Tapa na Orelha – 2010

Eis uma ano para não ser esquecido. Sobretudo, pelas trapalhadas e picaretagens da Fundarpe. Foi uma comédia de erros mais bizarra do que a outra. A instituição perdeu a credibilidade, deixou de ser levada a sério e é tratada por músicos, produtores e jornalistas que cobrem cultura em Pernambuco como uma tremenda piada de mau gosto.

Já os festivais se saíram bem melhor. O Rec-Beat, como sempre, cumpriu sua função social de levar diversão aos que não são lá exatamente fãs de folia no carnaval. O Abril pro Rock dedicou um mês inteiro aos shows na Rua do Apolo. E o No Ar Coquetel Molotov, em seu auge, produziu uma apresentação histórica do Dinosaur Jr.

Discos bons foram lançados aos montes: Otto, Karina Buhr, D_Mingus, Anjo Gabriel, A Banda de Joseph Tourton e tantos outros.

Foi o ano também em que conheci o mais bonito de todos os festivais: o Rock na Tamarineira, que, em três dias, fez visitantes e internos se tornaram um só dançando ao som de The Playboys, Catarina dee Jah & Os Radicais Livres, Keps (SP), Matalanamão, Orquestra de Frevo 100% Mulher e Ave Sangria. Lindo, para dizer o mínimo.

Para mim, em especial, 2010 é um ano para não ser esquecido nunca. Realizei o sonho de publicar um livro sobre o Devotos, amigos de longa data, e banda que acompanho desde o início dos anos 90, quando comecei a ir no Alto José do Pinho. Ter o privilégio de contar a história de gente como Cannibal, Neilton e Celo não tem preço. Serei eternamente grato ao trio pela confiança.

Enfim, 2011 chega com uma penca de grandes shows internacionais: Amy Winehouse, Iron Maiden, e por aí afora. Como dizem os Devotos, “tem de tudo”.

Como em todos os anos, desejo que você tenha um 2011 repleto de paz e saúde. E muito rock n’ roll. Que continuemos concordando e discordando de tudo neste espaço. Que o debate prevaleça sempre. E, principalmente, que permaneçamos sempre focados no nosso maior interesse: a produção rock pernambucana. Um 2011 rock para todos!

 

 

 

 

 

 

Posted terça-feira, dezembro 21st, 2010 under Notícias.

10 comments

  1. Sabia Angolano says:

    Eu racho de rir toda vez que me lembro dos muitos de nossos nobres artistas nas fotos dos jornais e colunas sociais abraçados com o pessoal da Fundarpe com os dentes brilhando de pura alegria e orgulho em alta, hoje estão todos na moita esperando a tempestade passar, ninguem aparece para dizer nem um oi, e uma reza bem forte para não serem citados ou confundidos com os que assaltam os cofres culturais da nossa Hellcife Parnasiana! Tenho que colocar Ramones o mais alto possível aqui no meu som para aliviar meu constrangimento. Piada por piada fico com o passarinho aqui de casa, meu sabiá angolano, o bicho vive piando!

  2. Pois é sábia,esse problema da Fundarpe já ocorre a decadas, mais somente teve visibilidade agora, talvez pelo fato dessa fundação ter mudado as regras para tentar moralizar o investimento cultural, o que fez pessoas descontentes levarem a tona o que sempre aconteceu.
    quanto á retrospectiva no ano, destaco a estensão dos festivais em recife, pois o abril pro rock e o coquetel molotov passaram a ser eventos descentralizados e mais longos, como ocorreu no patio de são pedro, durante o mês de setembro, quando tive a oportunidade de assistir o otimo
    show do guisado.
    Outro ponto positivo foi, nesse site, não haver mais comentarios elogiosos sobre o João do Morro, como ocorreu no ano passado.

  3. Cada um ve mesmo as coisas do jeito que quer e de acordo com suas conveniências, mas dizer- ter mudado as regras para tentar moralizar o investimento cultural- depois de todas as denúncias com valores estratosféricos, atrasos injustificáveis, abusos, desvios, é ser muito aluado da vida!
    Antes tarde que nunca caro Jornal do Comercio do Ibura! Te apruma rapaz!

  4. marciano cosmopolita says:

    a verdade é que a música e a cultura em pernambuco em geral estão uma GRANDE ZONA generalizada em que os partícipes mal sabem para que lado ir e onde vai aparecer uma luz salvadora no fim do túnel! Não sinto orgulho por tanta pobreza e falácias de gente metida a besta, músicos de quinta categoria e carreiras sazonais temperadas por desmandes e maracutaias que afloram o recinto cultural da cidade em que moramos. Não aguento mais esses grupos de pastoril e caboclinho que são um saco da porra de ver e já encheram meu escroto, que é a membrana que envolve os testículos penianos.
    e qual a solução? há solução? quem gosta de orquídea gosta também da fundarpe isso é fato, quem é de dentro sabe, e o que mais? lenine=china=lenine, tem treta ai essa parceria, interesses além música, ligação espiritual eu acho!
    cade a fervilhança musical tão comum em outros tempos? o que será de nós? como encher o tempo e fugir do ostracismo?
    Luciana Santos, a big boss da cultura atualmente, manda e desmanda. Se voce tem boa relação com ela , trabalha muito nos melhores eventos, tenho certeza. Certeza que o amor sempre vence os medíocres!
    Olinda tem no momento a maior safra de genios por metro quadrado do brasil e habitues da mídi local.
    eddie
    china
    isaar
    karinha bur
    vitor araujo
    academia da berlinda
    orquestra conteporanea
    bonsucesso clube
    e lá vem Josildo Sá de novo, outro projetinho bacana, sambada de lat@! coisa muito boa, muito legal, é só o que se fala na cidade; é emocionante a união dos artistas da terra, um exemplo de sucesso para todo país, estou convencido disso, sério mesmo, oxente, maloqueiro que se preza ouve maracatu, vou me mudar para olinda e absorver toda a genialidade que abunda na cidade queimada pelos holandeses e reconstruída pela moura dubeaux! feliz natal para todos voces meus camaradas culturais! Viva Sandino, viva Zapata, viva a cultura mais boita do mundo, a nossa é claro. somos os fodões não te contaram não?

  5. Zé Henrique says:

    O cd do Otto foi lançado no ano passado, brother.
    Achei esse ano uma bosta em termos bons lançamentos, só curti Maquinado e Joseph Tourton.
    O da Karina é legalzinho no início, mas depois enjoa.

    PS: Marciano, a Luciana da Fudarpe é a Azevedo e não a Santos.
    Volta pra terra, trabalhe e pare de reclamar.

  6. Josezinho, a Luciana em questão não é a da Fundarpe e sim a ex prefeita, largue a net e procure um emprego decente, não seja ingênuo e procure se interar sobre os personagens da cultura pernambucana quem manda em que!

  7. As pessoas precisam ler mais e interpretar o que estão lendo, no sei se vc lembra Metal Fan, ouve uma serie de denuncias contra a secretaria de turismo(na epoca chefiada por silvio costa filho), apartir dai a fundarpe, temendo que ocorresse o mesmo com ela fez mudanças nas regras de distribuição de recursos, limitando as liberações à parlamentares, por exemplo, isso trouxe descontentamento e denuncias(quase todas de fatos anteriores à essas mudanças).
    Não estou defendendo a Luciana(Azevedo e não dos santos), até porque muitas dos fatos denunciados foram na gestão dela, todavia, o que estou levando a discussão é que isso só veio a tona apos as mudanças implementadas pela Fundarpe, ou seja,se as coisas continuassem do mesmo jeito será que haveriam denuncias? é o que eu lamento desses criticos de plantão eles deixam de discutir uma situação mais seria que envolve quase todos os parlamentares e empresas que trabalham com cultura no estado e escolhem um “bode expiatória” que é a gestora da fundarpe. isso sim é ser aluado!

  8. é JC voce nunca fala merda, estou diante de um sábio. Um presidente de uma fundação tem que ter responsabilidades independente do que voce acha ou de um passado remoto. Erros não justificam os outros e seus argumentos são de uma pobreza ímpar. Bom natal e que voce ano que vem não seja mais um ignorante falando besteiras na net!

  9. O ideal seria nos discutirmos os temas levantados no site sem apelarmos para agressões gratuitas. Marciano, procure entender o que estou dizendo, não estou excluindo a responsabilidade da Presidente da Fundarpe, se vc ler melhor meu comentario verá que tambem acho que esta tem a sua culpabilidade, todavia, o que quero levar a discussão é que a responsabilidade não é exclusiva dela, pois se pensarmos dessa forma, teremos a falsa impressão de que basta afasta-la que o problema será resolvido e a questão não é essa, pois a responsabilidade tambem é dos parlamentares, das empresas que trabalham nesse ramo, do nucleo central do governo do estado, das prefeituras, da imprensa(que é conivente ou não aprofunda a discussão) e da população que não denuncia ou prefere ignorar um outro ponto de vista(isso sim e ser ignorante).
    Bem, vou me despedir desejando que tenhamos dialogos mais construtivos, pois dizer que uma pessoa com opinião contraria(mesmo que essa não seja a mais correta) de “um ignorante falando besteira na net” é ser muito arrogante e a arrogancia é uma forma de limitar a visão e o raciocionio das pessoas.

  10. Evandro Sena. says:

    Trabalhei durante vários meses na Fundarpe, vi muita coisa boa sendo construída e uma equipe comprometida com as ações. Os Festivais realizados pelo interior do Estado foram de uma qualidade técnica surpreendente, músicos foram bem tratados, bem servidos e as programações foram das mais ricas e democráticas que já seu viu em qualquer gestão pública em nosso Estado. O FIG foi um sucesso nestes quatro anos e nunca se teve tantos e tantos projetos executados e financiados (de fato) com os recursos do Funcultura. Erros aconteceram e acontecem (ninguém poderá negar), mas é injusto que não se fale nestes acertos como se as ações da Fundarpe fossem todas atrapalhadas, mal executadas dignas de chacota e reprovação do setor artístico. Participei da elaboração e da coordenação do projeto Observa e Toca Malakoff que foi um sucesso nestes dois últimos anos de gestão e será uma grande perda para a cidade e para o Estado um projeto desses deixar de existir. Então é isso… ah, sem esquecer de dizer que o CD do Wassab foi a melhor coisa que escutei neste ano de 2010 made in Pernambuco. Concordo com o Hugo sobre a beleza do Rock na Tamarineira e parabenizo-lhe pelo livro dos 20 anos do Devotos (também amigos meus).
    Abraços e continuemos o diálogo!!