Como divulgar sua banda

Por Bruno Nogueira em 16 de dezembro de 2007

Resolvi escrever esse texto intrigado com um comentário deixado agora pouco aqui no RecifeRock, por um tal “eu”, que dizia que as vezes não tinha contato para divulgar um novo material. Intrigado é meio exagerado, só que me peguei pensando no fato de que algo tão natural no meu cotidiano as vezes fosse mais inacessível para outras pessoas. Então pensei em fazer aqui um guia prático, direto ao assunto, sem muitas firulas.

Primeiro: tenha um material
Antes de sair correndo atrás das informações abaixo, tenha certeza que sua banda tem um bom material de divulgação. Boa gravação, boa apresentação, boas músicas, etc. Não mostre apenas aos amigos, porque a opinião deles costumam ser tendenciosas a seu favor. Procure pessoas diferentes, como um professor ou um vizinho. É sempre um exercício muito produtivo mostrar sua música para alguém que não tem absolutamente nada a ver com seu dia a dia. Lembre-se de pedir uma resposta mais honesta possível.

Evite mandar as músicas em CD-R, com a capa xerocada. Existem poucas fontes realmente úteis para você divulgar seu trabalho aqui, então não precisa prensa mil cópias. Faça dez discos bem apresentáveis, que você já deu conta de boa parte do trabalho. Pense que, além de ouvir, as pessoas também vão querer ver sua banda. Então evite tirar fotos como se estivesse sentado no domingão, vendo tv em casa (a menos que tenha a ver com a proposta da banda). Considerando que o cara vai ver o encarte antes de ouvir, uma boa proposta visual pode contar pontos valiosos.

Por fim, pense num texto de apresentação. Release não é cronologia de banda, por isso evite coisas do tipo “Fulaninho saiu da banda, depois entrou o primo do vocalista, mas não deu certo e ele foi trocado por José”. Isso não interesse a ninguém além da própria banda, pelo menos por hora. Um bom release não passa de uma boa resenha do disco. Uma boa resenha comenta a música e traz informações essenciais do artista tratado.

Segundo: para quem mandar o material?
Temos uma situação muito crítica no Recife. Tradicionalmente o lugar ideal para você deixar um CD seria numa rádio, mas aqui nenhuma delas toca nada de produção local há alguns bons 10 anos. Pense que sua música precisa circular ao máximo de pessoas possíveis, por isso, a melhor opção acaba sendo os jornais.

Se você já tiver ouvido histórias daquele cara que resolveu dar as caras e bater na porta do jornal, esqueça. Antes de ir até lá, ligue para a redação, procure o repórter certo e marque um dia para entregar sua demo. A redação funciona em esquema de horário apertado, portanto ser inconveniente faz você perder pontos. O ideal é ligar no começo da tarde (14h) para o Jornal do Commercio e Diário de Pernambuco; e de manhã (10h), para a Folha de Pernambuco.

Use o guia abaixo

Diario de Pernambuco
Caderno Viver (Cultura)
Editora: Lydia Barros
E-mail: edviver@dpnet.com.br
Tel: (81) 3425 7728
– Setoristas de música:
Michelle Assumpção
Renato L (renatolins@hotmail.com)

Folha de Pernambuco
Caderno Programa (Cultura)
Editora: Mirella Martins
E-mail: tv@folhape.com.br
Av. Marquês de Olinda, 105. Bairro do Recife
CEP: 50030 000. Recife/PE
Fone: (81) 3425 5840
– Setorista de música:
Bruno Nogueira (bnogueira@gmail.com)

Jornal do Commercio
Caderno C (cultura)
Editor: Marcelo Pereira (marcelop@jc.com.br)
Rua da Fundição, 257
Santo Amaro – Recife PE
Tel: (81) 3413.6180
– Setoristas de música:
José Teles (jteles@jc.com.br)
Marcos Toledo ( mtoledo@jc.com.br)
– Colunistas:
José Teles – Coluna Toques – jteles@jc.com.br
Marcelo Pereira – Rec Beat – marcelop@jc.com.br

Terceiro: facilite a circulação de seu trabalho
Jornais são muito presos a agendas culturais da cidade. Se ler eles com calma, vai perceber que eles estão falando apenas de coisas daquele dia. Se quiser facilitar que seu disco apareça no jornal, deixe para lançar ele junto com um show. Assim, você garante um reforço no seu produto como uma pauta válida no jornal.

Quarto: seja encontrado com facilidade
Quando as matérias começarem a sair no jornal, as pessoas vão querer ouvir o som de vocês. Isso não significa que eles vão até a loja mais próximo comprar seu disco. Preocupe-se em ter um espaço certo e apresentável na Internet, com todas suas músicas disponíveis para as pessoas ouvirem.

Não precisa ser um site próprio. Existem ferramentas gratuitas que já te garantem isso, como o MySpace e a Trama Virtual (nesse, inclusive, você ainda ganha um trocado quando alguém baixa sua música). Lembre-se de manter o visual desse espaço o mais arrumado o possível, porque ambas plataformas são confusas demais.

Quinto: acompanhe as notícias
Nunca ligue para o jornalista com quem você conversou para perguntar “e ai, vai sair alguma coisa?” ou “quando vai sair? Você gostou? Vai me dar uma força?”. Se eles já estão numa redação com muita pressão interna, pressão externa só prejudica. Você vai acabar ficando como um chato e perder a oportunidade de se divulgar.

A dica de lançar o disco junto com um show é crucial: é 98% provável de que a matéria vai sair (se sair, lembre-se, ninguém é obrigado a publicar o material) no dia do evento, ou até dois dias antes do mesmo. Se você entregou o material, faça o favor de comprar os jornais nesses dias para acompanhar o que saiu.

Tudo que sair sobre sua banda, você tem obrigação de registrar. Recorte as matérias, passe elas para o computador, faça um clipping para mostrar a peixes maiores: festivais, selos, etc.

Sexto: não se desespere
Não saiu matéria? Calma, não é o fim do mundo. O mais importante é você ter em mente que isso não significa uma porta fechada. Novos shows vão vir, com isso novas oportunidades de você entrar em contato e mandar novo material sobre um novo lançamento.

Sétimo: mas eu preciso de tudo isso?
Não necessariamente. Aparecer é bom para motivos específicos e, para isso, você precisa ter muito bem focado aonde quer chegar com sua banda. Matérias de jornal podem chamar atenção de patrocinadores, parceiros e outros shows. Mas nada disso funciona sozinho ou automaticamente. Você estará apenas ganhando novas ferramentas para trabalhar a carreira da sua banda. Entregar um CD para algum produtor que você encontra num festival é uma coisa, mostrar a ele que você já está trabalhando e criando repercussão é outra.

47 Comments

  1. rique
    Posted 16 de dezembro de 2007 at 11h24 | Permalink

    “à ser favor” não tem crase… ;-]

  2. Posted 16 de dezembro de 2007 at 12h13 | Permalink

    Bastante apropriado esse guia . É bom ver algo util para as bansas publicado aqui no RR !

  3. Lenne Ferreira
    Posted 16 de dezembro de 2007 at 12h42 | Permalink

    Muito massa Bruno todas essas dicas, tem muita gente que não sabe pra que lado ir e acaba perdendo muitas oportunidades. Espero ver mais toques desse tipo por aqui… Esse Recife Rock é completo mesmo…

    Valeu

  4. Posted 16 de dezembro de 2007 at 13h49 | Permalink

    Valeu, Rique. Eu sou péssimo com crases.

  5. Andre Junqueirira, banda Ratos do Ipsep
    Posted 16 de dezembro de 2007 at 18h03 | Permalink

    por que não se falou que jornalista de jornal gosta de um bom jabá? Que absurdo, marcar uma hora com um jornalista! Ta sonhando Bruno?

    AQUI VÃO MINHAS DICAS:

    Trate logo de pagar uma assessoria de imprensa e ou algum produtor cultural descolado para conseguir uma materiazinha; senão pode esquecer;

    babe muito o ovo de políticos e donos de site;

    arrume amigos políticos:

    fale com Canibal, Roge ou Lula Queiroga que voce está bem na fita;
    ora tamancas, tenha paciencoa Bruno, que falta de assunto. Em nenhum momento voce diz faça uma boa música! mas isso não vale nada aqui em Recife, vale mais ser um político, conseguir passagens para viajar e muito mais!

  6. Posted 16 de dezembro de 2007 at 20h45 | Permalink

    hehehehehehehehhe

    Cara..!!
    Do caralho!!

    valeu as dicas..! infelizmente nao se pode agradar a todos..! nao sei por que mas o Andre Junqueira nao gostou muito da materia…!!!

    realmente algo que faz parte do seu cotidiano pode nao fazer parte do cotidiano de outras pessoas!! (eu sou um bom exemplo disso)!!

    eh isso ai!

  7. Posted 17 de dezembro de 2007 at 1h36 | Permalink

    Massa as dicas!

  8. herbert
    Posted 17 de dezembro de 2007 at 2h45 | Permalink

    Muito do que o andré falou tem um fundo de verdade.Existe sim o lançe do jabá, exste sim o lançe da babação e isso é foda….As dicas são super-válidas, mas existe uma outra coisinha básica pras bandas: Perseverança!Sem isso não dá, e um bom senso crítico na hora de compor um bom material, pra n fazer musicas idiotas…
    bem, como deve ter gente que não conheçe, essas duas bandas cujo irei postar aqui os links são de recife e não fazem musicas idiotas… Espero que curtam e vejam que aqui em recife existem projetos interessantes cujo a crítica dita especializada e alguns jornalistas citados fecham os olhos:

    PLUGUINS
    http://www.bandasdegaragem.com.br/plugins

    ECHO
    http://www.myspace.com/bandaecho
    abs.

  9. Posted 17 de dezembro de 2007 at 7h47 | Permalink

    Interessante!

  10. Posted 17 de dezembro de 2007 at 8h14 | Permalink

    Andre Junqueirira,

    Infelizmente a situação é muito mais inversa do que parece. Existe gente que gosta de mandar jabá, muito mais do que jornalista goste de receber.

    O jornalista que escreve diretamente sobre um assunto tem muito pouco poder sobre a relevancia final dele na edição. No máximo pode dizer que rende uma capa, uma séria de matérias, etc. Quem decide essas coisas são os editores. Podem até decidir que não rende matéria.

    O jabá que existe (e existe mesmo) é muito mais hardcore que simplesmente dar um presente a um reporter. Ele atinge diretamente os donos / dirigentes do jornal, porque quando a exigência vem de cima, não tem contra-argumentação.

    O que posso te garantir é que isso é completamente irrelevante na área de cultura e música. Essas coisas existem em outras áreas mais graves, como política e economia. Nos quatro anos que escrevo em jornal, nunca precisei lidar com uma situação dessas.

  11. Posted 17 de dezembro de 2007 at 8h28 | Permalink

    Um artigo com muita utilidade.
    Um pequeno manual para a banda conseguir seu espaço.
    Acrescento também quanto ao envio do material.
    1. É bom analisar para onde e para quem mandar, pois uma banda de rock mandar material para um jornalista ou produtor que nao se interessa pelo estilo é perda de tempo e dinheiro.
    2. Pelo que vejo nas biografias das bandas, a maioria passou um bom tempo ralando, exemplo da Nirvana que mandou mais de 1.000 demos e promos, até que uma gravadora investissse no som, isso depois de alguns anos.
    3. Tenha certeza do que quer e seja sincero na sua proposta, mesmo que digam que seu som é chupado, é imitação, etc, etc, com o tempo se encontra o caminho da sua sonoridade, desde de que seja honesto (quantas bandas com bateria, guitarra, voz existem?)
    4. Se não conseguir o sucesso (tá na midia e enchendo as burras de dinheiro)você fez aquilo que sempre gostou e isso já tá valendo.

  12. Posted 17 de dezembro de 2007 at 16h29 | Permalink

    As dicas são ótimas, principalmente pra quem tá começando e tá se achando meio perdido. Concordo com os comentários que falam de jabá e panelinha, isso nunca vai deixar de existir, mas o espaço está aberto e a mídia tem interesse sim em cobrir o que é novo e bom no meio musical.

    Espero que quem esteja com as cartas na mão, se mobilize pra aparecer nos poucos espaços midiáticos que temos disponíveis em recife. E que surjam novos talentos. Boa sorte pra galera.

    Abiose – myspace
    http://www.myspace.com/abioserock

  13. Posted 17 de dezembro de 2007 at 17h13 | Permalink

    Gostei das dicas (De Todas) :D
    Abraços Brunno.

  14. Cidadão do Recife
    Posted 17 de dezembro de 2007 at 19h28 | Permalink

    Fui ouvir a tal Banda Echo e me surpreendi: tiraram Renato Russo do caixão e botaram novamente pra cantar.

    Meu povo, antes de mandar qualquer coisa para qualquer um ( jornalista, produtor, festivais, etc), tenham auto-crítica.

    Conheço um produtor de um festival aqui do Recife que escuta 1 música de qualquer cd que enviarem para ele. Se não gostar, joga numa caixa, sem dó nem piedade. E olha que a caixa dele está lotada de bandas daqui…

  15. herbert
    Posted 17 de dezembro de 2007 at 23h16 | Permalink

    È isso tbm aconteçe e muito.O produtor de um evento qualquer ouve 30 segundos de faixa pra dizer se a musica presta ou não, com base apenas no que ELE gosta.Parcial, não acham???Isso acontecia nas rádios tbm!Quando se levava um cd de uma banda “independente” o cara lá ouvia e nem tocava se ele n gostasse…é foda!Hoje nem tocam mais nada…

    Sobre a ECHO…conheço os caras e já fui em 3 shows deles este ano.O som é muito mais áspero que nessas gravações.MAs é inegável o fato de que os caras são bons.SÂO!E me supreendi pq a banda é daqu…vai ver quantas bandas desse estilo tem por ai….
    A pluguinns tbm é foda!Sergio manda muito na guitarrae os caras tbm são muito bons!Pra mim, são as duas melhores bandas de recife….só n entendo pq eles não apareçem tanto….

  16. Posted 17 de dezembro de 2007 at 23h41 | Permalink

    Qual o problema, Hebert? Se o evento é do produtor, ele escala quem ele quiser. Não entendi essa…

  17. herbert
    Posted 18 de dezembro de 2007 at 0h06 | Permalink

    Sim.O festival é dele e ele escala quem ele quiser.Com isso vc está concordando comigo de que existe essa parcialidade e que muito material de bandas que existem por ai e que podem ser observados com maiores detalhes,ás vezes passam sem ser percebidos e sem a atenção devida em detrimento á escolhas estritamente pessoais.
    Acho assim….gosto pessoal é uma coisa;Avaliação profissional é outra completamente diferente e que em muitos casos deve ser independente de gosto pessoal.MAs isso NUNCA vai aconteçer….nem falo tanto de festivais, pq festival é dificil realmente.MAs em rádios é que a coisa fica”Afro-brasileira”( pode pareçer racista caso eu use o termo “a coisa fica preta’)….Rádio é jabá sim!È gosto pesoal imperando….só quem tem um bom cash é que pode apareçer nessas linhas de divulgação….

  18. herbert
    Posted 18 de dezembro de 2007 at 0h24 | Permalink

    falo em relação á bandas independentes,ok?Bandas grandes já é outra história…apenas pra esclareçer.

  19. para Bruno nogueira, de Andre Juqueirira
    Posted 18 de dezembro de 2007 at 9h30 | Permalink

    Bruno, aonde voce comprou o aparelho que mede quem pratica mais jabá, músico ou jornalista?
    Musico quer apenas trabalhar e se ve obrigado a pagar jaba para ter seu trabalho divulgado, pois jornalistas de jornais são mal pagos e sentem muita raiva por não serem a noticia. Sacou? E perdão com a sinceridade mais voce trabalha num jornal que não tem a menor tradição ou referência em cultura, portanto é um zero a esqyerda. Se sem cobrar jaba ninguem procura voces imagine se voces cobrassem!
    Alguns jornalistas tem poder sim pois alguns deles são militantes políticos e atrelados a orgãos públicos. vide o grande número de artistas sem expressão popular alguma que norteiam as matérias do dia a dia. Artistas esses bancados por prefeitura e governo, bem como os jornalistas que lhes dão guarida. É uma rede pública de auto ajuda, uma máfia para não arrudear muito!

    Dizer que isso é irrelevante apenas mostra sua imaturidade, ignorância e corporativismo, pois isso onera e muito o orçamento de uma banda na hora de divulgar seu trabalho.

    em vez de voce Bruno ter uma velha e desbotada opinião sobre tudo, procure amadurecer e pare de falar abobrinha neste site juvenil e pouco profundo!O JABA é algo absolutamente relevante sim na vida de uma banda!

  20. Posted 18 de dezembro de 2007 at 10h15 | Permalink

    e VIVA AO METAL!!!

  21. Posted 18 de dezembro de 2007 at 11h03 | Permalink

    Seu discurso é muito cansado, André. Coisa de quem nunca conseguiu dar certo e quer por a culpa nos outros.

    No dia que você me trouxer uma prova de que José Teles, Marcos Toledo, Michelle de Assumpção e Renato L te pediram alguma coisa em troca de publicar algo de sua banda, então a gente volta a conversar.

    Alguém falou lá em cima das rádios. Esse sim é um problema grave e muito mais profundo.

    Em tempo, eu não escrevo apenas na Folha de Pernambuco.

  22. NAda A VEr
    Posted 18 de dezembro de 2007 at 16h09 | Permalink

    Ola Pessoal, num tem nada a ver oq vou expor aqui agora.
    Antes de mais nada gostaria de informar q não faço parte de nenhuma banda de Recife ou de qualquer outro lugar do mundo, so sou um simples expectador.
    Porem, descobri hoje que…
    Ops, tambem queria deixar claro q estava muito afim de assistir o PE NO ROCK 2007, O tão falado PE NO ROCK 2007.
    Agora sim…
    Descobri hoje q, o extinto PE NO ROCK 2007 Virou FEMUPE, e tambem fiquei sabendo q o nascido FEMUPE virou LENDA.
    Ou Seja, o Q se diz produtor Savio Fiqueiredo, acho q é esse o nome dele. Cagou mais uma vz. Disse as bandas q estavam no “corpo” do PE NO ROCK 2007 q as memas iriam participar de um evendo do memso porte ou ate melhor, prometeu um cachê no valor de R$ 1.000,00 (Um mil reais)e encheu a bola da galera, iludindo as bandas como um palhaço mal q ilude uma criança com um doce de mentira.
    E agora, pergunto eu …
    Sera q o mesmo (Savio) so quer promover a sua namorada. (Andreia Amorim) q alias,toda passei a odiar depois q descobri toda essa merda q rolou. Bem, o q me resta fazer agora. Sem FEMUPE, SEM PE NO ROCK 2007.
    Vou curtir a programação de natal e ano novo da prefeitura e em janeiro ver oq vem por ai.
    E mais uma coisa, Savio ser produtor é se comprometer e falar apenas oq se pode fazer, se não da pra fazer, não fala. Se não pode falar se cala.
    Parabens as bandas q sempre estão lutando contra um monte de coisas desse tipo, com um monte de gente desse tipo.
    Fim por enquanto…

  23. Posted 18 de dezembro de 2007 at 21h48 | Permalink

    Por falta de aviso que não foi :P

  24. Andre para Bruno
    Posted 19 de dezembro de 2007 at 22h03 | Permalink

    E jabá tem prova? recibo e nota fiscal?e precisa pedir para o ja ba esistir? ou my god!

  25. Posted 19 de dezembro de 2007 at 23h24 | Permalink

    É só mostrar alguém que a quem foi pedido Jabá. E não venha com papo de ‘conheço um cara’. Eu marco dia, hora e lugar, você aparece com ele e a gente faz uma matéria sobre isso no jornal. E ai, se garante?

  26. Andre Juqueirira
    Posted 20 de dezembro de 2007 at 7h17 | Permalink

    Bruno, pare com esse negócio de dizer que todos não conseguiram nada nada vida.Voce por acaso conseguiu?

    Pelo que eu sei voce trabalha num jornal pouco lido e fulero e nuns sites menos lidos ainda e passa a vida bajulando jornalista na intenção de um dia ir para um jornal maior.
    As bandas que voce apoia pior ainda.Devotos,Vamoz,Volver,tudo banda falida que vive de ilusão.

    Teus testos são infantis, de um jovem que nunca se encontrou na vida e nunca teve coragem de tentar fazer o que gosta,cagou na hora de ser um musico, o grande sonho da tua vida e o jeito foi ser um jornalistazinho vagabundo de internet que para aparecer tem que desrespeitar todo mundo!

    É lógico que jornalista de jornal cobra jabá e todos sabem disso,a não ser voce que os defende, pois voce é um cagão entende?quem é voce meu chapa?o que voce representa?todas as bandas que voce apoia ficam pelo meio do caminho e muitas desculpas esfarrapadas.Como voce!

    Bacha a tua bola que voce não é nada,aliás ;é motivo de chacota entre musicos e artistas dessa cidade.Fofoqueiro de internet,comentador da vida alheia e BABA OVO de músico chapa branca!

    voce é um fracasso Bruno!Teu futuro por acaso vizlumbra algo maravilhoso ou tu vai ser um jornalista de beira de interneté?Só faltava essa, ir em teu jornal com meu filho e a banda dele ou colocar um anúncio convocando os que sofrem com isso e ir na Folha fazer uma matéria, com se adiantasse alguma coisa!

    Vai dormir que teu mal é sono rapaiz!e um belo negão no teu cangote!

  27. Posted 20 de dezembro de 2007 at 10h09 | Permalink

    Tsc :P Sabia que era só fogo de palha. Boa sorte na próxima.

  28. junior
    Posted 21 de dezembro de 2007 at 0h18 | Permalink

    Bem o que o bruno relatou foi pura realidade!

    acho o que ele quiz passar eh que

    como foi discrito na matéria!
    parecia muito facil marcar uma entrevista!
    mas que na verdade não eh!

    sabemos tb que influencia! ajuda pra cacete!

    tenho um amigo que tem uma banda!

    Não vou citar o nome dela
    o son eh horrivel pessímo! as letras nen se falam1

    e eu jah falei tudo isso para ele

    mas ele trabalha na prefeitura tem muitos amigos eh amigo do Rogeh do sopa diario!

    e o cara sempre tem lugar pra tocar
    um amigo pra encaixar ele! tocou em muitos palcos nos Antigos! e se fosse bom de verdade jah teria pego um sucesso pois a banda tem 8 anos!!

  29. herbert
    Posted 21 de dezembro de 2007 at 20h07 | Permalink

    Ei meu filho…cadê o post que deixei aqui com uma ironia e uns links? Por acaso isso aqui é o que?Tá virado censura essa porra agora é?

  30. Guilherme Moura
    Posted 22 de dezembro de 2007 at 13h24 | Permalink

    O antispam pega posts com mais de 1 link e deleta pra evitar Spams de putaria e viagra.
    De todo jeito… esse papo de censura é tão anos 80…
    O RecifeRock é MEU site, eu que pago as contas, programo e mantenho ele online. O espaço é livre, mas tem dono. É preciso manter o respeito, todos comentários ofensivos são deletados.
    Simples assim :)

  31. Cidadão do Recife
    Posted 22 de dezembro de 2007 at 16h09 | Permalink

    Guilherme é muito malvado. Vou te pegar na saída, meu irmão!!! hahahahaha

  32. Cidadão do Recife
    Posted 22 de dezembro de 2007 at 16h12 | Permalink

    Ah, antes que eu me esqueça: Andre Juqueirira, aprende a escrever um “TESTO” meu filho!! Tá ruinzinho de português, hein?

  33. herbert
    Posted 22 de dezembro de 2007 at 23h39 | Permalink

    Sim, mas eu não ofendi ninguém,fu irônico em detrimento á um comentário digno de um del! se vc não leu, ai eu já não posso fazer muito….agora, “anos 80”???
    meu se liga….a censura ainda existe…e vcs da mídia sabem muito bem disso!!!Basta olhar a classificação de programas na tv…é um ontrole de informação que existe pra fazer com que as pessoas sejam alienadas….e vcs sabem disso!

  34. Posted 23 de dezembro de 2007 at 9h45 | Permalink

    Quais foram os links? :) Fiquei curioso agora. Manda pro meu email!

  35. herbert
    Posted 23 de dezembro de 2007 at 10h58 | Permalink

    vou postar o comentário de novo…
    “Bruno meu filho, pára de ouvir essas besteiras ( sobre o post do revoltadinho com vc) e ouve isso aqui ó: Garanto que vc vai se supreender com o som dessas galerinhas…

    http://www.myspace.com/bandaecho

  36. herbert
    Posted 23 de dezembro de 2007 at 10h59 | Permalink

    http://www.bandasdegaragem.com.br/pluguins

  37. herbert
    Posted 23 de dezembro de 2007 at 11h00 | Permalink

    http://www.myspace.com/projetocosmos

  38. herbert
    Posted 23 de dezembro de 2007 at 11h01 | Permalink

    são bandas bastante diferenciadas do underground recifense,espero que goste.abs

  39. Guilherme Moura
    Posted 23 de dezembro de 2007 at 13h49 | Permalink

    herbert,
    Lembrei. Eu deletei pq pensei que esse teu post com os nomes das bandas era tirando onda da cara delas.
    Eu já escutei as 3 bandas faz um tempinho, não vi nada diferenciado não. Acho massa a correria da galera de de Tejipió, vi um show da Plugins semana passada. O som é legal, mas precisam de outras referências (e talvez uns refrões). Essa mistura de hiphop com hardcore é muito batida, no fim dos 90’s tinha Funk Fuckers, Peter Perfeito, DMP e umas dezenas de bandas chupando do RATM, Suicidal… a única que sobreviveu foi CB Jr (urghz!).
    As outras duas eu tb já conhecia das seletivas do Pátio do Rock. Esses ano elas ficaram entre as piores que escutei. Música gospel com base no rock BR dos anos oitenta é muito batido, mas esse circuito gospel (de rádios gospel e festinhas) dá um bom $$$.
    Alguém da seletiva matou a charada da Echo: “Isso não parece Legião, parece cover daquela banda gospel… Catedral”.
    Uma que tocou no Festival Raízes (no finado Galpão BHS) e fez um ótimo show foi a Mente Engatilhada, que nem sei se ainda existe.

  40. Cidadão do Recife
    Posted 24 de dezembro de 2007 at 0h17 | Permalink

    Resumo: banda Echo, se aposente…

  41. Posted 13 de fevereiro de 2008 at 9h01 | Permalink

    valeu ae bruno =D

  42. Posted 25 de fevereiro de 2008 at 20h28 | Permalink

    Salve pessoas matéria muito interessante gostaria de convidar a todos a conferirem o nosso site da nossa banda independente fizemos um cd com dez músicas possuímos mais algumas gostaríamos também de receber críticas e sugestões nosso site é http://www.mortais.com.br
    É isso ai valeu !!!

  43. Posted 25 de novembro de 2008 at 11h57 | Permalink

    ai galera analiza ae o site da minha banda e o cd e me de uma sugestao de como divulgar mais minha banda.por favor fomos vitima de um golpe aqui em vitoria ES.contato@bandanjos.com http://www.bandanjos.com e no you tube bandanjos ta escrito assim mesmo tudo junto eu sou o batera.obrigado.

  44. Posted 22 de novembro de 2009 at 10h15 | Permalink

    muito boa sua coluna parabéns!
    abs de toda banda
    CENA1 / RJ

  45. Posted 13 de setembro de 2010 at 15h43 | Permalink

    Gostei muito de conhecer esse espaço. pretendo divulgar um trabalho de um grupo musical independente aqui, através da matéria de Bruno Nogueira, comecei a bolar idéias…
    Este grupo a qual me refiro é do sertão da Paraíba e seu repertório é muito legal, pena não ter espaço….

  46. Posted 13 de setembro de 2010 at 15h51 | Permalink

    Corrigindo a pontuação: “pretendo divulgar um trabalho de um grupo musical. Aqui através…….”

  47. Posted 8 de fevereiro de 2011 at 13h26 | Permalink

    Um site muito bom para divulgar as músicas das bandas independentes é o http://www.vitrinepopular.com.br. Tudo Gratuito.