Sopa de Auditório: A volta de Roger ao vivo pela TVU

Anota aí… Depois de mais de 1 ano a Sopa está de volta.

No debate do Lumo na Livraria Cultura Roger adiantou alguns detalhes do “Sopa de Auditório”. O programa será transmitido pela TVU/Cultura ao vivo direto da Torre Malakoff, todos os domingos das 16h30 às 18h. Cada programa terá uma banda tocando ao vivo no palco, uma banda fazendo um som acústico e convidados batendo papo com a platéia sobre um tema.

O programa de estréia será no próximo domingo (08/02) e terá Lula Cortes & Má Companhia, Orquestra do Maestro Ademir Araújo, Renato L e Projeto Lambe-Lambe.

Roger contou também que vai conversar com a TVU para tentar mudar o horário de transmissão do “Som na Rural”, que passa todos os domingos às 15h. “Senão vai ter 3 horas de Roger direto aos domingos”. É o Domingão do Roger!

Pra quem não lembra o Projeto Sopa de Auditório na Torre Malakoff rolava em 2002 no programa Sopa da Cidade, que Roger apresentava na finada Rádio Cidade. Teve Nação, Cordel, MLSA, Lula Queiroga…

O Programa “Sopa de Auditório” é patrocinado pelo Funcultura Governamental, ou seja, o projeto foi selecionado direto pelo governo, sem precisar passar na seleção por edital. Outros projetos que também entraram no Funcultura Governamental 2008 foram o Programa Estereoclipe (Canal 14 ?), Agora Curta (Globo/Luni) e Embaixada Cultural de Pernambuco (aquele esquema de shows de bandas de Pernambuco no Rio de Janeiro).

Sopa de Auditório
Domingo (08 de fevereiro de 2009)
Das 16h30 às 18h00
Ao vivo direto da Torre Malakoff pela TVU/Cultura (Canal 11).
Com Lula Cortes & Má Companhia, Orquestra do Maestro Ademir Araújo, Renato L e Projeto Lambe-Lambe.

Posted quarta-feira, fevereiro 4th, 2009 under Notícias.

35 comments

  1. esta é para os pernambaianos : leiam uma análise crítica decente e sintam-se envergonhados . Parece até que ser roqueiro e é sinônimo de ser estúpido – a tão propalada capacidade e competências baiana é construida com o sufoco e o afogamento de toda a cultura do recôncavo feito por meia dúzia de indivíduos em cima do suor de milhões e da estupidez da “crasse média” sul-sudestina

    MÍDIA FOLIÃ
    O carnaval da Casa-Grande

    Por Dioclécio Luz em 6/3/2007

    Há algo de sagrado no carnaval. Talvez por ser o reverso, o outro lado. Na Roma antiga havia as tais carnavalis: por alguns dias o rei virava plebeu, o pobre se achava rei, o padre entrava no bacanal. Algo assim. Profano e sagrado eram as duas faces de um deus de duas faces – Janus brincanti. E todos eram felizes para sempre.

    Agora o carnaval já não é mais profano. Todo ele é sagrado. Basta ver como a mídia lida com a festa. Na TV é só alegria, só beleza. Parece dizer: é assim, festa popular não se questiona. Questionar o quê? Opa, Carlinhos Brown fala em apartheid na Bahia. Isto na Folha de S. Paulo da segunda-feira de carnaval (19/02). Caetano Veloso – que mora no seu umbigo, o dele, claro, do alto de sua fama olímpica, exibindo-se nos trios elétricos – contesta: não é assim.

    Carnaval sem cordas

    É sim, cara. Na tua Bahia.

    Mas a TV não vai mostrar.

    A Bandeirantes montou um estúdio por lá. A Band não iria questionar esse carnaval de rico, caro e sem novidades. Quem questionaria?

    Certa vez, numa matéria célebre para a CartaCapital, Bob Fernandes mostrou o rei pelado. E o que ele viu foi, e ainda é, os brancos dentro das cordas, protegidos, dançando a música baiana; ou nos camarotes, bebendo do bom e do melhor, imunes ao rebuliço; os negros, bem, ou estão na pipoca ou segurando as cordas. Um bom emprego para negro e pobre baiano: cuidar para que o pobre não invada o cercado dos ricos. Carnaval gera emprego: em torno de R$ 20 por dia para segurar a corda. Algo assim. O pobre que não segura corda tem que vender água ou cerveja. Carnaval gera renda para uns, não para o povo pobre da Bahia.

    Sabe quanto custa um abadá – aquela farda que o cliente compra para poder ficar oito horas ouvindo a mesma música? Até R$ 4.500,00. Não é para qualquer um. Não é pro bico do pobre. A TV jamais criticaria isso. TV gosta de festa, entretenimento. Se pobre não entra, azar do pobre.

    Um dia, Moraes Moreira, baiano porreta, questionou essa história do abadá, e quis que a festa fosse pra todo mundo. Ele achou que o povo não merecia ser pipoca (como se diz daquela turma que fica acompanhando de fora da corda, pulando e pulando, no acoxo, sobre esgotos e gentes, se atropelando). Ele falava de uma Casa Grande e de uma senzala. O tal apartheid citado por Carlinhos, que está reinventando o carnaval sem cordas da Bahia, um carnaval para os baianos.

    Axé é coisa de mercado

    O carnaval é mais sagrado na Bahia. Mas por interesse de mercado. As tradições católicas devoraram as afros, deu-lhes nomes branquelos, de santos europeus – resistência e rendição, já disse Gil –, é o jeito baiano de ser, é expressão popular. E temos o axé, um pobre gênero musical que toca o ano inteiro em todo país – micaretas, carnaretas, bocaretas e alguns picaretas (muito prefeito se reelege promovendo festas com o dinheiro do povo). Um trio elétrico, dois trios elétricos e o resto é negócio, digo música baiana. Talvez, passado o carnaval, a imprensa pudesse perguntar o óbvio: o que é música baiana? Mas é querer demais de quem trata a cultura como algo nada sério.

    Mas aqui pelo menos, desta luneta sobre a imprensa, sejamos francos: o fato é: a axé music representa uma tragédia para a cultura baiana e, em especial para a música da região. Ela é uma barreira impedindo que outros gêneros, outros artistas, mostrem outras artes. Axé é coisa de mercado. Ele atende uma das regras fundamentais: se você quer vender um produto, parafuso ou jaca, produza em quantidade e tudo igual um ao outro. O axé é o produto.

    Cadê o pessoal bom de forró?

    E quem não toca e canta axé na Bahia? Ora, vá fazer outra coisa. Monte uma oficina mecânica, por exemplo.

    De tanto se falar na música baiana, e da mídia forçar na imagem, criou-se a cultura de que música baiana é somente o axé. Isto é, na Bahia não existe nenhum instrumentista de qualidade, nenhum músico erudito, nenhum bom cantor de MPB, roqueiro ou rapper. Raul Seixas ou João Gilberto, se nascessem agora, teriam que se mudar da Bahia para serem notados. O axé abafa tudo que ele não é. Acredite na inverdade do exagero: quem não faz axé eles mandam matar. É quase isso.

    Como a mídia não tem compromisso algum com a arte e a cultura, ninguém espere que um dia, na redação de uma dessas TVs normais, alguém se indague: peraí, será que todo músico baiano faz axé? Será que não nasce alguém que faça algo diferente? Talvez, se for um pouquinho mais culto, pense: onde estão Elomar, Xangai, Wilson Falcão, Edgar Mão Branca?… Cadê o pessoal bom de forró? Será que a Bahia é o único lugar do Nordeste que não tem grandes cantores ou instrumentistas tocando a boa música do Nordeste?

    Verdade tropical

    O axé, insisto, é uma desgraça para a Bahia. E não apenas por ser um gênero musical pobre, limitado, plastificado. Mas também porque, por sua causa, quase 40 anos depois, não apareceram outros tão bons como Caetano, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia. Ora, não apareceram nem irão aparecer – a axé e os donos do mercado não deixam, nem vão deixar, surgir uma coisa diferente até findar o estoque de bandas com aceitação popular e enquanto o negócio continuar dando lucro.

    Enquanto existir axé dominando a cena, eliminando quem for diferente, jamais haverá outra Tropicália. Triste conclusão: a Bahia de João Gilberto e da Tropicália, jamais fará outra revolução musical. Adeus, vanguarda. A Bahia virou uma produtora de cultura de plástico.

    Talvez Gilberto Gil, que é baiano e ministro, devesse parar e pensar um pouco nessas coisas. Pensar que a música que predomina, que domina, que monopoliza a Bahia, cria uma imagem falsa e limitada da Bahia e causa uma erosão cultural sem retorno. Basta imaginar quantos artistas originais abandonaram as carreiras por conta dessa imposição; quantos cantores e bandas vanguardistas, criativas, modernas, avançadas, estão sendo boicotadas, censuradas, expulsas dos espaços musicais, discriminadas pelo poder público.

    Quantos artistas formidáveis, como Gil, talvez até melhores, não desistiram da profissão, enterraram o talento e a genialidade e se tornaram gente comum, causando prejuízo à humanidade? Ó tempo rei, fazei com que Gil acorde para esta verdade tropical! E que ele saiba que o apartheid segrega o diferente culturalmente, e não somente os negros.

    Máquina de clonar bandas

    O caso da Bahia é mais evidente ainda quando se compara com Pernambuco. Por muitos anos, os dois estados mantiveram uma saudável disputa para ver quem era mais produtor de cultura e genialidades e invenções musicais. Com a imposição do axé sobre a Bahia, Pernambuco continuou promovendo a diversidade. Basta ver o carnaval pernambucano. Tem frevo, maracatu, samba, pastoril, burrinha, cabocolinhos – e até axé; tem rock e MPB.

    Em pleno carnaval, Recife promove um festival de diversidades, o Recbeat – onde pode tocar Lulu Santos, Plebe Rude, Tomzé, Chico César ou aquela banda de heavy metal. É tudo de graça. Não é preciso dinheiro pra brincar o carnaval pernambucano. Ah, mas se o cabra quiser, pode pagar uma nota preta por um abadá e ficar dentro de um cercado, usando a farda como as outras pessoas lá dentro e ouvindo a mesma música por oito horas. Tem gosto pra tudo.

    Desde a Tropicália que a Bahia não mostra novos gênios da música. Existem, mas são abafados. Por isso, de lá pra cá não apareceu mais ninguém capaz de apontar uma linha original na música da Bahia. Enquanto a Bahia produziu bandas e cantores de axé em escala industrial – onde um é clone do outro – Pernambuco gerou Mestre Ambrósio, Querosene jacaré, Alma em água, Otto, Nação Zumbi, Cascabulho, Mundo Livre S/A e, claro, o mangue beat. Produziu Mombojó, mostrou a cena musical do Alto José do Pinho (Recife) e o maracatu virou moda no Brasil.

    O que fez a Bahia nesse período? Matou os diferentes e aperfeiçoou a máquina de clonar bandas e cantores de axé. Isto é: de pólo de cultura virou pólo químico produtor de plástico.

    Sagrado e inquestionável

    É uma imposição de mercado, claro. Mas por que os grandes nomes da música baiana, aqueles que tem algum poder ou carisma, não se rebelam? Por que Gil, Caetano ou Gal não questionam isso? Por que se juntam a esse mercado para legitimar a operação abafa da cultura baiana, aderindo ao axé, que por onde passa nada cresce? Será que eles temem que surja um novo movimento tão importante e revolucionário quanto foi a Tropicália? Será que eles sabem que o carnaval baiano é a segregação – uma alegoria da Casa Grande e senzala, como alertou Carlinhos Brown? Será que notaram que o carnaval da Bahia não é para os baianos?

    Para a imprensa, principalmente a televisiva, o carnaval baiano é algo sagrado, inquestionável. Por isso, as críticas aqui apresentadas jamais serão tema de matéria jornalística na TV. A imprensa que habita a telinha continuará cega às manifestações de segregação, racismo, censura e operação abafa que se manifestam na Bahia. Continuará batendo palminhas para tudo isso aí.

  2. E alguém duvida que vai lotar?
    Rá!

  3. Víctor Chitunda says:

    Eu o vi andando de skate no calçadão da praia. ;D

  4. É sempre bom ter o velho e bom Roger de volta à ativa na TV. Além de um grande entertainer, sempre abriu espaço pra que músicos de qualquer gênero pudessem mostrar seu trabalho. A sopa voltou a esquentar… que bom!

  5. Vinicius Lemos says:

    Quando tem não reclemam, quando tem reclamam também, vão procurar o que fazer ao invés de reclamar das poucas coisas que apareçem em recife, é por isso e outras que muita gente sai dessa cidade.

  6. Vinicius Lemos says:

    Parabéns ao Roger e boa sorte nesse novo programa.

  7. Joia, trocar o Domingao do Faustao pelo Domingao do Roge, muito chique, pq isso sim e uma cultura qur da pra absorve-la de boa, sem se preocupar com a qualidade do que se passa. Que vingue esta ideia!!!!!

  8. quem quer saber o real significado do sentimento recalque que de uma olhada nos posts logo acima. Para esses o bom é ser mediocre. Quem aparece na Globo ta por fora. E o hilário é que quando alguem saqui vai para o Faustão a primeira coisa que faz é dizer para todo mundo.
    E assim caminha Recife.

  9. RAPAZIADA….CALMA..,ESTOU A DISPOSIÇÃO PRA QUALQUER DÚVIDA(NÃO SUSPEITA,ESTOU BEM ABAIXO DELAS)TENHO UM SITE ,HOTMAIL E ESTAMOS SEMPRE NOS ENCONTRANDO PELA RUA, NAO ME MISTIFIQUEM ,NEM PELO BEM ,NEM PELO MAU,SEM JULGAMENTOS NEM UNANIMIDADES,MAS VIVENDO (POR OPÇÃO )NESTA MESMA CIDADE A TANTO TEMPO,PEDIRIA MAIOR CUIDADO COM AS PALVRAS, QUE AS VEZES AGRIDEM E DESORGANIZAM UMA FORÇA QUE TEM QUE ESTAR SEMPRE DO MESMO LADO, SEM ESSA ANSIA VAZIA DE DESMASCARAR A NOVA FRAUDE DO DESMÉRITO DO MOMENTO SÓ PELO CONTRA MESMO .EU NAO VOU AQUI SER DIDÁTICO EM RELAÇAO A LULA CORTES(UMA BUSCA RÁPIDA NA INTERNET FAZ ISSO MELHOR),MAS QUERO DEIXAR BEM CLARO NO QUE SE REFERE AOS MEUS INTERESSES, É QUE JÁ FAZ UM TEMPO QUE ELES SAO OS COMUNS A UMA CLASSE QUE INCLUE INCUSIVE TODOS QUE FREQUENTAM ESSE SITE ,QUE É A MÚSICA E O DIREITO A COMUNICACAO. SOPADIARIO SAIU DO AR PELA OPÇAO DA MUDANÇA DE FORMATO,ALÉM DE QUERER TRABALHAR MUITO MAIS O MUSICO ATRAVES DAS ORQUESTRAS E BANDAS, TEM AQUELA DA ORGANIZAÇAO DA CLASSE E SOCIEDADE CIVIL NA PARTICIPAÇAO DAS POLITICAS PÚBLICAS,QUE FUNCIONA BEM MAIS NUM LUGAR ABERTO COM PLATEIA OPINANDO ETC,UMA CURADORIA ESCOLHIDA PELA ESCUTA SETORIAL DE MUSICA DO ESTADO DE PE(QUEM NUM SABE VAI NO GOOGLE)VAI DISCUTIR A PROGRAMAÇAO NAO ‘SO DO PROGRAMA QUANTO A DA TORRE EM GERAL ,QUEM FOI NO DEBATE DO LUMO VIU PORQUE LULA TEM QUE ESTAR NO PRIMEIRO PROGRAMA VELHO ..PRESTA ATENÇAO.. NUM CAI NO ERRO DOS ANTIGOS NAO..,SE JORGE MAUTNER MORASSE AQUI,E AINDA MAIS FOSSE GESTOR PUBLICO DA AREA DE CULTURA ,TODA SEMANA EU QUERIA OUVI-LO TOCAR E FALAR.SE NUM FOSSE LULA NO PRIMEIRO,SERIA FRED 04(QUE TAMBEM É PANELINHA?).PROCURASSE BANDAS ENGAJADAS COM NOSSAS CAUSAS COMUNS E NAO SÓ COM OS SEUS RABOS DE PAVÃO…MAIS UMA COISA PRA RELAXAR DE VEZ, ENQUANTO MINHA CONDUTA,CONHECIDA DESDE QUE COMECEI A BOTAR ARTISTAS PRA SE APRESENTAR LA NAQUELA MERDA NO PINA (SOPARIA) NOS IDOS DE 91 É BOTADA A PROVA COMO SE UM TRAUMA TIVESSE RONDANDO SEMPRE A CABEÇA DA CIDADE COITADINHA,EU APROVEITO DA INTIMIDADE SER UM CAMINHO SEM VOLTA,E NAO POUPAREI MEU HUMOR E AMOR PRA TENTAR EM INÚTIL DEFESA TRANQUILIZAR AQUELES QUE AO INVÉS DO RECONHECIMENTO E CREDIBILIDADE,PREFEREM SENTENCIAR-ME COM A PENA MAXIMA DO TRIBUNAL COCOTAL RECIFENCE :”A LINGUA”.SÓ PRA VOCES EU VOU CONFIDENCIAR.. É O SEGUINTE: SE EU FOSSE ESCROTO(ESCROTO MERMO)TINHA ERA BOTADO UM BLOCO,COM UM NOME APELATIVO..BLOCO DO MACÔ ,OU CADÊ ROGÊ, ETC ,UM CARANGUEJO NO ESTANDARTE E UM BOCADO DE AMIGO FAMOSO ..BEBENDO DE GRAÇA CORTESIA DA NOVA SKIN,DEPOIS CONTRATAVA GILBERTO GIL PRA VIR CANTAR NO MEU BLOCO ,TUDO COM APOIO DA PREFEITURA E GOV., DEPOI EU ME CANDIDATAVA,(SE VC É BOM DE CONTA, CALCULA QUE SE EU TIVESSE TOPADO AS PROPOSTAS QUE ME FIZERAM AO LONGO DE MINHA CRESCENTE HONESTA E ESPONTANEA POPULARIDADE, EU JA TERIA UNS TRES MANDADATOS DE VEREADOR , POIS MEU CURRICULO DE TENTAÇOES EGO-OVO CONTA INCLUSIVE COM O DE UMA PROPOSTA FEITA PELA DONA DE UMA DAS MAIS CONSAGRADAS PRODUTORAS DE CULTURA E CAMPANHAS POLÍTICAS DO ESTADO, PARA ME LANÇAR DEPUTADO ESTADUAL, PENSE NAS FULERAGEM QUE ME PROPOEM.., E HA TEMPO,E COMO É DIFICIL VIVER NUM LUGAR QUE VC ESTÁ SEMPRE PRESTES A VIRAR A ULTIMA FRAUDE ULTRAPASSADA ,PELA MAIS PURA E VELOZ FALTA DA INFORMAÇAO E AGRESSIVIDADE QUE TRANSITA EM NOSSO DIA A DIA NAS NOVAS MÍDIAS ,O SOPA DE AUDITÓRIO É AO VIVO E COM EMAILS,SOPADEAUDITORIO@GMAIL.COM,E COM A PLATÉIA QUESTIONANDO E PARTICIPANDO ,AO EM VEZ DE LEVANTAR A BOLA PRO INIMIGO CORTAR ,VAMO LÁ CONFERIR QUE ESTAMOS TODOS DO MESMO LADO E QUE CRITICAS PARA SEREM BEM APROVEITADAS TEM QUEM TER UM CUIDADO NA BASE DA INFORMAÇAO, PRA NUM ENFRAQUECER AO INVÉS DE CONSTRUIR, SE NAO, VAMOS FICAR AQUI DISCUTINDO SE EU SOU LEGAL OU NAO…, ENQUANTO OUVIMOS A NOVA BRASIL FM .VAMO LÁ.. OUVIR E APRENDER COM MAESTRO FORMIGA E LULA CORTES E DAR SUA OPINIAO PARAQUE AGENTE NAO CONFUNDA O INIMIGO NA MIRA,POR A VIDA SÓ NOS DÁ UM CARTUCHO ..,E NÁO É DE VIDEO GAME INFELISMENTE.. VAI NO : http://WWW.ROGERDERENOR.COM.BR ..MAS VÁ NA PAZ…
    DESCULPA TER SIDO TAO BREVE ,MAS TO COM PRESSA DE IR PRA PRAIA..

  10. João do Ibura says:

    satisfação ler esse comentário Roger, pois precisamos do contraditório, uma vez, vc falou no seu programa que o fato de escalar a mundo livre para a programação de fim de ano da prefeitura no ibura seria hipocrisia e que deveria haver a escalação de bandas bregas(vcx citou calcinha preta,apesar de não admitir) pois é isso que o povo gosta.Por causa desse comentário mandei um email para ele ressaltando que achava que da parte dele houve um preconceito involuntário e em seguida falei pessoalmente com ele na praça do arsenal, durante um evento da prefeitura comemorando os 100 anos do frevo, e comentei sobre o ocorrido(lembra roger) e ele educadamente falou comigo, chegando até a dizer que as vezes tinha que pensar melhor antes de falar algumas coisas. Então, cheguei a conclusão de que as pessoas que conquistam algum espaço na vida estarão sujeitas a criticas até porque nos somos pessoas falíveis, todavia, o roger é uma pessoa acessivel, desde a epoca da soparia(que para mim não foi essa merda que ele falou,tendo em vista a sua importancia na agitação da cidade) então seria mais honesto falar diretamente com ele.
    Tudo bem que as vezes ha favorecimento na escalação de artistas para aparecer no evento e isso nem sempre é promovido pelo roger, até porque existem ourtros envolvidos no programa, todavia, quase todos os musicos/bandas que teriam supostamente sido favorecidas têm meritos para estarem no programa,ou voces acham que Lula Cortes, com toda a sua história na musica brasileira, nÃo merece esta nesse primeiro programa.
    Quanto a excelente coluna de Dioclécio Luz,postada por sofhia, que nos sirva de lição pois recife tem que continuar andando na contramão de Salvador, por isso tenham responsabilidade nas criticas, para que isso não seja usado por pessoas que queiram pasteurizar a nossa cultura.

  11. Se nós formos acreditar em todas as palavras que são ditas não teria mais safadeza no ambiente. Vejo cada lugar, Bahia e recife com suas dificuldades e virtudes.a Bahia seguiu um caminho justamente do popular e massificado.o pobre baiano não pula nos cordões do carnaval baiano mas consome em massa todos os artistas baianos via disco ou shows.o artista baiano é mais identificado com o povo.o baiano sabe ganhar dinheiro e isso incomoda bastante.parece que o sucesso da Bahia foi a toa,que eles não se estruturaram,se uniram,se organizaram e tiveram seus méritos.acho meio despeito dos pernambucanos,ver apenas defeitos e nenhuma virtude.

    O pernambucano é mais tímido, inteligente e político.nossa cultura é melhor no carnaval sendo de graça e muito diversificado,abrindo espaço para todos. Muito mais popular.
    Mas a musica pernambucana carece de identificação realmente popular, tem um publico mais elitizado e é subvencionado pelo estado.
    Diversificamos e não nos especializamos em nada.

    Roger falou e se defendeu e isso tomara sempre seja preservado. questiono ele em algumas coisas.

    Roger,não ter se candidatado a deputado não o absolve de tudo nem lhe dá um cheque em branco para fazer o que quiser com dinheiro publico.aprenda a ouvir melhor as criticas e cobranças e não sucumba a sutil tentação de se fazer meio santo com tiradas espirituosas. você já se contradisse por varias vezes e me parece que teus argumentos sopram conforme os ventos e conforme tua conveniência.acho que você deve distribuir melhor teus espaços entre as milhares de bandas e artistas e mais igualmente.você favorece muito teus amigos.muita gente do meio artístico reclama de tuas posturas internamente,a fome que você tem por dinheiro e sua falsa humildade.mas és um sujeito que cativa com sua forma de articular amizades.e se aproveita desse fator.como se você fosse um para o publico e outro no meio artístico.
    Já vi você meter pau no brega,depois falar bem,flertar com o PT,com Raul Henry, elogiar o mangue, negá-lo,falar mal da tvu,elogiar,sair,voltar,falar mal de um,depois falar bem.é uma postura e não precisamos ter sempre a mesma opinião mas tem que se aceitar cobranças pois o senhor mexe com dinheiro do povo entende?

    Gosto de recife e salvador cada qual com suas peculiaridades.

  12. David Adonai do Asteróide B-612 says:

    a galera sempre querendo botar terra, nas coisas que somam a musicalidade do recife, espero que as pessoas que apoiam o programa do Roger, não deem atenção aos criticos tratores da musica recifense, porque meu velho minha banda que tem um trabalho autoral e nunca foi previlegiada, esta sendo vetada dos eventos da PCR por causa dos comentarios neste site, por exemplo o produtor do Rec Beat me falou que não colocaria minha banda nunca por conta disso, a PCR tbm, o problema é as outras pessoas da banda ficam prejudicadas por minha causa velho, o nosso mérito de nossas músicas não é mais considerado, todos os shows que fizemos pela PCR sempre colocamos as propostas no tempo certo sem falcatruas, sempre se adaptando aos cachês (SEM PREVIÈGIOS) alem de investi-lo 70% em estrutura de show e material para a banda e equipe técnica, na preocupação de um bom resultado, mas blza, acredito em Roger e em que for para divulgar e manter a boa música do Estado. Demorou…

  13. veio, desculpa de amarelo. Se uma banda ou programa é DETRATADA do Recbeat por causa de alguns comentários ou coisa que o valha, meu velho vai arrumar outra coisa para fazer e vende tua guitarra veio que tu tá na profissão errada.
    Ontem fui na torre e vi a repeticão do mesmo programa anterior. Quem tem que falar bem das bandas de Recife é o grande público e não meia duzia de comentários poxa.

  14. David Adonai do Asteróide B-612 says:

    valeu fera fala isso pra gutie, não vou verder meu instrumento, tbm não tenho a música como profissão, graças a deus, mas faço porque gosto, e num to nem ai porque nos shows minha banda nunca deixou de ser aplaudida, blza (sem vaidade).

  15. andre intruso says:

    Eu penso que tem certas coisas que estao acima do bem e do mal, e Roger é algo desse tipo.
    Por mais que surjam argumentos sobre isso ou aquilo que é feito, com quempe feito e por que é feito, o bem que esse camarada ja REALIZOU pra cultura musical ( e outras culturas) de Recife está materializado pra quem quiser ver. O Sopa volta muito melhor e ainda com a possibilidade de um disco – voador pousar no meuo do seu programa dominical, e o ” pior ” de tudo isso: AO VIVO! Vida longa!

  16. Iradooooo, vou ver ele lá hj, e matar a saudade,daquele danado!!

  17. Seguinte: O Roger pode ser a favor ou contra o que ele quiser.Não vejo o cara querendo ser Guru de ninguém. Entrar nesse mérito é uma merda mesmo!! não tem nada a ver. Agora, aqui em casa, quando ligo a TV NÃO TEM NADA DE PERNAMBUCO PASSANDO. E só as porcarias da Globo/SBT/ e por aí vai.Alguém vai negar issso??? Portanto: Parabéns pela estréia e também pelo SOM NA RURAL. Quanto a questão musical, querer discutir a qualidade de gente como Nação Zumbi, Otto, Ortinho, Lula Cortês e Má Cia. China, Devotos, Mônica Feijo, Hanagorik, Eddie etc. é brincadeira. Se a discussão for: Vamos ganhar dinheiro com música aí e outra história. Massificação é outra história, Marketing é outro papo. Vender a alma pro diabo é com Dr. Fausto. Há , e ia ser arretado mesmo ver a Band transmitindo o Show do Mundo Livre e Manu Chau cantando: ” Ô minha maconha ….” em Rede Nacional. aí sim. Essa é a diferença, os caras tão no principal palco da cidade e não tem medo de cantar o que quiser ou botar um russo doido pra agitar junto. E ainda tem jornalista que não entendeu e fica metendo o Pau achando que catarse mesmo foi o João do Morro e seu “foi o frango que deu”. Que venha o Iron.

  18. andre intruso says:

    QUE VENHA O IRON!

  19. Tudo de perfeito, um domingo sem faustoes sem gugus e agora com o domingão do Roger, Federal papaparabens.

  20. priscila santos da silva says:

    eu sou cantora e queria sabe como eu faço para participar eu gostaria de uma oportunidade meu numero é 88135057 sou forrozeira tenho 18 anos

  21. Priscila, se voce quer uma oportunidade com a galerinha chapa branca ai vão algumas dicas:
    se seu trabalho é bom não importa, o que importa é ser bem enturmadão. então lá vai:

    ( fazer amizade com DJ Dolores, ele anda encangado no saco do secretario Renato L.
    (se filiar ao PC do B
    (convidar o irmão de Michele Assumpção reporter do diario de PE, o flautista Cesar Michilles, para tocar em algum lugar. Materia no Diario na certa
    (dar alguma vantagem para Roger ou falar bem das bandas dele

    não é facil? ora, vamos lá, não tenha medo. Esse povo é gente da melhor qualidade, todos muito honestos e espitituosos, vivem para a caridade e de ajudar aos irmão que necessitam.

  22. como a banda celaléia titânica pode tocar neste projeto ?
    QUANDO A BANDA DE ROCK EXPERIMENTAL CONCLUSIVA CEFALÉIA TITÂNICA FORMADA EM PEIXINHOS PODE TOCAR NESTE ESPAÇO FUI AI E ACHEI MARAVILHOSO O ESPAÇO, ESPERO VER ESSA FABULOSA BANDA. PARABÉNS POR REAL ATITUDE DESTE EVENTO E A VC ROGER POR ESTÁ SEMPRE AGITANDO ESSA CIDADE E A POIANDO AS BANDAS POIS ARTE PELA ARTE ANTES QUE SEJA TARDE AGUARDO RESPOSTA NO MEU E-MAIL fabiana_classicos_@yahoo.com.br

  23. DETALHE PARA TOCAR NA TORRE MALAKOFF AGUARDO RESPOSTA

  24. IGOR de lima says:

    Boa tarde !
    ai Roger queria te pedir uma q mandace um recado
    p minha noiva
    a amo muito
    o nome dela e yuri perreira
    estaremos no programa hoje
    obrigado at +

  25. o programa esta legal assitie domingo a trombonada e gostei muito cara parabens!

  26. olá, sou ana cláudia sou secretaria da arte imagem produções , uma associação que esta se iniciando agora,gostaria de agendar se for possível uma intrevista para domingo (31-05-) para divulgar nosso trabalho no programa.
    O objetivo da nossa produtora é mostrar a realidade da comunidade usando as ferramentas da comunicação como meio de difundir ideias,e incentivar adolescentes e jovens a usar os meios de comunicação de forma informativa e consciente

    gostaria que esse recado fosse respondido

    desde ja agradeço sua atenção,

    ass: ana cláudia (arte imagem produções)

  27. ola gosto muito do seu programa e o maximo gostaria de levar um dia o maracatu naçao porto rico pra participar ai com vcs e baque mulher composto so por mulheres
    valeu um abraçooo

  28. eu gostaria de saber noticias da banda via sat, se for possivel.
    obrigado !

  29. quando rola outro festival em casa amarela? tá na hora se liga!

  30. MODÉSTIA PARTE, ACHO OS MÚSICOS PERNAMBUCANOS NA GRANDE MAIORIA DESSA CENA IMPOSTA PELO PODER AUTORITÁRIO DE UM APRESENTADOR, QUE FALTA MUITO, MUITO EM TERMOS DE COMPETÊNCIA SONORA E PARTITURIAL.
    UNS RECO RECO PARA FRENTE E PARA CÁ…UNS RUÍDOS… E QUEREM POR QUE QUEREM SER O BEST SELLER´S.
    ORIENTO AS BANDAS QUE VÃO ESTUDAR MÚSICA E PARTITURAS.

  31. bem quero saber como participar do programa, levando os quatro elementos do hip hop , e muita cultura e solidariedade com a ong acontecer

  32. O movimento Mangue Beat agora é oficialmente um patrimônio cultural imaterial de Pernambuco. A lei estadual 13.853, de autoria do deputado Sérgio Leite (PT) acaba de ser publicada no Diario Oficial do Poder Executivo.

    Confira a publicação através do link:
    http://www.fisepe.pe.gov.br/cepe/materias2009/ago/gov200809.htm

    A baixo, a lei na íntegra

    LEI Nº 13.853, DE 19 DE AGOSTO DE 2009.

    Considera o Manguebeat Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco.

    O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO:

    Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1º O Manguebeat passa a ser considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Pernambuco.

    Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

    Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

    PALÁCIO DO CAMPO DAS PRINCESAS

    , em 19 de agosto de 2009.

    EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS

    Governador do Estado

    LUIZ RICARDO LEITE DE CASTRO LEITÃO

    FRANCISCO TADEU BARBOSA DE ALENCAR

    O projeto que originou esta Lei é de autoria do Deputado Sérgio Leite.

  33. MASSA!!!
    Lembro de um trecho de um frevo de minha avó compôs:
    Você que é pernambucano,não entregue pros baianos acho que isso é de mais…

  34. o Ibura é rico e nos dá orgulho de termos artistas como Bria doul

  35. Minha companhia dançou no programa ano passado e foi bem atendido, porisso estou aqui para convidar todos os fãns do sopa de auditório e a equipe que faz este grande trabalho para ver o grande espetáculo de 10 anos da companhia Aje(companhia artistíca jovens encenam) que será dia 6 e 7 as 19:00 hs no teatro apolo ingresso R$ 5,00(cinco reais). NÃO PERCAM!!!!! vai ser um espetáculo grandioso conto com a presença de todos.
    VENDA DO INGRESSO NO LOCAL OU ENTRAR EM CONTATO PELO E-MAIL gileclipse@hotmail. Por favor os interessados deixar o ASSUNTO.
    dúvidas sobre o grande espetáculo pode entrar em contato

    Agradecido,
    Gilson Amorim Gomes
    Secretário