito nem contato com os caras pra estar falando isso.Bom, mas esse debate pode ter algo de interessante:todo mundo tem que entrar em contato, isso é importante.Abraço pra todo mundo.

  28. então foi dito tudo!

  29. mimi mimi mimi mimi…..hehehehehe

  30. João do Ibura says:

    Bem,o que me chama a atenção é de agora estamos tendo muitas materias interessantes, pois o site passou um tempo no ostracismo ou falando de joão do morro, todavia o rock voltou como tema principal, inlusive fiquei muito interessado em conhecer o LUMo.
    Enquanto ao victor, esperava algum outro comentario seu, não se intimide com as agressões e opine! Agora ve se para de reclamar porra! opa, desculpe.

  31. é isso ai eu quero fazer uma banda