O novo gerente de cultura

1190823819_lulacortes

… De Jaboatão! Tanto se falou de Renato L no cargo de Secretário de Cultura do Recife, que acabamos esquecendo de dar outra notícia importante. Lula Côrtes foi nomeado o gerente de cultura da cidade vizinha. Responsável por trazer a psicodelia para a música brasileira – no disco Paêbiru, considerado o mais caro da discografia nacional – junto com Zé Ramalho, ele passou boa parte de sua carreira mais recente se apresentando também com a banda Má Companiha e, mais recentemente, também com os Canivetes.

Resta agora saber quais são os planos dele para a cidade!

Posted sexta-feira, janeiro 16th, 2009 under Notícias.

5 comments

  1. tem muita diferença entre os dois, Renato e Lula.

    Renato nunca fez algo de concreto ou relevante nas artes, apenas emitir opiniões e análises. Na verdade sempre foi um militante político atuante, até que conseguiu um lugar na prefeitura.

    Já Lula sempre fez arte relevante e reconhecida. Não resistiu ao canto da sereia da política e suas benesses.

    Acho que as idéias e visão de Lula são melhores mas Renato é um ser político, conhece as engrenagens.

    fico com nenhum dos dois!

  2. se lula cortes sem má companhia conseguir assinar algum papel e criar algum projeto, já é um grande avanço pra jaboatão

  3. Pra saber como vai a gestão de lula:

    Nos dias 26,27 e 28/02 o Lumo coletivo vai estar realizando um ciclo de palestras na livraria cultura, como parte da programação do Grito Rock Porto de Galinhas.

    Dia 27 tem Lula, Renato L e mais.

  4. Nesse Lula eu boto fé! Agora há um grande equívoco nesse texto. O disco Paêbiru não foi responsável por trazer a psicodelia para a música brasileira, já que é de 1975, e desde 68 Os Mutantes e o pessoal da Tropicália faziam psicodelia por aqui. O Paêbiru na verdade radicalizou isso tudo e foi um dos últimos discos psicodélicos lançados, fechando com chave de ouro essa fase da música.

  5. Guilherme Moura says:

    Enquanto isso no Rio…
    “Dono da Furacão 2000 vira secretário de Cultura no RJ

    Após 35 anos de sucesso como produtor de bailes funk no Rio e duas passagens pela prisão, o empresário Rômulo Costa, dono da produtora Furacão 2000, vai alçar pela primeira vez o estilo ao Poder Executivo e assumir a Secretaria de Cultura de Belford Roxo, cidade da Baixada Fluminense com cerca de 600 mil habitantes.

    Habituado à batida do funk, Rômulo Costa afirma que “ainda está aprendendo o que é cultura”, mas garante que não vai beneficiar o gênero nas iniciativas da pasta. “Se cultura é música clássica, jazz, nós vamos fazer. Tudo que for cultura –chorinho, pagode, MPB– vai ter espaço”, diz. “Eu não preciso ajudar o funk, ele já está bem.”

    Preso duas vezes acusado de envolvimento com traficantes –acabou absolvido–…”

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u492069.shtml