Dead Fish no Recife

O Show acontecerá no Domingo (14/06) no Armazém 14 e terá abertura das bandas Miami Device, Howay, Fillen e Tribo Suburbana.

Dead Fish (foto: Maurício Santana)

Escute: Dead Fish – Asfalto

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Os capixabas do Dead Fish voltam ao Recife para mostar o show do disco Contra Todos. A última vez que a banda passou por aqui foi na Semana Santa de 2008 (confira a cobertura).

O Show acontecerá no Domingo (14/06) no Armazém 14 e terá abertura das bandas Miami Device, Howay, Fillen e Tribo Suburbana.

Os ingressos custam R$15,00 (primeiro lote de 300 ingressos) e R$ 18,00 (segundo lote) e a produção é da VirtueMusica e Sonora Produções.

mais info?
http://www.fotolog.com.br/virtuemusica
http://www.myspace.com/deadfishoficial
ou (81) 87587099 / (81)34233345

release do Dead Fish – Contra Todos:
Contra Todos

Os capixabas do Dead Fish chegam aos 18 anos de carreira e sexto disco de estúdio em sua melhor forma. “Contra Todos”, gravado durante dois meses entre os estúdios Tambor, no Rio, e Mega, em São Paulo é o grande trabalho de hardcore brasileiro do ano. E 2009 está apenas começando.

Desde 2004 a banda mora em São Paulo e lança seus trabalhos pela Deckdisc, sob a produção de Rafael Ramos. “Zero e Um” foi lançado em 2004 e marcava a passagem do grupo um passo além do underground, onde continuam nadando de braçadas e são o principal representante no país. “Um Homem Só” veio dois anos depois e já trazia o quinteto mais maduro, experimentando climas épicos e abordando temas de forma mais subjetiva.

Com a saída de Hóspede das guitarras, Rodrigo (vocais), Nô (bateria), Alyand (baixo) e Philippe (guitarra) se concentraram em longos ensaios no estúdio Hell No, novo QG da banda em São Paulo, para conceber seu álbum mais direto e visceral.

Em “Contra Todos”, Philippe tira de letra o trabalho antes feito por duas guitarras. Alyand (baixo) e Nô (bateria), este em seu último trabalho pelo Dead Fish (o conjunto incorporou Marcos, também batera do Ação Direta, para comandar as baquetas a partir de agora), formam mais uma vez a cozinha mais potente do som pesado brasileiro e Rodrigo verbaliza (e como nunca!!!) a avalanche sonora. As palavras de ordem do disco são vitória e autonomia, e você ouve o trabalho como se lesse um livro, um romance, em que cada música puxa a seguinte.

Por vezes o recado é curto, como em “Não”, “Shark Attack” e “Armadilhas Verbais”, hardcores que tem menos de dois minutos. “Não”, a música de abertura, não alcança nem o primeiro giro do ponteiro maior, com 57 segundos.

“Autonomia”, “Venceremos” e “Quente” trazem toques modernos, por vezes esbarram no heavy metal, em outras no stoner, carregado no baixo e bateria.

Ás vezes o álbum flui como nos primeiros trabalhos da banda, como na música “Subprodutos”. “Eles estão soando mais jovens do que quando os conheci, no começo da carreira. É o disco mais veloz deles, sem dúvida, e as letras estão diretas, dedo na cara.” – opina o produtor Rafael Ramos.

Os capixabas também incluem influências variadas, como de bandas atuais que subverteram o peso musical (The Mars Volta e Dillinger Scape Plan). Muito bom para quem tem 18 anos de idade e sobrevive em um mercado rápido, onde o que não se renova, morre.

Somado à potência de “Descartáveis”, “Tupamaru” e “Piada Liberal”, o Dead Fish dá o recado da brutalidade na música sem abdicar da melodia. Aí mora a banda, que faz o termo CORE voltar a ter sentido de verdade, depois de amargar um longo inverno.

Posted terça-feira, maio 26th, 2009 under Destaques.

Tags:

55 comments

  1. cara, o show tava foda, o show foi foda, a galera dando mosh’s passava a real energia que o dead fish queria, a única merda foi o atraso, que o show estava previsto para as 15 hrs e só foi começar lá pras 18 hrs e com isso diminuiram o tempo das bandas de tocarem, e tinham 20 minutos para se apresentar. Tirando isso, foi tudo perfeito, som perfeito.

  2. Gabriel Izidoro says:

    som perfeito?
    fala sério véi!

  3. Muito foda! Esse show foi o melhor dos melhores que o dead fish já fez!

  4. DIRETAMENTE RETIRADO DO FOTOLOG DA VIRTUEMUSICA:

    empirerecords disse em 24/06/09 09:04
    Olá Virtue Musica , entrem em contato com a EMPIRE RECORDS para evitar que PROCESSOS JUDICIAIS sejam iniciados.
    Atenciosamente,

    EMPIRE RECORDS

    hummmmmmmmmmmmmmm que bronca ein?

  5. ainda existe um nervo pulsando em meu universo punk e quero ver todos tocando alto e em bom som PUNK ROCK na veia!!!