Quintal PE: Último dia dos preços promocionais

“Criamos o Quintal PE pensando em uma nova oportunidade para os artistas locais. Mesmo os que já adquiriram projeção nacional precisam permanentemente da divulgação de seus trabalhos no Estado, já que, por várias vezes, recebem lá fora um tratamento diferenciado que deveriam ter em sua terra”

O ingresso promocional para o Quintal PE de R$ 20 (meia) e R$ 30 (ingresso solidário) é só até hoje. As vendas são na Saraiva Megastore (Shopping Center Recife). A partir de amanhã o ingresso passa para R$ 25,00 (meia) e R$ 40 (ingresso solidário).

Mais info ? toma!

release:
O melhor da música, cinema e artes no Quintal PE

Evento acontece dia 25 de abril, no Pavilhão do Centro de Convenções

Um festival que evoca a cultura pernambucana e dá destaque ao que de melhor o Estado produz. Assim é o Quintal PE, uma maratona de 12 horas de boa música, projeção de fotos e artes plásticas, e exibição de curtas com sotaque pernambucano. O encontro está marcado para o dia 25 de abril, no Pavilhão do Centro de Convenções, a partir das 16h, e a expectativa de público chega a 10 mil pessoas.

No palco, Roger de Renor comanda o circuito apresentando as atrações musicais: Nação Zumbi, Mombojó + China, Otto, Eddie, Bonsucesso Samba Clube, Maracatu Piaba de Ouro, Eta Carinae, Vargas e, ainda, o lançamento do Blind Date, parceria de Naná Vasconcelos com DJ Dolores que, após o burburinho de sua estreia no Recife, já tem data para excursionar pelo exterior – entre as datas, 21 de agosto, no parque do Lincoln Center, em Nova Iorque. Durante os shows, o palco ganha a “decoração” de fotos, esculturas e objetos assinados por importantes artistas plásticos locais. Tudo em projeção. E, nos intervalos das apresentações, o público será convidado a assistir a curtas-metragens [a lista dos selecionados será divulgada posteriormente].

De acordo com Guilherme Menezes, produtor do evento ao lado de Patrícia Lima, o Quintal PE busca dar visibilidade à cena pernambucana com a apresentação de várias expressões culturais, estreitando a ligação do público com os artistas da terra. “Criamos o Quintal PE pensando em uma nova oportunidade para os artistas locais. Mesmo os que já adquiriram projeção nacional precisam permanentemente da divulgação de seus trabalhos no Estado, já que, por várias vezes, recebem lá fora um tratamento diferenciado que deveriam ter em sua terra”, explica Guilherme.

Os ingressos, à venda a partir desta quarta-feira (1º), na Saraiva Mega Store, têm o preço de R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), com ingresso solidário para inteira no valor de R$ 30 + 1 kg de alimento. Quem comprar após o dia 15 de abril paga R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) ou, para inteira, R$ 40 + 1 kg de alimento.

ATRAÇÕES

BLIND DATE – É o nome do projeto que une os samples do DJ Dolores com a sensibilidade acústica do músico Naná Vasconcelos. Munido de centenas de pedaços de músicas de várias origens, do pop ao clássico, do jazz ao eletrônico, DJ Dolores processa-os em softwares mixando-os, recortando-os e rearranjando-os para oferecer ao mestre Naná uma cama rítmica pra sua voz e seus instrumentos peculiares. Contemporâneo da idéia da mixagem como arte, mas sem fugir do modo clássico de pensar a música, esse projeto é não só inovador conceitualmente, mas também ousado em sua forma final que dialoga com o mundo da dance music. Completa o time o percussionista Lucas dos Prazeres e o instrumentista Yuri Queiroga.

NAÇÃO ZUMBI (www.nacaozumbi.com.br) – A banda fará show do seu disco mais recente, “Fome de Tudo”. O grupo descobriu e aperfeiçoou a alquimia do world metal, do coco dub, da ciranda psicodélica, do bolero dollywood, do psichocarimbó, do baião cyberdélico… Todo esse arsenal está sendo revigorado com o máximo de esmero e consciência neste “Fome de Tudo”, o quinto álbum da carreira, como pode ser constatado em canções certeiras e poderosas como “Onde Tenho Que Ir”, “Inferno”, “Toda Surdez Será Castigada”, “Assustado”, “Bossa Nostra” e na avassaladora faixa-título do disco.

CHINA + MOMBOJÓ (www.mombojo.com.br) – O gosto pela música foi o cupido da amizade entre o cantor e o grupo. Recife, a cidade inspiradora. China e Mombojó apresentam ao público algumas músicas de seus repertórios e realizam um grande “encontrão” no palco, tocando juntos alguns dos seus grandes sucessos. A banda Mombojó, formada em abril de 2001, promove repertório de seu segundo disco, “Homem-Espuma” (2006), além, claro, dos hits de “Nadadenovo” (2004) e de algumas inéditas do terceiro disco. Em “Homem-Espuma”, foram reconstruídas sonoridades passadas, com uma vitalidade contemporânea através dos sintetizadores dos anos 80, do teclado, da batida eletrônica desconstruída, da guitarra minimalista e do baixo que teima em assumir o primeiro plano, até no final conseguir. A banda é formada por Felipe S (vocalista), Samuel (baixo), Vicente (bateria), Chiquinho (teclado e sampler) e Marcelo Machado (guitarra). China está em carreira solo há mais de cinco anos. Nesse tempo, o “show-man” tem contabilizado elogios de crítica, o que lhe rendeu uma indicação para o prêmio Aposta MTV, no Vídeo Music Brasil (VMB) 2008.

EDDIE (www.myspace.com/bandaeddie) – O grupo lançou recentemente seu novo álbum, “Carnaval no inferno”, síntese de tudo que esses olindenses viveram nos quase 20 anos de existência. No CD, encaixa de forma ainda mais precisa seu balanço particular, confirmando sua sonoridade própria e liberdade autoral. O disco é um verdadeiro acerto de marcha da banda, que requinta com toda experiência sua musicalidade de acabamento “garageiro”, inspirada pelo entusiasmo das festas populares de rua. Desta vez, as composições revelam uma vibe menos extrovertida da Eddie, como mostram as faixas “Quase não sobra” (uma parceria de Fábio Trummer com Junio Barreto), “Gafieira no Avenida” (Jorge du Peixe e Lúcio Maia – que integra a trilha sonora do filme Amarelo Manga) e “Nada de novo” (uma homenagem de Fábio Trummer a Rafa, flautista da banda Mombojó, falecido em 2007). No entanto, suas conhecidas levadas festeiras também marcam presença em frevos infernais como “Bairro Novo/Casa Caiada” (Fábio Trummer), na cadência sambista da pérola “Me diga o que não foi legal” (Fábio Trummer) e na gafieira “O baile (Betinha)” (Erasto Vasconcelos). No show, a Eddie promete fazer valer sua marca e expressão roots: original Olinda style. A banda é composta por Fábio Trummer (guitarra & voz), Urêa (percussão & voz), Andret (trompetes, teclados & samplers), Kiko (bateria) e Rob (baixo), contando sempre com a parceria especial de Erasto Vasconcelos.

BONSUCESSO SAMBA CLUBE (www.myspace.com/bonsucesso) – Dos metais do frevo, da dança na rua. O repertório do show é poético, com influências variadas, simples, cotidianas, passando pelo reggae, dub, carimbó, samba, côco e forró, de forma híbrida e plural. A banda, que já lançou dois discos, está em fase de pré-produção do terceiro álbum, com nova formação: Roger Man (voz), Andret (da banda Eddie), Gustavo Da Lua (percussão e voz), Cláudio (baixo), Alex (trompete) e Hugo Carranca (bateria).

OTTO (trama.uol.com.br/otto) – O cantor e compositor Otto fará apresentação com seu samba particular e a batucada de bamba que abarca prosa e ritmo lançados no DVD MTV Apresenta Otto. Ex-percussionista da primeira formação da Nação Zumbi e do mundo livre s/a, Otto não nasceu para ser enquadrado apenas no prefixo “ex”, mesmo ressaltando todo o respeito e agradecimento a esta fase. Deixou muita gente impressionada, assombro estético para o bem, quando saiu com o “Samba pra Burro”. “Condom Black” trouxe o terreiro para dentro do sound-system, do walk-talkie, das pistas & lares. “Uma orgia sonora”, como definiu o crítico Pedro Alexandre Sanches em texto para a Folha de S. Paulo. Mais para a “chanson” do que para o chacoalho, “Sem Gravidade” tem várias baladas românticas – sem medo do brega como quem não tem medo das cartas de amor, como diria Fernando Pessoa. O DVD MTV Apresenta Otto, por inteiro, faz justiça e celebra uma bela obra que apenas começou.

ETA CARINAE (www.myspace.com/bandaetacarinae) – “Mirando a estrela” é o 1º álbum da banda liderada por Dirceu Melo, integrante da extinta Jorge Cabeleira e o Dia em que Seremos Todos Inúteis. Cantor, compositor e guitarrista, Dirceu dá continuidade a um trabalho marcado pelo rock acrescido de escalas regionais. No show, a platéia vai encontrar uma música não apenas contemplativa, mas também leve e dançante, assim concebida por meio do uso de um elemento novo na música – a eletrônica. A idéia do grupo surgiu em 2002, após a participação de Dirceu como integrante da banda que acompanhou o percussionista Naná Vasconcelos durante a turnê do CD “Minha loa”. A formação hoje é de um power trio – Dirceu melo (guitarras, vocais e programações), Rafa Groove (baixo e vocais) e Sanzyo Dub (bateria e programações) -, a mesma que fará a 3ª turnê européia, já com convites pra tocar na Alemanha, Suécia, Bélgica e Finlândia, em festivais importantes de world music como o Sfinkfs (Be), Our Kult (Sw) E Pori Jazz (Fi).

VARGAS – A formação instrumental do Vargas, que compõe um power trio de baixo, bateria e guitarra, é acompanhada por um vocal principal e outros dois vocais de apoio, atuando nas ênfases e refrões. Baixo e bateria formam um bloco sonoro bem sólido, imprimindo peso, pegada e muitas vezes balanço nas músicas. A guitarra é influenciada pelo rock, heavy metal e soul, utilizando-se, por vezes, de distorção valvulada do próprio amplificador e pedais de expressão. A banda segue uma linha de música que deriva do mais puro heavy metal do Black Sabbath, AC/DC e Iron Maiden, chegando ao hip-hop com África Bambaata, The Soul Sonic Force, passando pelo rock clássico de Led, Hendrix, Raul, Dylan e Beatles, encontrando finalmente a música dos anos 90 com Sublime, The Urge, 311, Rage Against the Machine, Planet Hemp e Raimundos.

MARACATU PIABA DE OURO – O grupo foi fundado em 1977, na cidade de Olinda, por Manuel Salustiano Soares, Augostinho Pires e Manoel Mauro de Souza, para relembrar o que eles vivenciaram no campo da Zona da Mata Norte de Pernambuco. O Maracatu Piaba de Ouro, então sob a liderança do Mestre Salustiano, conquistou por sete vezes consecutivas o título de campeão do Carnaval pernambucano. Referência para outros 102 grupos de maracatus que existem em Pernambuco, representa com 55 integrantes o Estado em festivais de cultura em todo o Brasil e outros países, como França, Cuba e EUA. O Maracatu desenvolve um trabalho cultural que envolve vários segmentos da cultura popular: Cavalo-marinho, Molengo, Ciranda, Forró Pé de Serra, Caboclinho e o Maracatu de Baque Solto. No Ponto de Cultura Maracatu Piaba de Ouro, projeto contemplado pelo Ministério da Cultura, oferece oficinas de danças, música, canto, bordados e adereços a jovens e adultos.

SERVIÇO | Quintal PE
Pavilhão do Centro de Convenções
Dia 25 de abril (sábado), a partir das 16h

Ingressos:
Até dia 22/abril: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Ingresso solidário para inteira: R$ 30 + 1 kg de alimento

A partir do dia 23/abril: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Ingresso solidário para inteira: R$ 40 + 1 kg de alimento

Vendas: Saraiva Mega Store – Shopping Recife

Informações: (81) 3464-9393, www.quintalpe.com.br

One comment so far

  1. E qual a hora dos shows?