Resenha: Carfax – Acima do Chão, Abaixo do Céu

Se antes o Carfax era uma banda difícil de definir, tamanho era o leque de influências
e de informações aberto em “O Gosto Antigo da Novidade”,disco de estreia deles, a coisa muda radicalmente de figura com este “Acima do Chão, Abaixo do Céu”. O Carfax agora é, definitivamente, uma banda de rock. E de muitas, muitas guitarras. Talvez a palavra-chave para descrever este trabalho seja “unidade”. Todas as músicas se encaixam. Nada parece fora do lugar. E, acredite, todas as faixas são ótimas. Os cinco anos que separam o primeiro disco do segundo devem explicar como a banda conseguiu conceber um álbum tão intensamente maduro. Seja nos arranjos, nas letras ou na forma de cantar. Tudo melhorou, em todos os sentidos.

“Acima do Chão, Abaixo da Céu” foi praticamente um parto. Durante o período de gravação, a formação da banda foi mudada e viagens inesperadas adiaram o trabalho. Isso sem contar toda a trabalheira burocrática que envolve um projeto financiado pela Fundarpe. Mas a espera valeu a pena.

O disco foi gravado no Fábrica Estúdios, e o trabalho de guitarras obtido é simplesmente impressionante. As guitarras são o elemento condutor de todo o álbum, e grande destaque de todas as faixas. Marcelo Pompi, que toca absurdamente bem no disco, também é dono daquela que talvez seja a melhor voz do rock pernambucana: crua, suja, rasgada e urgente. Iana Reckman, por sua vez, acerta em adotar um estilo mais contido, e brilha em especial em dois momentos: “As Horas”, cujo começo dark dá vez a uma explosão de guitarras no meio da canção; e em “O Céu e o Inferno”, sua melhor interpretação.

O trabalho é aberto com “Santa Fé”, e por alguns instantes chegamos a pensar que o Queens of The Stone Age será a influência dominante. Ledo engano que a própria faixa trata de desmentir depois. “A um Palmo da Cara” traz guitarras blueseiras. “3×4” vem com guitarras ainda mais enfezadas. E a banda acerta ao tocar duas músicas em inglês, as ótimas e pesadas “Do It” e “In The Middle of Nowhere”.

Mas o que sintetiza melhor a evolução do Carfax é uma regravação. “Corpo Fechado (re-load) aparece despida de todo o arranjo pomposo de metais da gravação original. Aqui, ela vem seca, e abre espaço para que a boa letra contida nela finalmente seja percebida em primeiro plano. Aliás, as letras são um caso à parte. Quase todas trazem como fio condutor a dificuldade de se enquadrar no mundo, de se encaixar em padrões. Não são otimistas, embora não sejam tristes. Parece, coincidentemente ou não, que refletem o período turbulento das gravações. Digo, sem medo, que este é um dos melhores discos que ouvi nos últimos tempos.

O Carfax permanece abaixo do céu. Mas está bem perto dele.

Cotação – ótimo

Posted terça-feira, março 2nd, 2010 under Discos, Resenhas.

18 comments

  1. Felipe Cunha says:

    Finalmente esse disco foi lançado! Vou correr pra escutá-lo agora.

  2. Podem acessar o myspace, também de cara nova.

    >> http://www.myspace.com/carfaxrock

    Hugo, botou pra fuder na resenha, está muito bem escrita.
    parabéns, ma ha!!

    abraço!!

  3. Disco Novo demorou tava ancioso para ouvir esse disco,tá foda a resenha Hugo como sempre vc fazendo ótimas resenhas seria uma boa eles no abril pro rock 2010

  4. Nuss, a resenha ficou mega foda.. Jornalista conseguiu descrever bem.. Tá de parabens viu! =) e o pessoal da banda também… Segundo cd tah lindo *-*

  5. Seria muita pretensao a minha “endossar” as palavras do Hugo ?? Acho que nao, ate pela legitimidade das palavras e a verdade dos fatos!
    Contento-me em dizer: Estou IMPRESSIONADA E “ORGULHOSISSIMA” com a maturidade musical deste trabalho da CARFAX. Sem pieguices… esta e A BANDA!!! Amo!!!
    ELES PRECISAM ESTAR NO ABRILPRO ROCK… QUER MELHOR REPRESENTANTE??? Hoje, em Recife, nao ha!!!!

  6. Hugo mandou ver!!
    Esse cd da Carfax está só ar e vibrações intensas de rock!!
    Amei mesmo!!
    Carfax tem que está no Abril Pro Rock 2010! \o/

  7. Esse cd tá foda como sempre o povo da carfax lançando disco novo depois de uma porrada de burocracia disco novo tá ai do caralho,e a Carfax tem que tá no abril pro rock 2010(2),no recicle festival de 2008 eles botaram no bolso Pitty

  8. TurboJugend says:

    Parabéns Carfax, isso sim É uma banda de ROCK!

  9. carfax é uma banda que foi além do preconceito de se fazer ROCK (DE VERDADE) em recife, resistiram…e essa banda sim…já mercece há muito tempo um lugar de destaque aqui.

    isso sim é uma banda de rock!

    CARFAX NELES!!!!

    hehehehe

  10. Eles merecem tocar no Abril. Muito bom o disco de rock ….

    “Se o inferno não fosse tão tristinho assim…”

  11. agora sim me sinto de alma lavada…

    ‘ do início ao fim….tudo no meio é meu’ isso é rock and roll porra!!!

  12. A Carfax é umas das bandas que eu quero ver no Abril esse ano!!!
    e uma das melhores do recife!!! ñ pode faltar no Abril!!!

  13. ai sim…seria um ótimo local para o lançamento…

    seria uma contratação justa…para o time do abril!!

  14. Olá, gostaria de saber o endereço de vocês para mandar um CD para ser resenhado. Obrigado.

  15. Olá à todos…

    Pra quem ainda não ouviu nada do disco “Acima do chão, abaixo do céu” da Carfax, visite nosso my space (www.myspace.com/carfaxrock) e escute 05 faixas novas lá.

    O disco vai começar a ser vendido no mês de Abril e no momento já pode ser adquirido na loja “Mix Music” (Rua da Concórdia – nº 292 – centro do Recife).

    A agenda de shows da banda começa no mês de maio. Maiores inforções no my space da banda.

    Abs, muito obrigado e a caravana não pára…

    Pompi-Carfax

  16. O lançamento do novo disco do Carfax, além de ser muito bom, traz a confirmação do que já havia se delimitado antes: que nosso profissionalismo está melhor trabalhado.

    Afinal, o que temos de pior em relação a outras bandas de rock de outros estados? Absolutamente nada, pois graças aos céus nossas bandas de rock fazem um som vigoroso, e não uma choradeira interminável, embalado por franginhas e chapinhas, e que não contribui em nada para a música.

    Já havia gostado bastante da AMP, e seu ótimo primeiro disco. Agora, vem Carfax confirmar que em Pernambuco nós fazemos rock de verdade, sim.

    Parabéns.