Parafusa – “meio Dia Na Rua Da Harmonia”

Por Recife Rock! em 28 de novembro de 2004


em 28/11/2004 por Bruno Arrais

“Meio Dia na Rua da Harmonia” é o nome do primeiro disco do Parafusa, que será lançado oficialmente no dia 11 de dezembro num show com participação do Vamoz!, no Pátio de São Pedro. Como esse dia ainda vai demorar a chegar, nós do RecifeRock, enxeridos que somos, metemos as mãos numa cópia pré-master do CD só pra contar em primeira mão como ele é…

O Parafusa é uma banda que venho acompanhando há um bom tempo. Já assisti a inúmeros shows deles e sou um fã incondicional, confesso. Sou fã, porque considero a música feita por aqueles quatro caras espetacular. Sou fã porque a música deles me emociona. Sou fã porque eles são grandes músicos e grandes pessoas. Sou fã porque o Parafusa me surpreende cada vez mais.

É incrível o quanto a banda melhorou entre o lançamento do CD Demo “Não Ria de Mim” e a gravação deste álbum. Depois do lançamento do Demo a banda começou a fazer shows e foi aprimorando as composições. As músicas que saíram a partir daí melhoraram muito em termos de letras e arranjos. Agora com esse disco, eles conseguiram melhorar o que já parecia perfeito. Aproveitaram a fartura de possibilidades do estúdio, para adornar um pouco as músicas, incluindo nos arranjos elementos novos. No Asfalto, por exemplo, ganhou violão de sete cordas, percussão, cavaquinho. Resultado: uma música que já era linda da forma como havia sido concebida, foi melhorada em muito.

Eu tinha uma grande expectativa em relação a este disco do Parafusa – apesar de já conhecer bem todas as músicas – porque eles são, na minha opinião, a melhor banda recifense dessa nova cena desvinculada do mangue beat; talvez de todos os tempos. O mínimo que esperava deles era um ótimo CD. Talvez alguns de vocês me achem muito exagerado, mas tenho que dizer que o que ouvi superou em muito minhas maiores expectativas.

“Meio Dia na Rua da Harmonia” é um disco lindo. Simples, sincero e lindo. Da primeira vez que escutei, arrepiei-me em vários momentos. Hoje, milhares de audições depois, continuo me arrepiando da mesma forma. É incrível o quanto as 12 faixas que o compõem são bonitas; cada uma à sua maneira – o disco tem canções de todo tipo: alegres, tristes, agitadas, calmas, tensas -, mas todas emocionantes.

Esse disco é daqueles que dá vontade de escutar acompanhado da pessoa amada, de mãos dadas, cantando juntos e de olhos fechados, que é pra poder sentir melhor toda a beleza das músicas. É o tipo do disco que, dependendo do seu estado de espírito, pode te emocionar tanto ao ponto de te levar às lágrimas. Lindo demais.

Sei que este texto está longe de ser um texto jornalístico imparcial. Sei que existe um pouco de exagero por trás das minhas palavras. Mas é assim que me sinto. São exatamente essas as impressões que o disco me passou…

Para finalizar, só quero lembrar a vocês que dia 11 é o show de lançamento do CD, portanto corram todos para o Pátio de São Pedro para conferir ao vivo tudo o que falei aqui. Também não deixem de comprar o CD, vai valer a pena certamente.

01. PARECE FILME

02. A HISTÓRIA DO BOI TATAU

03. NO ASFALTO

04. ÚLTIMA TROÇA

05. PRA QUANDO DORMIR

06. LONGA CANÇÃO SOBRE UM GRANDE AMOR TÃO FELIZ (O FREVO)

07. NÃO SEI DANÇAR (A BAILARINA)

08. MARCHINHA

09. VOU CANTAR NOUTRO QUINTAL

10. TUDO BEM

11. A DAMA DO PORTO

12. MARIA

Links:
» Parafusa no RecifeRock

——–

%d blogueiros gostam disto: