The Global Battle of Bands

Quase que passou despercebida a edição Recife do evento The Global Battle of Bands. Um concurso internacional de bandas, onde o vencedor ganha nada menos que US$ 100.000, dividido em cachês de 10 apresentações no Reino Unido. O Brasil foi o único representante na América do Sul e as etapas se dividiram entre Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Recife. O evento ainda é uma mega vitrine. Nas edições passadas, os vencedores já saíram com contrato assinado com grandes gravadoras, além de várias propostas de produtores de grife.

No Recife as concorrentes foram as bandas Kriver, Movidos a Alcool (BA), Galinhas Polacas (BA), Wandering Romantics, Zé Pilintra, Zero 81, The River Raid, Divã Moderno e NaturalMente (RN). Cada uma podia tocar duas músicas. O juri foi formado por mim, Paulo André (do festival Abril Pro Rock) e Leo Salazar (produtor, que já trabalhou com bandas como Eddie e Devotos). Entre os critérios exigidos pelo GBOB estavam pontos como potencial para o mercado internacional e presença de palco. Também teve uma votação do público.

Como poderia ser inscrito por qualquer um, o evento teve algumas diferenças gritantes. Bandas como o The River Raid, que já tocaram em vários festivais pelo país, fizeram temporada nos Estados Unidos e tem disco produzido no exterior competiram pela vaga com grupos como o Wandering Romantics, que estavam fazendo o segundo show da banda desde a formação. O contraste era inevitável. Mesmo assim, apesar da exceção da banda potiguar de reggae, todos os participantes pendiam para o rock.

Do meu ponto de vista de juri, tive duas ótimas surpresas. A primeira foi a banda de metal / classic rock Kriver, que ainda nem tinha ouvido falar. São ótimos de palco e tem ótimas músicas. O melhor é que tem já uma base sólida de fãs e amigos. Se souberem cultivar bem isso, devem crescer bastante na cidade. Não por acaso, ganharam no voto do público. Outra surpresa foi a Wandering Romantics. Banda nova e ainda bem verde, mas que tem ótimas referências sonoras e ótimos timbres de guitarras. Se se esforçarem em tocar bastante, podem virar figura fácil em festivais como o Coquetel Molotov.

Infelizmente, seria bem injusto se a The River Raid não ganhasse. A experiência deles em se apresentar estava anos-luz de distância dos outros, além de terem feito a montagem mais rápida de palco – técnica era pontuação também. Foram unanimidade na pontuação do juri. Agora vão se apresentar no Circo Voador em noite que tem a Nação Zumbi de atração principal. Se forem além, não vai ser novidade, afinal eles já ganharam outros concursos internacionais de música.

Posted quinta-feira, outubro 7th, 2010 under Notícias.

17 comments

  1. Quando e onde ocorreram essas apresentações e esse evento no circo voador vai acontecer quando e em qual Estado?

  2. O Circo Voador fica no Rio de Janeiro! A etapa Recife foi no último fim de semana, no Burburinho.

  3. Muito obrigado pelo reconhecimento de nosso trabalho. Continuaremos tocando por Recife até o final de outubro.

    http://www.myspace.com/kriverofficial

  4. Bruno Justino says:

    Faltou falar de como a The river raid foi beneficiada no evento também né. Mas é algo normal dos jornalistas sempre evitar falar das injustiças que acontecem no mundo, tanto que temos essa mídia lixo que temos.
    Quem quiser saber o que realmente aconteceu visite:
    http://gbob.com/group/gbobbrasil2010/forum/topics/etapa-recife-marmelada-pura
    O Bruno Nogueira ta falando das bandas mas ele nem no show tava, tiveram muitas bandas boas na noite, cada uma com seu estilo e sigularidade.

  5. Quero agradecer, em nome da Wandering Romantics, o reconhecimento que tivemos nessa matéria.

    Pra quem quiser nos escutar, aí está nosso myspace =)

    http://www.myspace.com/wanderingromantics

  6. Roubalheira da boa. Como pode um jurado ser produtor da banda vencedora? Processos vêm aí :)

  7. Nem no show tava é ótimo :P

  8. Só eu que não ficou sabendo disso?

  9. Tava sim, no show do restart com a the river rade, depois foi lá ver a the river rade, aposto que não sabe nem o estilo das outras bandas.

  10. eu gostaria de saber de onde Bruno tirou a idéia que entende algo de música, quanta presunção, não entende nada, deve ser aqueles caras que ouvem música no computador bem baixinho enquanto twitta e joga video game.

  11. o anonimo perguntou:”Como pode um jurado ser produtor da banda vencedora?”
    é simples, é só convidar o produtor de uma das bandas para ser jurado. Eu gostaria de saber o que aqui em Recife não tem alguma treta no meio de tudo, é o lugar que tem mais treta no mundo meu!Povinho tretero esse nosso!

  12. Perfect Stranger says:

    Fiquei sabendo desse evento há uns seis meses atrás. Logo de imediato, ao ler a proposta, vi que não cheirava bem. Apenas 40min para as bandas tocarem, 15 min pra se arrumarem no palco e ainda tinham que pagar 200 reais pra se inscrever !!!! parecia mais aqueles shows onde tocam 30 bandas. Ou seja, furada. Ah, Bruno Nogueira e Hugo Monta entendem de música pessoal, afinal, um é doutor em música e o outro, escritor.

  13. Será que o “Bom velhinho” traz o Slayer em dezembro???????

  14. slayer é simplesmente foda..!

  15. Eu nem gosto de Slayer…

  16. Só para constar…todo esse papo ai do produtor do River Raid, era o jurado do festival, não condiz com a realidade. Ele trabalhou com a banda no passado e era produtor do evento e não jurado, como pessoas tão falando..

  17. Enzo Fernando says:

    Eu só acredito que o Slayer vem quando realmente tiver confirmado se bem que show gringo em Recife não está díficil não de 2008 para cá rolou muita coisa já
    de Hallowen,Iron Maiden,Mothoread,A-ha,Cranberries,Alannis Morrisett,Ufo