Abril pro Rock – segundo dia

Metauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu! (isso foi no show do Korzus)

A justificativa

Escrever sobre o sábado do Abril pro Rock é sempre complicado. Principalmente porque o público de metal é mais exigente do que os outros, e cobra (com razão) um grau de erudição de quem faz a cobertura que poucos jornalistas têm. E quando falo em erudição, não é mera figura de linguagem. Querem saber o ano e o mês em que cada canção executada foi composta. Quais pedais os guitarristas usam. Quantas notas tocam por segundo, e por aí vai. Estou longe de ser um especialista no assunto, embora tenha passado anos da minha vida vestido de preto e ouvindo metal. E só para mostrar que também tenho meus momentos eruditos, sei que sou uma das poucas pessoas que sabem que o goiano Mechanics tocou um cover de War Machine, música que está no álbum Creatures of The Night, lançada em 1982 pelo Kiss e composta por Bryan Adans (isso mesmo, o mela-cueca canadense é o autor daquele riffão). Deixando a primeira parte da justificativa de lado, passemos ao segundo ponto.

Perdeu a graça falar mal de emo. Ficou repetitivo, ódvio. Não existe mais nada a ser explanado sobre o assunto. Pelo menos para mim. E foi por isso que, quando pensamos no formato da cobertura do Abril pro Rock, pedi para não escrever sobre as performances das bandas que se dedicam ao gênero. Seria chato para mim, que teria de perder tempo procurando adjetivos pejorativos e palavrões rebuscados para ofender os grupos; seria chato para o público, que pela vigésima vez teria de aturar um texto malcriado deste escriba; e sobretudo seria injusto para as bandas, que seriam aqui “rabiscadas” por um sujeito que preferiria cobrir a guerra do Iraque ao invés de testemunhar tais shows. Pedi para Guilherme, este sim, especialista e defensor do gênero, escrever sobre tais shows. Ganhamos todos com isso.
[ Nota do Editor: As resenha do palco 2 entram amanhã. Vou tentar por mais fotos e vídeos que fizemos ]

O futuro

A rabugice dos pernambucanos Rabujos atingiu em cheio lados opostos no palco 3. Se seu show foi competente ao ponto de abrir uma senhora e saudável roda de pogo, amplificada pela brutalidade e energia do som, os sujeitos apelaram para impropérios que fugiam da alçada artística: disseram, no show, que não precisavam do Abril pro Rock. Temos aqui um caso crônico de incoerência: se não preciasvam, por quê diabos tocaram? Melhor seria dizer isso ao ser convidada pela produção e ceder o lugar para quem relamente tivesse consciência da vitrine que o festival representa.

Fiddy ao vivo no Abril Pro Rock 2007

Já o Fiddy trouxe algo que o metal precisava há tempos: humor. Mais engraçada do que a performance deles (só um tapado não percebe que uma banda que lança um disco chamado Maionese is Godzilla não quer fazer outra coisa a não ser levar um pouco de diversão a um gênero geralmente tão sisudo) foi ver a cara de indignação de jornalistas especializados e de produtores de metal ao verem o show. Pareciam pensar: “tanta banda boa por aí e eles colocam logo essa porcaria”. O problema é que o metaleiro ortodoxo leva tudo para o lado pessoal. Acha que qualquer tentativa de fazer algo mais escrachado, na base da gréia mesmo, é antes de tudo uma forma de heresia. Pena que sejam tão mal-humorados. Pois o Fiddy (corruptela para “fi di rapariga”) brindou o público com pirulitos, peso, teclados circences, vocais limpos e guturais, coreogafias hilárias e uma alegria de estar em cima do palco que é de encher os olhos. E aqui entra o orgulho besta de quem os viu um dia em 2003 e e pensou: “um dia eles chegam lá”. O que mais admiro no Fiddy é a capacidade e coragem de brincar com os extremos, com os limites. Eles querem mais é ser amados e odiados na mesma prporção. E são perfeitos para isso.

O presente
A única apresentação que vi no palco 2 me deixou incrivelmente intrigado. O Mechanics parece um êmulo de Alice in Chains e Queens of The Stone Age. O vocal, por sua vez, emoldurava linhas mais melódicas, como Iron Maiden e seus asseclas. É preciso ressaltar que o cover de War Machine foi perfeito. Era o que a música deveria ser se o Kiss soubesse tocar. Mas é no mínimo estranho e um tanto constrangedor quando a coisa mais memorável de um show é um cover. Falta aparar algumas arestas e definir melhor a sua linha ideológica: ou metalzão clássico, ou rock duro. O meio do caminho parece não ser o local indicado para eles.

Korzus ao vivo no Abril Pro Rock 2007

O passado
O veterano Korzus fez um show que primou pela competência. Absurdamente pesado em alguns momentos e com excelente uso de pedal duplo, a banda acabou agregando gregos e troianos, metaleiros, punks e indies. Visitantes educados, convidaram o guitarrista Adriano, da pernambucana Chaospheare, para uma participação especial. Despejando Slayer por todos os poros, a banda foi responsável por um momento bacana no backstage: sempre com um copo na mão, João Gordo não desgrudava os olhos da tela que passava imagens do show. E parecia gostar bastante do que via. Enfim, uma bela apresentação que foi literalmente degustada por um público que nós, pobres mortais, só temos a oportunidade de ver uma vez por ano.

Ratos de Porão ao vivo no Abril Pro Rock 2007

Ele xingou o emo, mostrou a barriga e o cofrinho, praguejou contra latifundiários e racistas. Correu, fez careta, bateu vezes sem fim com a mão na cabeça e soltou o vozeirão. Nem parecia o pacato sujeito que bebericava vendo o Korzus minutos atrás. A máquina de demolir tímpanos do Ratos de Porão continua mais azeitada do que nunca. Aliás, considero João Gordo um dos sujeitos mais injustiçados da música brasileira. Freqüentemente acusado de vendido e traidor do movimento, são poucos os que se dão ao trabalho de observar que a obra do Ratos de Porão é bem mais intensa e inacessível (é um elogio) hoje do que nos tempos pré-MTV. E que ele ganhou reconhecimento nacional (até minha avó sabe quem ele é) sem fazer uma só concessão. “Crucificados Pelo Sistema”, “Beber Até Morrer”, “Plano Furado” (a melhor “homenagem” já feita ao nefasto José Sarney”) e “Aids, Pop, Repressão…” continuam emocionando como há vinte anos. Ver uma fileira inteira de seguranças contendo o riso é feito para poucos. Manter uma interminável roda de pogo durante todo o show é tarefa de quem, como mesmo se define, “não passa de um tiozinho de merda que tenta fazer um harcorezinho aí”. Usando o linguajar do próprio, vai ser modesto assim na casa do caralho.

Tequila Baby

Alguém já viu Paul McCartney de perto? Nem eu. Mas vi Mark Ramone! Até falei com ele. Em entrevista, mas falei. Perguntei se ele gostava de emo. Ele respondeu algo do tipo “dos males, o menor”. Me sinto à vontade para me gabar de tal encontro porque a presença dele por aqui causou uma comoção poucas vezes vistas. Era um tal de jornalista chorando no palco de um lado, repórter tentando tirar foto com ele de outro. Ou seja, o tipo de tietagem explícita que só se justifica com uma lenda-viva. Mas as coisas começaram um tanto confusas. Seguindo à risca o DVD de Mark Ramone e Tequila Baby, a banda gaúcha começou tocando sozinha. E aí duas coisas ficaram evidentes: ninguém na platéia parecia saber da existência de tal DVD e muito menos quem era o Tequila Baby. Após tocar dez músicas para um público totalmente desinteressado, a banda interrompe o show para tomar uma água. Era a deixa para a lenda, bexiga pendurada na cabeça, dar o ar da graça para começar o ritual. E os clássicos foram abençoados, um por um, pelas baquetas do último sobrevivente de uma linhagem extinta. João Gordo foi convidado para evocar “I Don’t Care” e “Commando”. As palavras sagradas Hey, Ho, Let’s Go e Gabba Gabba Hey não foram pronunciadas em vão. E você começa a medir o grau de importância de alguém quando passa o show inteiro olhando para a bateria. Os Ramones estiveram vivos durante alguns minutos no Recife. E como estiveram.

Marky Ramone

O Sepultura apresentou um show burocrático. Competentes como sempre, erraram ao privilegiar o lado b de seu repertório. E interromperam demais sua apresentação. Dizer que Iggor faz falta é chover no molhado. Mas houve bons momentos: finalmente voltaram a tocar a versão completa de “Dead Embrionic Cells”. Tocaram com esmero “Slave New Word”. Arrastaram algumas músicas até à beira do cansaço. Quando já estava pronto para concluir que o show estava sendo tremendamente chatos, eles mandam Territory em formato irretocável. Mesmo convalescente, o Sepultura ainda goza de uma audiência e prestígio quase inabaláveis. Uma banda que vive um triste paradoxo: segue com ótimo nível estético e criativo, mas vende cada vez menos. Resta saber quanto tempo ainda resta ao Sepultura.

Sepultura no Abril Pro Rock 2007

Posted domingo, abril 15th, 2007 under Coberturas.

99 comments

  1. Fernando Carmelo says:

    o abril realmente, diferente do ano passado, valeu o ingresso. os shows do palco 1 foram muito bons e legal que o palco 2 teve a mesma estrutura do 1, paulo andré dessa vez acertou a mão. tomara que a tendência seja melhorar com o passar dos anos e que venha QUEENS OF THE STONE AGE!!

  2. Só não concordo com o comentário sobre o show solo do Tequila Baby, realmente pouca gente esperava que eles tocassem… Eu já sabia pois acompanho o trabalho dos caras há alguns anos, O púbico ficou surpreso sim, mas em momento algum vi alguem fazendo cara feia, foi uma surpresa boa pra muita gente que agora vai correr atrás e conhecer um pouco mais sobre ssa banda que é uma das melhores bandas de Punk Rock nacional.

  3. Uma cobertura de Show tem q ser uma cobertura de show
    independente de estilos, as bandas Dance of Days e Carbona deveriam ao menos terem sido sitadas acima, pq se vc faz uma cobertura, faz uma cobertura sobre o evento e não sobre o Metal…
    Preconceito, num site de tanta voz como esse é ridículo, independete de emo ou bubblegum, eles foram contratados, e estavam fazendo seu trabalho, coisa q seu Hugo Montarroyos não fez…

  4. TEQUILA BABY surpreendeu. As músicas são muito boas, e acho que todos que ouviram pela primeira vez adoraram. Com o mrky foi maravilhoso!

    Viva La TEQUILA!!!!!!!!

  5. Faltou falar do susto que deram na gente na hora de marky entrar. Anunciaram o Show de Carbona em Vez do de Marky. Que susto heim. :P

  6. O sábado foi sensacional! :D

  7. Realmente, nem o Rabujos, e nem uma porrada de bandas daqui de recife precisa do abril pro rock, existem vários shows e por um ingresso bem mais “baratos”… O que faltou no escriba da resenha foi saber interpretar o que o cara falou… e não ficar pagando pau p/ APR p/ no próximo ano não correr o risco de ficar de fora ou pagar ingresso p/ ter o que cobrir…
    Como sempre, entre mortos e feridos, alguem desse site fala uma merda…

  8. Caro, “jornalista” ou “comentarista” o seja o que for…
    creio que voce foi bastante infeliz no comentario sobre a Rabujos e não prestou muita atenção no que o vocalista falou encima do palco. ele apenas disseApenas que as bandas de underground de Recife não precisavam depender de abril pro rock para fazer show disse tambem que existem muitos shows de underground a 2 reais por ai e que muitas vezes são muito mais valido do que grandes festivais e que as pessoas deveriam procurar mais esses shows e dar mais valor e não ficar sempre precisando de um abril pro rock para ver tais bandas de qualidade.
    vejo que voce prestou muita atenção na mensagem a qual foi passada e acabou falando besteira no seu comentario.
    enfim na proxima procure entender e dar valor a bandas de qualidade que estão no ramo a anos e sabem o que dizem.
    pois vc deve saber que as coisas na cena local não é nada facil
    abraço.

  9. Concordo com o cara la de cima cobertura é cobertura, independente do estilo (Preconceitos num site ‘ainda um dos melhores sites de musica do Brasil’).

    Dance Of Days – N Gostei nem um pouco se tivesse feito o show em inglês pelo menos tinha desfassado as péssimas letras, um show muito sem graça!!!

    UDORA – A Banda fez um bom show os caras tem uma boa presença de palco, Agora ficaram meio que desepicionados pois antes deles tocou RATOS é viu o show bem animado e o show deles com umas 5 pessoas que conhecia as musicas, ai começaram a se promover dizendos que são os fodas sem saber pq ak a turma n trataram eles assim, até deu um fora na turma quando deram o velho grito toca rau! Mais Fiseram um grande show!!!!!!!
    OBS: Tinha um cara do recife rock filmando o show do meu lado mó empolgado!!!!!!!!

    Carbona essa hora eu tava grafitando minha camisa!!!!

    Descordo do que Falou sobre o show de tequila tinha uma galera boa cantado as musicas da banda na roda que foi uma das mais animadas que teve!!!! eu mesmo era um deles apesar de achar um besteirou!!
    E nimguem falou ainda da musica brega que eles cantaram!!!

    É tequila junto com Mark Foi a melhor apresentação da noite!!!!!!!!!!!

    MEU COLEGA PEGOU A BAQUETA!!!!!!!!!!! q cagada

    Até 2008!!!!!

  10. Hugo, vai te catar! says:

    Hugo vacilão! Já tem dois comentários ai em cima falando do comentário do Jaka sobre o Abril, voce entendeu errado seu paga pau!!! Eu já vi voce um dia no Galpão do Rock, no Barro, voce lembra quantas pessoas tinham??!?
    Era disso que o jaka tava falando. As pessoas não precisam do Abril para ver shows bons e ponto final!!!

    Mas o sábado foi foodA!! Ratos fudido!!!! Korzus!! Rabujos! Tríade dos infernos!
    Eu nem vi o palco 2 … por que será?!

    E continuo achando que voce delira ou é primo de alguém da Fiddy. PIvetes retardados, não é cisma de “sisudo”. É por que é um lixo mesmo.

  11. Guilherme… gostei muito dos comentário sobre o show, mas ficou devendo na “hermeneutica”(em referencia a erudição exigida, segundo o comentário inicial) de uma simples frase!

    “Não precisamos do APR para continuar tocando” quis dizer pura e simplesmente que os caras sobreviveram a 13 anos e alguns meses no underground, e não fazem de grandes festivais a “máxima” para a sobrevivencia da banda.

    Posso afirmar com autoridade de amigo, fã e “vivente” do underground com o rabujos de que, claro, é um presente e recompensa tocar no festival… mas não é para e/ou por isto que sobrevivemos!

  12. é Galpão do Rock boas lembranças!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  13. Fiddy foi mt foda!!!

    cada vez melhor

  14. MErmão …palhaçada essa banda Fidi vei !! q banda ruim !

  15. ops… Guilherme ou Hugo?? agora eu to confuso! hehe

  16. mais uma vez o reciferock! demonstrando amadorismo, primeiro em falar uma besteira dessas sobre os rabujos, uma banda que tá na estrada a 13 anos e nunca tocou no apr é porque realmente não repcisa dele pra sobreviver, o que jaka quis foi chamar atenção pra o underground recifense que é grande e diverso e todas as bandas sobrvivem independente de abril pro rock.. segunda coisa e não fazer resenha do dance of days, do carbona e etc..

    pra fazer uma resenha merda dessas é melhor calar a boca

  17. alguem sabe a quantidade de pessoas da noite de sabado?
    soh por curiosidade :P

  18. Paulo José says:

    O que o vocalista disse é que a banda é uma brincadeira. Passatempo de boy que quer ser underground. CHEIO DE BANDA DE METAL PROFISSIONAL E BOTAM ESSAS MERDA DE RABUJOS PRA TOCAR! Fiddy e Rabujos = VERGONHA! FODA É ESSAS BANDAS OCUPAREM ESPAÇO DE BANDAS SÉRIAS. RABUJOS DE MERDA! SE NÃO QUER TOCAR TEM MUITA BANDA QUE QUER! PIRRALHOS TABACUDOS!

  19. Cleiton costa says:

    Se a banda tem 13 anos e são pirralhos então bandas de qualidade tocam em um sarcofago
    hauhauhauhauhaua
    e acho que vc ai companheiro deve ser colega do “resenheiro” do Recife rock que não presta atenção no que as pessoas falam e tentam passar num show
    parabens e procure olhar mais a cena local e não ir para apenas festivais como abril pro rock e aqueles do chevrolet hall

    crianção

  20. Charles Kane says:

    a tônica das resenhas desse jornalista é o seu gosto particular. quando você acessa um site, abre (compra) um jornal ou uma revista para ler alguma coisa sobre um show, você quer encontrar uma COBERTURA de show, e nao impressoes subjetivas carregadas de julgamento de valor, porque julgamento de valor você já tá cansado de discutir com aquele seu vizinho chato que torce para o time rival do seu. trabalho profissional tem que ser distinto. imparcial, respeitoso, honesto. principalmente se relacionado com os mass media.

    ouso fazer uma previsão: no texto sobre os shows do Domingo, os The Playboys serão gastadamente exaltados. o show deles vai ser o melhor da noite e bla,bla,bla.

    nao tenho nada contra a banda, o show deles pode ser mesmo o melhor. nao se trata disso. a questao é, você sabe exatamente o que seu vizinho vai chegar em casa contando depois de uma partida do time dele. ganhando ou nao, você vai cansar, mais uma vez, do seu vizinho e talvez, do time dele, que no fundo nao vai ter nada a ver com a historia.

    ‘jornalismo’ é ‘Outra Coisa'(pegando emprestado o nome daquele periódico)…

  21. O comentário foi bem infeliz, independente da intenção de Jacques. Claro que bandas precisam de eventos como o Abril pro Rock. Se hoje temos tantos festivais, esses devem muito da inspiração no Abril, que teve a coragem de começar toda essa formação de uma cena na cidade.

    Mas o mais importante é que precisam sim do Abril pro Rock porque muita gente não conhecia bandas como o Rabujos. Quando desceu do palco, o que ele mais fez foi dar o enderçeo do myspace para os interessados em conhecer ainda mais do trabalho do Rabujos.

    O Abril é um canal gigantesco para o público local conhecer bandas. Nem todo mundo fica sabendo de shows que acontecem na cidade, essa informação circula muito pouco. O festival – não só o Abril, mas todos os festivais – são o ponta pé para essas movimentações menores. É bobagem não reconhecer isso.

  22. Piada esse “escriba”! E olhe que não é a primeira nem a última vez. Esperemos a próxima “resenha” sobre o terceiro dia do APR e sobre o The Playbois.

  23. Paulo José says:

    CLEITON VA SE FODER! VOCE TOCA NA BANDA ? OU BATE PUNHETA NELES ?
    QUERO É METAL! FALTOU SILENT MOON E MASTERDOMME NO LUGAR DESSA RABUJOS E FIDDY.
    Texto ruim mesmo é do Jornal: http://jc.uol.com.br/2007/04/14/not_136859.php
    roda de empurra-empurra, mottop (rs), korzuz, bandas especiais, sacudir a cabeça. É AXÉ ?

  24. ehehhe pois é hugo…. “a voz do povo é a voz de deus”. já dizia o liberalismo iluminista do sec. xvii.

    mesmo você se abstendo de falar do que já é criticado, você continua a ser criticado, e por mts. hehehe

    tlvz não seja todo mundo, mas você quem deva mudar. orgulho e personalidade não se confundem com insistência demasiada e cabeça-dura.

    a aforismo “falem mal, mas falem de mim” não pode ser levado ao pé da letra. ser criticado não se confunde com viver em falha. (falha pq não procurou nem ao menos entender o recado)

  25. ui q histeria paulo josé.
    já dizia akela ex-mulher de latino;

    “calma beybi… baby, calma”

  26. Guilherme Moura says:

    Anderson,
    Era eu que tava filmando pro RecifeRock!
    Mas não tava empolgado não. A banda tem uma boa presença de palco, mas é um popzinho no meio de bandas pesadas. Achei sem graça. Na verdade eles vieram pro APR como ‘casadinha’ do Sepultura, eles dividem o mesmo produtor ou empresário.

  27. RecifeRock de MERDA says:

    É… Não é à toa que eu sequer passo os olhos nesse site, raramente lembro que existe.
    Dai numa dessas raras vezes, procurando saber algo sobre o show de bandas como dance of days e carbona, leio e releio a resenha e sequer vejo os nomes das bandas serem citados! Isso é ridículo, site baba-ovo e preconceituoso! Vão dar o cagador pra mark ramone! Aliás, ô bandinha ruim! musiquinhas de 3 acordes… ooooh que genial!
    O que vocês ainda estão fazendo por aqui hein, tentando ganhar nome no cenário recifense? Desse jeito? É melhor calar a boca e se fechar! Bando de CU SUJO!

  28. Guilherme Moura says:

    Falem mais sobre os shows. Tem 7 comentários que citam a Rabujos, apenas um diz que foi ‘foda’ (e nem diz porque foi foda). Será que ninguém viu o show ?
    Acho uma perda de tempo fazer resenha da resenha, esse espaço vai ficar muito mais rico se as pessoas também disserem o que acharam dos shows, da estrutura, do ar-condicionado defumador, segurança, da ordem das bandas…

  29. Guilherme Moura says:

    RecifeRock de MERDA,
    Você nem leu o texto. Amanhã entram as resenhas do Palco 2. Vou até por isso em mais destaque.

    Hugo,
    ‘Especialista em EMO’ hehehehe.

    Vejo vocês lá no Pavilhão.
    rock!

  30. valeu ao menos por esclarecer algo guilherme!! e claro, desculpas pela confusão da resenha. é q foi citado seu nome! hehehe estou tentando comentar de forma menos pessoal possível.

    eu fiz alguns comentários(e não uma resenha) na comunidade do abril pro rock:
    http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=930625&tid=2526778993813167397&start=1

    e mais uma vez fica as críticas em relação ao grande equívico de hugo sobre o rabujos(pq fez provocação, e na verdade ele que vai ter q aguentar a provocação agora), e a falta de exigência em relação a fiddy, que na opiniao qse absoluta, não foi um bom show!!

  31. André Maciel says:

    Tequila me impressinou, muito bom o show. Vi muitos cantando as músicas dele.

    Marky? Pô, só digo que levaram meu celular porque fiquei “abestalhado” olhando para ele enquanto a galera se comia na tapa atrás de mim. Até um cavalo tiraria meu celular do bolso no estado que eu tava olhando para o HOMEM.

    Quando eu ficar velho vou lembrar que fiquei a uns 7m de MARKY RAMONE e não de um celular.

  32. o comentário do élder sobre o xow ta bem mais crítico que esse, e vale ressaltar q além do equívoco por parte do hugo sobre o rabujos, o preconceito q rolou foi grande…
    e sobre o xow de Tequilla eu axei a guitarra mt zuadeira, =/ n sei se era minha posição q n favorecia ou a guitarra q tava mais alta do que o vocal, e mt barulhenta
    mas o xow em sí foi o melhor

  33. Boca Maldita says:

    ** Tudo foi MASSA … o segundo dia foi o q eu esperava !
    Rabujos cativou o público (o publico encheu a frente do placo ! roda, rock, porrada … d’karalho)
    Fiddy tbm …
    os EMOS, realmente não tiveram muito espaço, a galera ficou sentada não deu muita atenção… mas respeitou os caras tocarem – acho q foi o dia errado p/ eles … pq eles tem o público deles.

    Agora falando de Fiddy, (a novidade do APR deste ano p/ mim !)
    O que mais via lá dentro era camisa Fiddy e Gravatas Amarelas .. procurei alguma no chão pra vestir e não achei ! Pq !?? Acho que cairam no gosto do público !.

    ATITUDE, CORAGEM, DETERMINAÇÂO, CRIATIVIDADE, ALEGRIA,
    MUSICA, PALCO.

    Cada Banda tem o seu público e acho q isso deve ser respeitado, como a opinião de cada um tbm !

    Tudo é bom e ruím ! Sempre vai ter alguem que nao gosta, ama, odeia, “nem fede nem cheira”, falar mal, criticas boas e ruíns .. Depende do ponto de vista !

    Eu acho que as bandas que foram para o Abril tem TUDO a merecer, até as críticas …. e pra finalizar:
    – Ei, vc tem namorada !? cuidado … arrange uma rápido.. alguém acha que vc “peida na “salciça”.

    Mas o melhor de tudo … foi ver Rogê andando com a camisa de Fiddy lá dentro do pavilhão (rsrsrsrsr)!

  34. Will Proletario says:

    Pois é… Se deus existisse, com certeza ele seria um Ramone. Tequila Baby? Quem são esses caras? Apenas uma banda de apoio… Conheço o Tequila há alguns anos (infelizmente), e vinheram junto com o Marky. Estve em 2000 no Dokas, valeu a pena; como hoje tb valeu. Fiz um abaixo-assinado para a vinda do Ramones ao Recife. Mais de 4000 assinaturas; Preferiram bandinhas de forró ou outro lixo qualquer. Ratos? Nota 1000; mas ver um Ramone de perto; novamente, isso não tem preço. Não importa se ele apenas estivesse lá, Marky é um Ramone (é no presente), esteve aqui, tocou e voltou…
    Eu vi e ouvi!

    Hey ho, let’s go!

    Will Proletário

  35. Ver Marky foi sensacional, mas onde estavam todas aquelas pessoas 7 anos atrás no show do Dokas? O show (que teve prejuízo, segundo informações na época) foi excelente, com os finados Intruders. De repente aparece um monte de gente se dizendo fã do cara. Achei estranho isso. E discordo quanto ao show do Tequila sem Marky, que também foi muito bom. Pelo menos o povo que tava na frente sabia cantar sim! Como João Gordo diz: hoje em dia num clique e a múica vem a você. Geração mp3.

    O show do RDP foi muito bom! João Gordo está cada vez melhor como vocalista, até mesmo pq depois de emagrecer sua auto-estima melhorou bastante.

    Seria interessante comentarem sobre os vários furtos a carteiras e celulares no show. Abrimos vários “cordões de isolamento” lá na frente do show de Marky com o TB pro pessoal procurar o que tinha perdido, mas eram sempre em vão.

  36. Fiddy fio péssimo, eu queri ver um show, mas assim que vi 355674576456 pessoas no palco, ja vi que ia ser um circo.

    É triste ver que o rabujos perdeu uma boa hora pra tocar, e deram o lugar pra esses manés, muito ruim mesmo.

    E mais uma vez, o undergroud é mal entendido, mas para bom entendedor meia palavra basta, ja vimos que esse reporte Hugo entende de porra nenhuma, e tenho dito.

  37. Icaro disse merda: says:

    Icaro, 355674576456 lotaram a frente do palco 3 com Fiddy e com Rabujos ! Vc toca? Vc gosta de EMO? Vc tem Banda? vc tocou no Abril? afinal do que vc gosta?, alem de falar mal dos outros?, Cuidado com o q vc fala véi, ou então procura emprego no RecifeRock, melhor … vc é tão bom e dono da verdade, pq vc não manda uma FITA pro BBB! quem sabe vc é tão competente qto Hugo, ou melhor do que ele ! Vc é Deus !? vc é quem !?? Critique as bandas, e seja ao menos Educado ao criticar um reporter que trabalha fazendo criticas… Na verdade acho q a sua ida ao APR2007 foi um aborto, se vc ficasse em casa teria sido melhor, pq nem vi vc lá!

  38. Meu comentário vai para o resenheiro aí:

    Hugo, pra variar, defecando pela boca, deturpando/alterando frases, pra passar mal impressão da banda, no caso Rabujos.

    Uma pena ter um caboclo assim pra fazer resenhas tão imbecís.

  39. Ps.: Pra quem não ouviu, o vocal da Rabujos disse:

    “não precisava do Abril pro Rock pra TOCAR PARA VOCÊS! Vão a shows undergrounds.”

    Apenas isso. É lastimável ter um incompetente de grande porte fazendo resenhas com a mesma largura de responsabilidade seu porte (de babaca).

  40. Mermaum Resumindo FId foi o pior xou q o abril ja teve.

  41. Alguém ai já ouviu falar na maldição do Abril pro Rock?
    Pois é! Existe uma síndrome que ataca quase todas as bandas que passam pelo festival que acham que chegaram ao ápice de suas carreiras passando a cobrar cachês difíceis e a não querer organizar ou ajudar na organização de mais nenhum evento. O que faz com que estaas bandas sejam deixadas de lado.

    O que nosso amigo do Rabujos quiz dizer é simples. Vamos continuar, vamos em frente, vamos valorizar e prestigiar as bandas locais. O Abril é um dos mais importantes festivais do país e ninguem jamais negaria isso mas não pode ser fim de carreira pra ninguem.

    Certamente também não posso culpar nosso outro amigo Hugo Monarroyos e o Recife Rock que com certeza ouviu mal o discurso do Rabujos em meio a tanta gente! Isso acontece!

    Quanto a Fiddy! Eu incluiria os comentários radicais sobre esta banda no mesmo assunto sobre a acusação de preconceito feita contra o Recife Rock e concordo quando dizem que as coberturas devem ser feitas de forma imparcial, assim como os comentários da galera que visita os sites. Não gosta da banda? Beleza! Mas nem por isso ela perde seu mérito, credito, capacidade ou talento! Assim como as bandas não precisam apenas do Abril Pro Rock pra continuar, a Fiddy também não precisa de quem fala mal!

  42. ozzy, xerxes, icaro disseam merda: says:

    eu acho q vcs fazem um bom triangulo amoroso, ! é como disse o BBB é um bom lugar pra vcs fazerem sucesso ! Resta saber quem será o homem ! (se for o caso!)

  43. só para constar, tambem levaram meu celular. vi um cara na minha frente procurando algo e perguntei a ele o que era. era o celular tambem. acho que teve um ladraozinho que se deu bem…

  44. Pedro Henrique says:

    Só um erro que achei aqui nos comentários foi do Will Proletario, procure se informar da história da Tequila Baby antes de falar que ela é uma simples banda de apoio do grande Mark. Para o pessoal da TB concerteza é um orgulho tocar junto com ele, mas te afirmo.. eles já existiam muito tempo antes de conhecer o Mark.

  45. O SHOW FOI FODA! KORZUS DESTRUIU TUDO E RATOS E SEPULTURA TAMBÉM!

    SÓ UMA CORREÇÃO AMIGO, FUI EM QUEM TOCOU UMA MÚSICA COM O KORZUS NO SÁBADO, MEU NOME É ANTONIO, E A BANDA É CHAOSPHERE! SÓ PRA CONSTAR!

    ABRAÇÃO

  46. juarez Juara says:

    E Hugo novamente causando polêmica!
    eaheaheaheha.
    Acho que ele não entendeu o que Jacques falou.

  47. paulo jose é retardado says:

    ei mané !! vai te fuder!!! pau no cu!!!!! metal de cu é rola!!!

  48. Caros Hugo, Guilherme e equipe recife rock…

    bom… me falaram tanto sobre a polêmica causada aqui pelo texto do hugo que eu resolvi checar hehehe
    bom… já percebi também que nem preciso explicar nada pelo Rabujos… acho que as pessoas que estão comentando aqui já demonstram ter entendido o q jaka quiz dizer… é como o Ozzy lembrou bem: “não precisava do Abril pro Rock pra TOCAR PARA VOCÊS! Vão a shows undergrounds.” não depreciamos nada… e por mais que seja difícil de entender o que ele quiz dizer… as ultimas palavras do Rabujos no palco foram… “SE VCS CONCORDAM OU DISCORDAM… SE ACHARAM UMA MERDA TUDO QUE DISSEMOS… NÓS ESTAMOS AQUI DO LADO DO PALCO PRA TROCAR UMA IDÉIA” e é o que sempre fazemos em nossos shows pra esclarecer qualquer mal entendido ou realmente ser questionados em relação a algo que faça parte de nossa postura… chance de esclarecer o Hugo teve… não foi por que não quiz!!! quem entendeu outra coisa e achou interessante esclarecer chegou junto e passou a entender… e quem tem realmente tem o compromisso de informar com clareza apura os fatos… e não fica abrindo polêmica com esse tipo de coisa… enfim… é isso ae… mesmo assim valeu recife rock e hugo montarroios por nos citar na resenha ;) mas da próxima vez tentem apurar melhor os fatos… a não ser que a intenção seja o que está acontecendo aqui… vários comentários e visitas realmente… mas grande parte de pessoas indignadas pela distorção dos fatos… fico triste por perceber o processo que o site passou… chegando ao apce de qualidade e de repente nos seus altos e baixos ir mais baixo do que alto… e hoje quando escuto daqueles que deveriam buscar o espaço pra se informar ouvir mais criticas do que elogios…

    foi muito foda pra nós tocar no Abril e agradecemos a produção pelo espaço e tratamento, principalmente por parte do pessoal da Astronave que nos tratou com muita atenção quanto ao Wolly (acho que é esse o nome do cara que era responsável pelos palcos hehehe) que nos tratou com muita responsabilidade e atenção… como o Hugo disse e nós ja sabemos “O APR é uma ótima Vitrine” mas também é como o Claudio Jr. esclareceu de uma maneira que define bem o sentimento do Rabujos em relação a tudo isso: “…Existe uma síndrome que ataca quase todas as bandas que passam pelo festival que acham que chegaram ao ápice de suas carreiras… Vamos continuar, vamos em frente, vamos valorizar e prestigiar as bandas locais. O Abril é um dos mais importantes festivais do país e ninguem jamais negaria isso mas não pode ser fim de carreira pra ninguem.”

    o festival pra nós vai ser inesquecível… assim como outros que já tocamos (tanto grandes festiváis como também os fundos de garagem que já tocamos que também fizeram a nossa história…

    bom… novamente a Rabujos agradece e se põe a disposição para trocar uma idéia sobre o que vocês desejarem.

    PS: O SHOW DO RATOS DE PORÃO FOI LINDO!!!

    abraços

  49. PS2: Hugo Montarroios… não se deixe levar por nossa “RABUGICE” rsrsrs apesar de nossos tamanhos somos bem simpaticos quando se chega pra conversar com agente… não temos problemas nenhum em ser questionados cara a cara… proxima vez sinta-se a vontade…